sábado, 8 de dezembro de 2018

A Justiça a cheirar a esturro...

Sol de hoje:


Não percebeu mal, o editor do Sol. Percebeu apenas de menos. O inquérito ao juiz C. Alexandre foi instaurado instantaneamente por este ter violado um suposto dever de reserva. E foi ainda accionado o mecanismo seguinte, de processo disciplinar, por ter violado mais dois deveres de funcionário público: o de prossecução do interesse público e o de correcção. Por ter deixado entender que queria o processo em causa para si e por ter falado num colega...
Quanto ao interesse público basta ver quem põe mais em causa tal valor. Se o juiz da esquerda, se o da direita. E quanto à correcção em não falar de colegas, o vice-presidente do CSM falou nos dois que são colegas. E até o fez a "título pessoal"...


Sem comentários:

A corrupção larvar em Portugal