terça-feira, setembro 27, 2022

Os Russos

 Nos anos setenta, aí por 1977, foi publicado em Portugal um livro de um jornalista americano do NYT, correspondente em Moscovo e que então ganhou o Pulitzer, com o escrito. 

aqui mencionei a obra...que me marcou e influenciou a forma de olhar para a Rússia e os russos. No postal referido referi que José Milhazes contava agora episódios muito semelhantes ao que então lera em tal livro e que Milhazes não lera a tempo de arrepiar caminho e dar atenção ao que os familiares da Póvoa lhe diziam sobre o comunismo. Enfim, os crentes só começam a duvidar quando levam na própria cabeça e sofrem com isso. Antes, os outros é que estão enganados... 

 


Agora foi publicado outro livro sobre russos, de uma certa categoria: os que tomaram o poder político e económico na Rússia após a queda do Muro e o colapso da União Soviética.

Tal como aquele, foi escrito por uma jornalista, neste caso do Financial Times, que vive em Londres e era correspondente em Moscovo e repórter do jornal Moscow Times e da Business Week, na Rússia. 

Tal como no caso do jornalista Hedrick Smith é fácil desvalorizar e denunciar o trabalho como propaganda, vinda do "Ocidente" numa altura de guerra e aviltando a mensageira de algo que não agrada. Foi o que fizeram os comunistas e outros que em 1977 não deram importância alguma ao que vinha denunciado naquele livro e que afinal espelhava a realidade da Rússia de então e que acabou por desfazer a União Soviética, cerca de uma dúzia de anos depois. 

Não obstante, contra factos pouco adiantam os argumentos e os factos apresentados logo no início são estes que ficam aqui para amostra. Ou são verdadeiros ou são falsos porque não são apenas opinião.








E as fotos para mais tarde recordar...do desgraçado Pugachev ( e outros da entourage). O relato que o mesmo faz do que aconteceu consigo pode ser julgado como parcial, tendencioso, falso até em alguma parte. Uma coisa porém, revela: factos relativos à organização de poder da entourage de Putin e da Rússia actual. Julga-se que não serão fotos como as do tempo de Estaline em que se apagavam figuras caídas em desgraça...




Não há no "Ocidente" ( Europa e EUA)  nenhum governo ou regime que se assemelhe a isto e que denote esta mancha de corrupção política se assim se quiser entender ou então este modo de organizar o poder, entregando a oligarcas o exercício do mesmo e deixando o povo aguentar sem se queixar porque não pode. Não há comparação entre isto e o que se passa nos EUA e no Reino Unido com o poder económico disseminado em empresas privadas. Nada de nada. 

Isto é o retrato da Rússia tal como contado pelo desgraçado Pugachev em discurso directo depois de cair em desgraça e se ver acossado pelos antigos amigos do KGB que estão no poder.







A única forma de ignorar isto e retirar as devidas conclusões é dizer- e demonstrar de algum modo- que é tudo falso, é tudo propaganda e que tudo isto se destina a falsear a imagem de um Putin que não é nada disto...

Alguém será capaz de tal feito?

Sem comentários:

Dantes havia mais corrupção?