segunda-feira, junho 17, 2024

Explicações para quem come gelados com a testa ( segundo Rui Rio)

 Observador:

Explicação de um indivíduo que tinha toda a confiança do PM António Costa, para o dinheiro que lhe foi encontrado escondido em vários sítios do Gabinete, contíguo ao daquele:


Qualquer pessoa que tenha um módico de senso comum, entende que alguém não se lembrar de 60 mil euros escondidos em lugar esconso num Gabinete de Governo não é normal. Ou seja, melhor dito é uma rotunda mentira, no contexto do assunto. Esse contexto foi a busca realizada ao dito Gabinete e depois de descoberto o pecúlio a primeira reação do dito, foi bem mais coerente: "esse dinheiro não é meu!"

O advogado do dito, o inefável Tiago Rodrigues Bastos, depois dessa gaffe, corrigiu logo na hora: o dinheirinho era do cliente, afinal. Tinha esquecido que o recebera de serviços prestados a angolanos. Como se estes pagassem em nota e dinheiro vivo assim, sem mais. E ainda por cima sem que o dito e putativo beneficiário tivesse interesse em escondê-lo e não depositá-lo numa conta bancária como fazem todos os que não são habilidosos ou pior que isso. Pior que isso...

Enfim, uma tristeza que os tribunais não costumam engolir em casos de droga ou outros similares, porque a explicação atenta contra a inteligência mais básica e comum.

Será que o PM António Costa nada tem a ver com isto? Aceitam-se palpites. O meu é que tem. E muito.

Só que a onda mediática de apoio não quer ver estas coisas, nem sequer mencionar as mesmas. A informação que temos é isto. E depois queixam-se de que não têm quem os leia...e pedincham subsídios ao Governo para poderem continuar a fazer o jornalismo do género que não incomode o Governo. E este vai dar. 

Sem comentários:

O Ministério Público a la carte