sábado, março 02, 2024

O Ministério Público em congresso nem é notícia!

 O Ministério Público organizou um XIII Congresso com alguns oradores programados. Começou na Quinta-feira passada e decorre até amanhã, em Ponta Delgada. Segundo imagens televisivas, tem relativamente pouca gente a participar, certamente por causa do local de realização. Tem a particularidade relevante no contexto actual, da presença do director-nacional da PJ, Luís Neves e poucas figuras mediáticas, mesmo da magistratura.

As notícias sobre tal evento, numa altura de grande agitação mediática com o Ministério Público, provocada por intervenções acutilantes de "diversas fontes e proveniências" contra a instituição, hoje, terceiro dia de congresso, é assim espelhada nos media: 

No CM nenhuma notícia específica e detalhada ou com fotos. Apenas comentários...um deles, o de Eduardo Dâmaso já actualizado com referências ao discurso da PGR, Lucília Gago, mas sem grande exposição. 


A única notícia a "fechar" é esta, já atrasada e de quinta-feira à chegada ao local da PGR:


O Público requentou tal notícia,  a páginas tantas numa esquina do jornal, dando a entender que o discurso foi sempre o mesmo, nestes dois dias:


Portanto, nenhum órgão de informação, nem sequer a tv, deu qualquer destaque especial ao congresso, neste momento e contexto político-social. Isso pode significar o quê, pelo menos nas redacções editoriais dos media? 

Pelo menos que ninguém quer saber do que o Ministério Público tem a dizer em congressos. Nada de nada. Nem sempre foi assim, uma vez que em congressos anteriores houve uma atenção bem mais presente e cuidada, com entrevistas e reportagens do local. 

Pensando bem, esta omissão noticiosa talvez se justifique...porque aos media apenas interessa o sensacionalismo sempre que estejam em causa personagens como esta, bem noticiada no CM de hoje, com uma relevância semiótica bem superior:


O primeiro-ministro demissionário vai dedicar-se ao rentável negócio da advocacia dos negócios e emparelhar com aqueles que normalmente estão contra o Ministério Público, sendo obviamente uma das "forças" e "proveniências" dos ataques ao Ministério Público no contexto actual. 

A notícia é por isso eloquente e significativa. Espectacular mesmo! O socialismo tipo PS sabe sempre a quem se aliar: aos poderosos do meio...e este manhoso em particular só engana quem quer ser enganado.

Quem quiser saber o que está mal na justiça, para estes figurões da advocacia que defende entalados excelentíssimos e foge aos tribunais comuns, porque se refugia nos arbitrais, pode ver e ouvir um certo Proença de Carvalho, neste video exemplar...

Sem comentários:

Megaprocessos...quem os quer?