quarta-feira, 31 de outubro de 2018

iiii! Os blogs...é uma vergonha!

 O editorialista Mário Ramires do grupo de imprensa que sustenta o jornal i e o Sol, aprontou esta prosa na edição de hoje, sobre blogs, no caso os que denunciaram certas facetas de um clube de futebol que tem um estádio pintado de vermelho, junto ao "eixo sul-norte", em Benfica:

Se as chamadas toupeiras de Paulo Gonçalves ou do Benfica, segundo a acusação, prestavam informações a troco de bilhetes para os jogos no Estádio da Luz, acesso às chamadas zonas VIP e ainda camisolas assinadas por jogadores, o que será que darão em troca tais blogues, ou quem estará por trás deles, às doninhas que lhes libertam estes documentos?

Ou não há toupeiras nem doninhas e há para aí hackers que, além de violarem os emails do Benfica, pelos vistos agora também conseguem aceder à base de dados do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP)?
(...)
Ora, seja pelo “sistema” ou por simples clubite, a verdade é que a justiça civil parece estar também, e cada vez mais, contaminada pelo mesmo mal.

Assim não sendo, já há muito que estes blogues anónimos teriam rostos e responsáveis. Porque, como diz o povo, ou há moral ou comem todos.

Daí que, perante estes novos desenvolvimentos, seja estranha a inação do Ministério Público e o silêncio da nova procuradora-geral da República, Lucília Gago. Não é, de facto, um bom prenúncio para o mandato que ainda agora está a começar
.

Esta iniciativa mediática de fazer intervir a PGR num assunto que em princípio abstracto não deve ( não compete à PGR erigir-se em órgão de censura tout court) tem barbas. Em tempos que já lá vão há mais de dez anos houve também quem fizesse as mesmíssimas figuras de fiscal de blogs "anónimos" para fustigar autores conhecidos mas não expostos com nome, bi e cartão de contribuinte, ou cartão de cidadão, cujos escritos lhes desagradavam. 

Escrevi então assim, em 16 de Janeiro de 2007:  

Hoje, na Comissão de Assuntos Constitucionais, na audição do presidente do Conselho Superior do Ministério Público ( CSMP), o Procurador Geral da República, disse sobre algumas matérias o seguinte:

"Toda a gente é culpada na violação do segredo de justiça: magistrados, funcionários, polícia judiciária, advogados. Solução para isto: não sei."

"Seja qual for a lei o segredo de justiça será sempre violado."
"Eu não tenho solução nenhuma para o segredo de justiça."

Numa das interpelações, a seguir a estas declarações, uma deputada do PS, Catarina de sua graça, lembrou-se de focar o problema magno dos blogs que "insinuam", e acusam de forma anónima ( que horror!) , mencionando expressamente "casos" de blogs que foram alvo de queixa e solicitando ao PGR se não terá conhecimento dos casos...
Ora bem: a resposta do PGR, sobre este assunto, foi muito breve e esclarecedor:

"Os blogs é uma vergonha"( sic). "É um exercício indigno do direito". "Eu pedia que não me trouxessem blogs".

Estamos entendidos.


Honra seja feita ao antigo PGR que não ouviu as vozes de burros e burras que então zurraram bem alto na AR, limitando-se a fazer coro com elas.
Porém, como se pode ler, o espírito censório permanece activo nas mentes de quem tem da liberdade um conceito muito peculiar, para me ficar pelo eufemismo. 

Há jornalistas que seriam bons censores. Mário Ramires é um deles.  E é o único accionista da empresa que detém os jornais.

Quem é Mário Ramires? Um milionário dos media ou apenas um testa de ferro? É a pergunta que se impõe e que é bem mais interessante do que saber a identidade dos bloggers anónimos...



CM de 31.10.2018

Sem comentários:

A corrupção larvar em Portugal