segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Corrigan, o Agente Secreto X-9


Nos anos setenta costumava ler o Jornal de Notícias quase todos os dias e a página que mais  procurava, durante a semana, era esta que trazia as historietas do Agente Secreto X-9, publicadas no jornal e vindas da América por via da agência King Features Syndicate que distribuía as "tiras" pelas publicações de todo o mundo que as compravam à referida agência.

O Jornal de Notícias publicava esta historieta há décadas, desde o final dos anos quarenta. Nessa altura tinha um outro desenhador, o célebre Alex Raymond que também desenhou Flash Gordon e também teve ao longo das décadas mais sete desenhadores, para além de colaboradores ocasionais deste ou daquele. 

Porém, a mim impressionam-me mais os desenhos de Al Williamson que retomou a série, logo no início de 1967 e a continuou até  2 de Fevereiro de 1980, acompanhado dos argumentos de Archie Goodwin. 

Em 1971 Al Williamson estava no auge da sua arte gráfica a preto e branco e nos anos a seguir mostrava-o diariamente nas tirinhas, com duas ou três cenas que o jornal publicava, junto a outros, como se pode ver acima na edição de 26 de Abril de 1974 em que decorria a historieta prestes a terminar chamada Poker de morte, desenhada em 1973.

Não me recordo da primeira vez que a série me chamou a atenção. Talvez tenha sido em 1972, com esta sequência de uma historieta original, de 1971, O prisioneiro do mosteiro, em que aparece a figura de dr.Seven, à imagem dos vilões dos filmes de 007.



Por outro lado um dos aspectos particulares que me prendeu a atenção foi a figura do mosteiro no alto de uma montanha, neste caso em Kalipur, entre a Índia e a China.
O tema dos mosteiros misteriosos regressaria mais tarde, mas nos Andes. Duplamente estranho e exótico.  Nessa altura tinha já ouvido falar dos mosteiros dos budistas, mas no Tibete ou nos Himalaias, não nos Andes.
O desenrolar da historieta, com os desenhos de carros e ambientes conquistou-me para seguir diariamente a leitura numa época em que descobria o Tintin e o Jornal do Cuto.

As imagens supra são extraídas de colectâneas italianas da revista Eureka, no caso a edição Bum!, de Maio 1974.


Esta revista Eureka, periódica, publicou ao longo dos anos, de 1971 a 1978, a maior parte das historietas de Corrigan, Agente Secreto X-9, da autoria de Al Williamson e Archie Goodwin. Por vezes reunia vários episódios, publicados originalmente ao longo de meses ou anos.

Como é que conheci esta revista? Através da informação obtida de um dos especialistas nestas matérias da bd, particularmente desta série: José Matos-Cruz,  que nos anos setenta era um dos colaboradores da revistinha Mundo de Aventuras, distribuida pela Agência Portuguesa de Revistas.

No nº 5 de 1 de Março de 1976 JMC resumia assim a saga do Agente secreto X-9 na versão de Al Williamson.


Para além disso, José Matos-Cruz assinou vários artigos, nos anos oitenta, num jornal do Porto, eventualmente o Comércio do Porto ou O Primeiro de Janeiro, acerca da personagem e da cronologia de publicação em Portugal, no Jornal de Notícias, das historietas, ao longo dos anos.

A partir deste vademecum tornou-se mais fácil reunir toda a  informação relativa à série, particularmente à que tinha sido publicada na revista italiana, uma vez que em Portugal os episódios, na sua esmagadora maioria tinham sido publicados diariamente no Jornal de Notícias, tal como o acima mostrado.
Não obstante, ao longo dos anos da década de 70 e 80 a Mundo de Aventuras foi publicando alguns desses episódios, por exemplo nos números 354, de 1 de Julho de 1980; 379 de 15 Janeiro de 1981 e 427 de 17 Dezembro 1981, para além de outros, um pouco mais de uma dúzia.

O jornal do Cuto também publicou em pelo menos duas edições- no nº 118 de 5 Novembro de 1975 e  127 de 7 Janeiro de 1976 historietas da mesma autoria. ambas de 1974 , Lady Vingança e O roubo do toteme maya.

