Páginas

terça-feira, 3 de julho de 2012

Em França ninguém teme a judicialização da política...

Sapo:

Vários oficiais da polícia financeira e o juiz do Tribunal de Bordéus Jean-Michel Gentil estiveram esta terça-feira, de manhã, na casa de Carla Bruni e de Nicolas Sarkozy, no 16.º bairro de Paris, e nos escritórios da sociedade de advogados Arnaud, Claude e Associados, do qual o político francês é sócio, avança a edição online do jornal francês Le Monde.
As autoridades francesas estiveram ainda no antigo gabinete presidencial de Nicolas Sarkozy.
As buscas decorrem no âmbito da investigação relacionada com o alegado financiamento ilegal da campanha de Nicolas Sarkozy, em 2007. O ex-governante terá recebido doações ilícitas - no valor de 150 mil euros - da mulher mais rica de França e herdeira da L'Oreal, Liliane Bettencourt.


Repare-se: trata-se da investigação de factos relacionados directamente com financiamento ilegal de campanha eleitoral. Não se trata de corrupção ou coisa que o valha.
Por cá, uma busca numa sede partidária ou à casa de um figurão deste calibre nunca se fez. Porquê?
Por causa da "judicialização da política". Voilà!

Entretanto, em Paris, um figurão deste calibre, anda refugiado numa escola superior a ganhar currículo para um futuro incerto mas ambicioso e vive de rendimentos sem que os mesmos sejam conhecidos. Ninguém se rala.

5 comentários:

Mani Pulite disse...

O figurão francês está prudentemente no Canadá.O figurão português está prudentemente em Paris.Muitos dos cúmplices de figurão português estão prudentemente em São Bento e arredores.

lusitânea disse...

Por cá os colarinhos brancos democratas são uns autênticos guerrilheiros legislativos.Armadilham tão bem que nunca, mas nunca podem ser apanhados.Só com os malfadados tribunais plenários...

Floribundus disse...

ainda há quem pense voltar aos tribunais populares

JC disse...

Armadilham bem e colocam generais seus nos respectivos Estados-Maiores.

Streetwarrior disse...

Deixem-se de teorias da conspiração Pah.
As coisas são assim porque ...assim são.
Resignem-se!!