Páginas

sábado, 10 de agosto de 2013

Volta, Relvas. Estás perdoado.

Expresso online:


Rui Machete adquiriu ações do grupo BPN ao valor nominal de um euro quando era presidente da Fundação Luso-Americana (FLAD). Já a FLAD pagou 2,2 euros por ação.

Estas ações tinham opção de recompra a um preço de 2,86. Contactado pelo Expresso, Rui Machete não explica porque comprou ações a um preço inferior ao da instituição que presidia.

A entrada de Machete no grupo de Oliveira Costa é em tudo idêntica ao investimento feito por Cavaco Silva entre 2001 e 2003. 


Este indivíduo, um dos piores exemplos do que a política portuguesa produziu nas últimas décadas, não explica nem precisa de explicar o que é óbvio e conduziu ao escândalo BPN, às PPP´s, ao forrobodó do despesismo, ao novo-riquismo cavaquista e a tantas outras situações que nos conduziram até ao lugar onde nos encontramos.
Escolher um indivíduo destes para um governo é não entender nada de nada do que é essencial, hoje, para Portugal. 
Antes o Miguel Relvas que este exemplar que só exala cheirete a política podre.

6 comentários:

Floribundus disse...

as pessoas sérias não aceitam ser políticos profissionais.

as várias legislaturas mostraram que a AR é uma 'montureira' humana.

o que me aflige não é a podridão das empresas privadas porque a falência as espera.
o que me incomoda como contribuinte é a ruinosa condução dos negócios do MONSTRO que recebe a alcunha de estado 'a que isto chegou'.

o problema do BPN só existiu após nacionalização.

o país fede com a baixa politica

Mentat disse...

“Escolher um indivíduo destes para um governo é não entender nada de nada do que é essencial, hoje, para Portugal.”

Não me parece que “escolher” seja o verbo correcto a aplicar.
Acho que “impor” será mais adequado.

Agora se PPC aceitou a “imposição” do cavaquismo, por patriotismo ou por conveniência pessoal é coisa que ainda não descobri.
.

Maria disse...

Esta personagem, Machete, sempre me causou uma certa alergia desde que se iniciou na política, mas sempre o respeitei por pertencer ao meu partido d'eleição. Há qualquer coisa de muito estranho na sua maneira de falar e especialmente no seu sorriso (meio cínico?, fingido?, traidor desde sempre ao partido que representa?).
E porque é que os partidos do governo o foram buscar para M.N.E.? Uma criatura que esteve décadas à frente de um organismo essencialmente norte-americano, o que já de si seria razão suficiente para não o fazerem? Já para não falar na sua idade avançada que, pela lógica natural das coisas, seria motivo incontestado para não lhe entregarem semelhante cargo.

A 'história' (mal fabricada) de que a administração norte-americana torceu o nariz a esta nomeação de Machete por não ter gostado do seu desempenho à frente da F.L.A., é mais uma aldrabice monumental atirada para o ar a juntar às milhares em que a comunicação social tem sido fértil ao longo dos anos.

Primeiro, porque se o seu desempenho na F.L.A. não tivesse agradado à administração norte-americana, ele simplemente não teria ocupado o cargo.
Segundo, porque o homem deve ser maçon, pois caso o não fosse os seus podres (nas suas várias vertentes e não só no B.P.N.) já teriam saltado em parangonas em todos os jornais de Portugal Continental e Ilhas Adjacentes há dezenas d'anos.
Terceiro, consequência das duas anteriores, porque este espécime muito estranho (repito) por mais trafulhices e/ou traficâncias que tenha praticado ao longo dos anos, na sua vida política e não só, não corre o menor perigo, está protegidíssimo pela maçonaria mundial por interposta maçonaria caseira. Só perderia algum prestígio pessoal, que não o político..., se tivesse sido apontado a dedo pelas crianças da Casa Pia como seu abusador sexual... E mesmo assim, talvez e só talvez - vide os muitos políticos comprovadamente pedófilos, ainda em funções ou que nelas tenham estado e no entanto andam por aí livres que nem passarinhos a frequentar tudo quanto é público: festarolas, comícios, jantaradas, teatro, cinema, etc. (uma pessoa da minha família viu o Ferro Rodrigues, ainda não há muito tempo, resfastelado a assistir a um filme no cinema Monumental...), todos satisfeitos da vida sem que a Justiça, refém do sistema, se atreva a tocar-lhes sequer com uma pena.

Maria disse...

Leia-se F.L.A.D., no terceiro parágrafo.
Maria

Pedro Marcos disse...

Maria, grande lucidez no seu postal.

"A 'história' (mal fabricada) de que a administração norte-americana torceu o nariz a esta nomeação de Machete por não ter gostado do seu desempenho à frente da F.L.A., é mais uma aldrabice"

Nem mais: é a confirmação da escolha Inglesa/Norte-americana.

Aladdin Sane disse...

Não poderá ter a "escolha" de Machete sido uma imposição de Cavaco Silva? Uma contrapartida à viabilização da remodelação governamental?

Afinal, dá sempre jeito ao PR ter um homem de confiança no Governo que, se preciso for, corre a relatar o ocorrido nos Conselhos de Ministros.