Além das publicações em revistinhas, também se publicaram alguns álbuns. poucos,  nas edições 70 e Futura.

Toda a beleza gráfica da série pode ser vista nestes exemplos tirados de vários números da Eureka italiana e relativos a historietas dos anos setenta, mas nada substitui o papel verdadeiro, o toque real na impressão gráfica do jornal ou revista.

Na sequência do episódio do prisioneiro do mosteiro, apareceu cerca de dois anos depois, em historieta original de 1973, publicada no jornal já em 74, a historieta do mosteiro nos Andes. A transição da historieta anterior- Cassa da morto per um vivo, no título italiano, ocorria assim, tal como publicada na Eureka super Giallo, de 2.3.1975:


E a sequência publicada na Eureka Thrilling. de 7 de Julho de 1976, assim, com o título Il condor delle Ande em que reaparece o arquivilão Dr. Seven:






Ao longo das historietas do Agente Secreto X-9, Corrigan, aparecem desenhos fantásticos de pessoas, objectos, carros , ambientes naturais, etc etc.
Alguns merecem destaque.

Pessoas ( suspenso sullo stardock I, Eureka supergiallo 2 Março 1975):


Objectos ( Eureka Supergiallo Março 1975, cassa per um morto per un vivo, de 1973)


( Eureka Supergiallo Março 1975, chi a rubato il micidiale virus x?, 1972)


Carros (Eureka Supergiallo Março 1975, Il mistero dei monaci buddisti, 1972)


(Eureka Summer Maio 1972, Le tre missioni, 1968)


(Ambientes Eureka In Giallo Julho 1977, Il drago di ferro, 1974)


Em 2012 descobri que a editora IDW Publishing da California começara a publicar em 2010,  livros grandes, em formato quadrado, com a recolha de todas as historietas de X-9 Secret Agent Corrigan, em três tiras por página e próximas por isso do formato original das pranchas de Al Williamson que deveriam ser do tamanho de meia folha A3.

Ao todo foram publicados seis volumes ( o último com histórias do tempo de Alex Raymond) e o primeiro livro que comprei foi o que compreendia as historietas saídas entre 1972 e 1974, as que recordava melhor e talvez as de maior qualidade gráfica.


Não obstante o cuidado na reprodução das tiras a verdade é que  sendo todas a preto e branco, muitas delas ficaram com o negro demasiado saturado e que prejudica reprodução das linhas mais finas e dos contrastes entre negro e cinza que nas páginas acima se podem ver melhor.
Um exemplo, tirado do volume 5, com as três últimas tiras desenhadas por Al Williamson para a série e publicadas entre 31 de Janeiro e 2 de Fevereiro de 1980:


Por outro lado a textura do papel, demasiado grosso e diferente do papel de jornal onde se publicavam originalmente também retiram a patine que lhes dava o toque que aquelas revistas italianas ainda mantêm.

Comparando uma tira da historieta Poker de Morte de 1973:

A versão que apareceu no JN de 26.4.1974:



A versão dos italianos da Eureka Thrilling, de 7 de Julho 1976:



E a versão do livro de 2012 que se serviu das pranchas originais de Al Williamson e que por isso deveria ser exemplar:



Outro exemplo, mais explícito:

Eureka Super Giallo 2 Março 1975, duas tiras da historieta Suspense sullo stardock Iº, de Maio de 1972:


Volume 3 de x-9 Secret Agent Corrigan, 2011:


É notória a saturação dos negros no casaco de Corrigan, no livro, que deveria ser exemplar, uma vez que é supostamente reprodução das pranchas originais do artista. O mesmo acontece no pormenor da arquitectura da espécie de chaminé da casa e ainda do pequeno arbusto no canto inferior direito.

Ah! Se fossem os italianos das artes gráficas a tratarem disto, que maravilha não ficaria!

A seguir ao afastamento de Al Williamson que foi desenhar historietas de Star Wars, por conta de outro patrão ( George Lucas) apareceu outro desenhador, George Evans, mas nunca mais foi a mesma coisa, como se vê por esta tira dos anos oitenta, do Jornal de Notícias.


Sem comentários: