Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Hell´s Angels: margem de certa maneira

O grupo de motards Hell´s Angels, com origem no pós-guerra nos Estados Unidos, tem uma espécie de filial no nosso país e foi agora alvo de atenção judiciária por factos que a seu tempo serão conhecidos.

O grupo ficou a ser tristemente conhecido vai fazer 50 anos, aquando de um concerto dos Rolling Stones em Altamont, na California, em finais de 1969, durante o qual morreu um jovem e ficaram feridos vários indivíduos, incluindo músicos, devido ao descontrolo e violência do gang que tinha sido convidado para uma espécie de segurança no concerto. Na internet há vários artigos sobre o assunto e até filmes.
A revista Rolling Stone, no número de 21 de Janeiro de 1970 relatou o que se passou, em 14 páginas. Ficam algumas:








Um dos primeiros indivíduos a detectar o comportamento belicoso do gang foi o jornalista Hunter Thomson, logo em 1964, tendo escrito um artigo no jornal The Nation, sobre o assunto e que depois foi desenvolvido em livro sobre os Hell´s Angels. A reportagem é do estilo novo …

Em Portugal também é asssim, ora perguntem lá ao nosso selfie-man...

 Observador:

Apaixonada há muitos anos por futebol, Grabar-Kitarovic, a primeira mulher a chegar à presidência dos balcânicos depois de passagens pela NATO, pela embaixada nos Estados Unidos e pelo ministério dos Negócios Estrangeiros, tornou-se uma das grandes figuras deste Campeonato do Mundo pela forma como tem desfrutado da competição sempre que pode: viaja em classe económica pagando do seu bolso todas as viagens (e tirando selfies com fartura em cada um desses momentos), desconta os dias em que está na Rússia do seu ordenado e prefere ir ver os encontros na bancada com os restantes adeptos croatas do que na tribuna. 

Tal como no caso de Salazar que percebia bem a diferença entre público e privado, a presidente croata dá um exemplo que por cá não temos.

Se perguntarem ao Daniel Oliveira ou a outro pateta qualquer do género, dirão: mesquinhices. O Costa será o primeiro a dizê-lo. O nosso selfie-man idem aspas. É o presidente, afinal.

Quem é que lhes pagou as viagens à Rússia …

Armando Vara às portas da prisão

Observador:

O Tribunal Constitucional declarou improcedente um recurso apresentado por Armando Vara no âmbito do caso Face Oculta onde eram alegadas 14 inconstitucionalidades, noticiou o Correio da Manhã e confirmou o Observador.

Trata-se do último recurso formal que o ex-ministro da Juventude e do Desporto pode apresentar mas ainda não terminou a guerra judicial para impedir o cumprimento da pena de prisão de cinco anos de prisão efetiva por três crimes de tráfico de influência a que foi condenado em primeira instância.


Há mais de quatro anos que adia o destino fatal: ver  o sol aos quadradinhos. Mas falta ainda o chefe da quadrilha. Lá chegará a sua vez...


Pobres ricos portugueses

CM de hoje:


São estes os ricos que temos, em Portugal. Não há mais que isto. Não tiveram dinheiro ou poder para comprar as grandes empresas que recentemente foram vendidas a estrangeiros da China ou da França ou mesmo a fundos de investimento, estrangeiros.

Foi a este estado de coisas que chegou Portugal depois de 40 anos de democracia: não consegue gerar riqueza suficiente para podermos ombrear economicamente com outros países desenvolvidos e europeus.
Os ricos que temos são pobres à escala europeia, para nem dizer mundial.

Foi sempre assim? Não. Antes de 25 de Abril de 1974 Portugal tinha umas dezenas de famílias que detinham poder económico e riqueza suficientes para assegurar um potencial de crescimento económico que na década de 70 do seculo que passou crescia a mais de 7% ao ano. Números desses nunca mais tivemos, mas em compensação tivemos três bancarrotas que nos foram preparadas e apresentadas pelos socialistas e esquerdistas de todos os matizes, com a condescendência dos par…

Este komentadeiro quer ser alguém na política- e tem pressa.

Público de hoje:


O komentadeiro Daniel Oliveira que passa o tempo nas tv´s a komentar qualquer coisa, com outros komentadeiros do calibre intelectual de um Marques Lopes quer ser outra coisa e teve uma ideia: criar um "podcast", um programa de entrevistas gravado para a internet e difundido nesse meio. Parece que tem sucesso, diz o Público.

