quinta-feira, setembro 22, 2022

Costa plantado perante um caso...

 CM de hoje:


Tal&Qual de ontem:



A informação destes jornais é escassa, para além do facto em si, de A.Costa ter adquirido um "andar" ( como se diz em Lisboa)  e ter declarado em Maio de 2021, no TC o negócio, a par de um outro, anterior, realizado em 2018 e resolvido em 2021 através de uma venda. 

A questão que ambos os jornais apresentam é simples de responder, mas o manhoso de sempre, refugiou-se na declaração do T.C. 

Aparentemente, o preço de aquisição é uma "pechincha" como escreve o Tal&Qual e por isso suscita curiosidade por vir de alguém que tem de estar acima de qualquer suspeita e não fazer as figuras do seu antigo primeiro-ministro, preso por corrupção e a aguardar julgamento, em liberdade e enquanto protesta inocência, atacando o MºPº por uma cabala gigantesca em que aliás ninguém acredita, no mesmo número do Tal & Qual que lhe dá guarida para escrever ignomínias, ofensas e dislates inenarráveis. O cúmulo é queixar-se de atrasos na justiça quando os seus advogados são os primeiros responsáveis por tal...

Assim, a questão a que A. Costa tem que dar resposta é simples: comprou o "andar" em "planta" ou agora, no ano passado? E outras decorrem desta: se foi em planta qual o preço combinado em contrato-promessa ( escrito ou verbalizado...)? E quem intermediou estes negócios? E ainda se comprou em "planta" como se compreende que tenha comprado outro "andar", numa cave, em 2018, num negócio tido como estranho por causa da localização?

O que esconde o manhoso Costa, neste caso? Terá alguma coisa a esconder? A resposta só o mesmo a poderá dar e já tarda.

Sem comentários:

Dantes havia mais corrupção?