quinta-feira, março 31, 2022

Os émulos de Buridan

 Artigo de Paulo Tinhas no Observador de hoje em que menciona esta parábola a propósito de certos espíritos demasiado, ia dizer cépticos, mas não: demasiado indecisos...e que são uns signatários de um abaixo-assinado à maneira. O recado é para estes e como se vê não podia lá faltar o celebérrimo professor Buonaventura, do CES de Coimbra e jubilado da cooperativa de Barcouço dos tempos de antanho:

1- Ana Margarida Carvalho, escritora;2- Artur Pereira, consultor de comunicação;3- Boaventura Sousa Santos, sociólogo e professor catedrático jubilado; 4- Carmo Afonso, advogada;5- César Viana, compositor e maestro;6- Cíntia Gil, programadora de cinema;7- Constança Cunha e Sá, jornalista;8- Dino Santiago, músico;9-Francisco Baptista, capitão de mar e guerra (ref);10-Francisco Mangas, escritor;11- Gustavo Namorado, advogado;12- Isabel do Carmo, médica;13- João Rodrigues, economista e professor universitário; 14- Júlio Cardoso, actor e encenador;15- Miguel Januário, artista;16- Nuno Ramos de Almeida, jornalista;17- Paula Godinho, antropóloga e professora universitária;18 -Pedro Tadeu, jornalista;19- Raul Cunha, major-general (ref);20 - Viriato Soromenho-Marques, filósofo e professor universitário.










Na França a revista deste mês, Philosophie inventa uma conversa com três grandes filósofos do pensamento ocidental e europeu para mostrar diferentes perspectivas sobre o mesmo assunto, a guerra como vento da História:


 



E a opinião de dois filósofos russos, um deles incógnito por causa da liberdade de expressão na Rússia...



Sem comentários:

O MºPº segundo Cunha Rodrigues