Entrevistados até agora, os do kostume: António Costa foi o primeiro, em Maio. Já por lá passaram personagens interessantes e desconhecidas do público das tv´s como Pedro Nuno Santos, Adolfo Mesquita Nunes, Catarina Martins, o jornalista Ricardo Costa e o humorista Ricardo Araújo Pereira e Jaime Nogueira Pinto, o peluche que a esquerda apresenta como modelo da extrema-direita civilizada mas a quem proíbe conferências sobre cultura nos fora universitários.

O "podcast" continua em Setembro com...Marcelo Rebelo de Sousa, personagem cujo interesse pelo que diz é por demais assinalado diariamente nas tv´s.
Entretanto vai de férias q…

A ética da casa dos segredos na faculdade de Direito de Lisboa

João Miguel Tavares n o Público tem dedicado a atenção à FDL a propósito do pouco singular caso Farinho que se resume ao facto de um professor de direito ajudar alguém a escrever um livro. A singularidade só aparece se tal ajuda foi de monta, ou seja, de tal modo que o autor não seja o que figura na capa mas o seu fantasma ( ghost-writer).
No caso Sócrates, atento o montante envolvido, a natureza peculiar do cliente, com laivos acentuados de aldrabão compulsivo e as circunstâncias que envolveram o relacionamento conhecido entre ambos ( através da divulgação de escutas telefónicas comprometedoras) tudo indica estarmos perante um caso singular de atentado à ética elementar que um professor de Direito deveria respeitar e a faculdade sancionar.
Nada disso aconteceu nem mesmo depois de se saber que o ghost-writer é relapso e envolveu a mulher por causa de eventuais trafulhices fiscais virtualmente indetectáveis. No pasa nada, para os sapientíssimos e veneradíssimos membros do Conselho Cie…

Obras públicas no Estado Novo que envergonham a democracia

No livro de que tenho vindo a mostrar alguns recortes há uma secção dedicada a obras públicas nos primeiros trinta anos do Estado Novo.

Aí se escreve que "quando em 1932 foi criado o ministério da Obras Públicas e Comunicações nós partíamos, pode dizer-se, do zero total: não existiam serviços devidamente montados, nem técnicos competentes que fosse possível recrutar.
A arquitectura era profissão totalmente desconhecida que se debatia numa tremenda crise, pois raríssimo era o arquitecto que lograva pelo seu trabalho ganhar o bastante para viver: os projectos de edifícios particulares-de construções públicas nem se fala, pois era coisa já esquecida em Portugal- eram confiados aos mestres de obras e a simples operários..."

É certamente a este panorama social que se referem os sousas tavares quando falam da miséria salazarista. É uma miséria que os monárquicos como a família do dito e os republicanos como ainda mais família do dito acaparavam.
O Estado Novo em trinta anos e sem …

Justiça: espera-se o pior, do PSD

Observador, Luís Rosa:

1. Vamos ser claros: quando Rui Rio e os seus porta-vozes para a Justiça falam insistentemente da violação do segredo de Justiça e do suposto papel nefasto da imprensa para a presunção de inocência dos arguidos não estão a falar para os cidadãos comuns. Estão a dizer que querem proteger e defender as diferentes castas da classe política e da administração pública do escrutínio da comunicação social. Por outras palavras: querem impedir que os jornalistas façam o seu trabalho.
Estas intenções foram reforçadas este sábado com uma entrevista que Mónica Quintela, a porta-voz do PSD para a Justiça, concedeu ao Expresso. É certo que o programa para a Justiça de Rui Rio ainda não foi apresentado, mas as declarações de Quintela, a conhecida advogada de Pedro Dias, são mais um indicador que se espera o pior no que ao combate à corrupção diz respeito.
Advogada inteligente, Quintela bem vai jurando que não está “posta em causa a liberdade de imprensa, de expressão …

O Estado Novo visto no seu tempo por quem nele acreditava

O que vamos sabendo do que foi o Estado Novo, ao longo dos últimos 40 anos, resulta de informação veiculada pelos intelectuais do actual regime que se esforçaram por escrever e contar uma versão da História diversa da Realidade que então era apresentada.

Nesse tempo dos anos 30 a 60 do século passado os acontecimentos da nossa vida colectiva eram apresentados pela informação do regime de então de um modo que não integrava todas as correntes de pensamento. A oposição de esquerda comunista não era vista nem achada e ainda por cima era censurada.
Porém, nem isso impedia uma boa parte da imprensa da época de ter nas suas redacções jornalistas dessa mesma esquerda que faziam o que podiam para transmitir mensagens ideologicamente encriptadas no que escreviam.
Há inúmeros exemplos disso, de ludíbrio dos coronéis reformados da Censura, o que denota uma aparente incompetência que só poderá ser condescendência para com a incompetência  e mediocridade dessa mesma oposição.
Não é segredo para ni…