terça-feira, 2 de abril de 2019

Nepotismo, endogamia e oligarquia

Observador:

Manuel Villaverde Cabral lembra um facto não muito distante e que porém está esquecido, sobre a oligarquia governante:

Vale a pena recordar o escândalo nunca criticado pela opinião pública que constituiu então o facto de vários advogados do mesmo escritório ocuparem simultaneamente, ao tempo dos governos Guterres, os seguintes lugares cimeiros da oligarquia: Presidente da República (J. Sampaio); ministro da Justiça (Vera Jardim); bastonário da Ordem dos Advogados e depois ministro da Defesa (Júlio Castro Caldas); e finalmente um jovem secretário de Estado e depois ministro dos Assuntos Parlamentares chamado António Costa… Em suma, há em Portugal situações tão profundamente entrecruzadas que por si só denunciam a omnipresença da oligarquia!

Sem comentários: