Páginas

domingo, 3 de junho de 2012

As comparações são inevitáveis...

Recebido em correio electrónico:

"Ponte SALAZAR”  

Esta ponte de todos conhecida, é contudo caracterizada por algo muitíssimo estranho e incomum.
 -Foi construída dentro do prazo e dentro do orçamento.
- Ou melhor dizendo, não custou três vezes mais do que o previsto e não demorou o dobro do tempo a ser feita.
-Com a sua construção ninguém enriqueceu, nem subitamente foram feitos depósitos nas Bahamas. 

-O Ministro das Obras Públicas da altura, quando saiu do governo, não foi para presidente do conselho de administração da empresa da ponte. 

Evidentemente que estas coisas de tamanha evidência bradam contra esta democracia que temos. Não bradam necessariamente contra a democracia, mas sim contra esta democracia e sistema que engendramos, com aqueles que mandaram em Portugal nas últimas décadas.

40 comentários:

lusitânea disse...

Ponte Salazar.Lá já não tem as antigas letras.Mas os "progressistas" não conseguiram mudar o nome em 200000 moedas de prata.
A APSIC da altura fez-me perder a inauguração porque era branco... a de agora continua a lixar-me porque pelos vistos ainda não mudei de cor...

David Castro Costa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Floribundus disse...

para mim será sempre ponte sobre o Tejo.

este socialismo corrupto desgraçou os contribuintes portugueses
e ninguém será condenado por corrupção.
vão continuar a viver vida de nababos e um milhão a sobreviver dos bancos alimentares

esta noite (4,5 h) um anónimo deixou esta frase no meu e-mail «Grande f da p». agradeci. nunca me tinha chamado Grande.

Wegie disse...

APSIC - Instituto de Apoio e Acompanhamento Psicológico à Criança

lusitânea disse...

APSIC-Acção psicológica(propaganda) visando um fim.

Carlos disse...

Pura e primária demagogia.

Dando como verdadeiro o teor do "post", comparem também: Indice de pobreza, analfabetismo, mortalidade infantil, saúde, etc.,etc..

Quero ainda reafirmar: querer comparar a ditadura vs. democracia, com o exercicio sómente dos seus protagonistas (dirigentes), é um claro exercicio de desonestinade intelectual, ou um mero acto de militância, marcadamente ideológico.

josé disse...

Objectivamente o que se deve comparar é apenas isso: o modo como se faziam as obras públicas.

O resto é espúrio. Objectivamente não havia a corrupção que hoje existe em barda.

E para explicar o fenómeno haverá sempre teóricos, porém o que me interessa é saber que não havia e agora há. Em plena Liberdade que não é liberdade nenhuma porque esta só se cumpre no respeito pela lei, ética e direito.
O que agora existe é uma Liberdade formal orientada por uma oligarquia de interesses que nem tem comparação com o antigamente, tão vilipendiado.

josé disse...

O principal problema nacional é este aqui exposto: a incapacidade em se reconhecer que o regime anterior tinha méritos que suplantam em alguns casos o regime democrático.

Ainda há o complexo de esquerda, sempre presente para discutir estes assuntos e que torna inútil a conversa de surdos.

Com uma agravante: a esquerda, mesmo a democrática como agora se diz, dantes não o era nada porque defendia um regime de liberdades muito mais condicionadas do que existia no salazarismo.

E são incapazes de o reconhecer e retirar daí as devidas consequências.

lusitânea disse...

Pois comparem as dívidas e a insustentabilidade.E comparem depois de as pagarem...
Um sobado na Europa é que é "bom"...

Filipe Silva disse...

O modelo de desenvolvimento de Salazar tinha excelentes resultados, taxas de crescimento acima de 6% ao ano, sem recurso a divida, isto é, o verdadeiro crescimento sustentável
Hoje temos um PIB inflacionado pela divida, sem esta o PIB real seria muito mas muito mais baixo
Vamos penar devido a este peso brutal da divida.

Era uma ditadura em que o peso do estado na economia era apenas de 15%, sendo hoje 51%
Hoje nada é feito sem que o Estado autorize, com as PPP e companhia vê-se bem a qualidade da democracia, esta Vaca sagrada


Interessante que se diga que era uma miséria, se utilizarmos o IDH no tempo da ditadura estavamos na posição 22 hoje na 44, em termos relativos (comparando com os outros países do mundo) estamos muito piores hoje.

Temos de ver que quando Salazar toma o poder, o atraso português que vinha da monarquia era avassalador, pedir mais naquela altura era difícil.

Não tenho qualquer afinidade com o sistema do estado novo, mas também não tenho por este sistema que hoje temos

miguel disse...

Ò homem,não diga isso.
Os dois observadores do fassismo,aqui do blogue,vão-lhe cair em cima.
Respeite o dogma de esquerda,faz favor!

josé disse...

O que se passou em Portugal estas últimas décadas foi um verdadeiro trunfo dos porcos, da incompetência, do nepotismo, da corrupção institucionalizada nos partidos ( é ler o que diz Garcia dos Santos sobre a JAE e o financiamento do PS que Cravinho não quis cortar rente e por isso se abastardou e foi para o estrangeiro ganhar baúrdios num BERD, sendo engenheiro de profissão) e outros desmandos.

A comparação é por isso mesmo inevitável porque se se comparar apenas a Liberdade então teremos que equacionar que só há Liberdade a sério quando houver...habitação, saúde, educação. E tudo isso seria melhor garantido num regime de seriedade na res publica do que nesta oligarquia de interesses instalados em que os partidos mandam em círculo fechado.

A maior ironia de tudo isto é que um partido de esquerda que em princípio devia defender o Estado enquanto barreira de protecção social contra o neo-liberalismo foi o maior obreiro das PPP que encheram os bolsos precisamente a essa casta de neos das empresas novas-ricas.

Incrível! E dizem-se de esquerda...

josé disse...

Foi a esquerda que nos afundou ( Cavavo é de esquerda, obviamente, embora seja social-democrata de boca) e será sempre a esquerda quem nos afundará.

Porque chega carregada das melhores intenções, convence os papalvos a votarem e depois é o descalabro sempre, sempre. As intenções esvaem-se na incompetência porque para fazerem coincidir a letra das promessas com a careta da realidade mudam logo par ao figurino neo-keynesiano e são comidos com cebolada pelos neos liberais que sacam ao Estado tudo o que podem e não podem.

E a Esquerda aplaude porque defende sempre os pobrezinhos.

Que cambada!

joao disse...

Cheguei ao fim da paciência com este blogue .vou tira-lo dos favoritos.
Só falta dizer que bom era o fascismo.
Inacreditável
Demorou algum tempo mas o José foi lá .

josé disse...

Afundaram-nos em 1975, em 1985 e agora. Sempre a Esquerda em nome dos pobres.

Afundam a economia e depois andam de chapéu na mão a pedinchar empréstimos ao FMI e a quem apareça.

FOi sempre assim.

Desminta quem puder.

josé disse...

joão:

não se deixe iludir com as palavras. Pense pela própria cabeça e chegará lá, eventualmente.

Citar o Salazar ou o tempo de Salazar não é ser adepto do "fassismo".

Citar o Salazar ou o Caetano, como prefiro é essencial para entendermos o que somos e o que fizemos.

josé disse...

joão:

não se deixe iludir com as palavras. Pense pela própria cabeça e chegará lá, eventualmente.

Citar o Salazar ou o tempo de Salazar não é ser adepto do "fassismo".

Citar o Salazar ou o Caetano, como prefiro é essencial para entendermos o que somos e o que fizemos.

miguel disse...

Não me tinha apercebido,havia um terceiro observador.

Carlos disse...

José,

Comecei por reconhecer a verdade do seu "post", logo não oculto o que de bom e bem, foi feito.

Agora, quando se pretente colocar as coisas numa lógica de ditadura ,onde tudo parece ordenado, e democracia, onde tudo dará em gatunagem, é que me parece um grave erro.

Em ditadura, tudo o que ponha em causa o regime é reprimido, até a fuga pelos seus agentes aos valores aparentemente defendidos pelo regime. Como é possível questionar a verdade sobre os dados fornecidos por um ditador, que não lhe dá a possibilidade de verificar e questionar os mesmos? Em ditadura, tudo é verdade desde que dita pelo ditador!
Já em democracia, todas as situações podem e devem ser corrigidas pelo povo. Assim o queiram.

Tem no entanto o José, e eu muitas vezes o reconheço, razão quando refere que a nossa democracia tem tido como principais protagonistas uma cáfila de gatunos, que mais não teêm feito do que destruirem o país. Mas isso é um custo a que os portugueses devem dar resposta. E sabe como, não sabe?

josé disse...

Agora, quando se pretente colocar as coisas numa lógica de ditadura ,onde tudo parece ordenado, e democracia, onde tudo dará em gatunagem, é que me parece um grave erro.

O que ponho em lógica tem sido sempre e apenas isto:

Os que atacam a ditadura de Salazar fazem-no em nome de uma ditadura muito pior. Os comunistas e extrema-esquerda em geral.

Sobram os sociais-democratas do PS. Os quais só assim se tornaram depois de 1974. Basta ler o que pensava um Manuel Serra que foi do PS, logo depois do 25 de Abril. E tinha sido comunista.

Os socialistas portugueses puseram o socialismo na gaveta muito cedo.

Antes de 1974 aliaram-se objectivamente aos comunistas. Em nome de quê? Do derrube da ditadura do Estado Novo. E quem era o PCP? O partido mais estalinista da Europa e continua a ser. O que pretendia e pretende o PCP? Instaurar uma ditadura em Portugal muito pior que a de Salazar.

Mas alguém tem argumentos para contestar isto?

Então porque andamos aqui a discutir balelas sobre a Liberdade com aqueles que não a respeitam minimamente e só a invocam para enganar as pessoas?

A ditadura do Estado Novo não a defendo. Mas também não defendo a comunista. Então porque é que os socialistas acham que o PCP deve fazer parte da democracia e negam esse direito aos tais adeptos de Salazar e Caetano?

Há alguma razão lógica que me escape?

zazie disse...

ehehehe

Já vem em 20. Mal li o título pensei logo que a matilha do combate anti-facista ia cair aqui que nem abelha em mel

":O))))

A pachorra que o José tem. É preciso muita caridade cristã para não tratar esta cambada a pontapé

N disse...

A pobreza é tão pouca que agora emigram mais Portugueses para fora daqui do que nunca.

Com a agravante de que sabem que na Europa ao contrario daquela epoca,o desemprego nas nações a emigrar é muito mais alto,logo a pobreza é maior e daí se explica tal desespero.

E alem do mais,todos têm divida para pagar,mesmo um bébé acabado de nascer,graças á divida que a canalha democratica causou fruto do constante saque que dura há mais de 30 anos.

Logo tabem somos mais pobres.

Isto monetariamente falando.

Porque se formos a falar de pobreza de espirito,isto hoje é um misto de bordel e carrossel.

Não sou salazarista,nem adepto do fascismo pouco fascista dele,que era mais nacional capitalismo clerical que outra coisa,mas a nivel de seriedade esta corja democratica não lhe chega aos calcanhares.

O 25 de abril foi um tragedia nacional...

Alguns acreditavam que tavam a lutar pela liberdade,os peões que foram utilizados...

Mas o verdadeiro motivo foi entregar as ex colonias á antiga urss e aos eua,e a nivel nacional capturar os cofres do estado para os roubar.


Sendo que os comunas eram satelite da administração sovietica que mandava na Russia.

O balsemão e soares eram os homens da cia.

O polvo bicefalo em que um controlaria a esquerda moderada marxista e o outro a direita liberal capitalista.

O chamado bloco central,a farsa da democracia,a ilusão de escolha para o gado,no fundo,a democracia...

Mas há uma coisa que une todos.

A administração sovietica da altura que mandava na Russia.

A administração americana.

A ascendência do balsemão e soares.

E a maçonaria como veículo para a tomada de posse dos cofres do estado.

JUDAÍSMO.

É só estudar as coisas e verificar os factos.

Marxismo e capitalismo jogam os 2 na mesma equipa,e os Portugueses andam feitos otarios neste circo promovido pelo polvo bicefalo onde o poder maior é só um.

O judaísmo internacional e o seu plano de dominação mundial em transformar nações em colonias e os povos em servos.

E estão a conseguir...

Graças á covardia dos Portugueses.

Que desde que ponham a palavra "democracia" eles aceitam tudo.

Mijam lhes em cima e dizem que é chuva,cagam lhe em cima e dizem que é neve.

Portugal como nação soberana morreu no 25 de abril.

Carlos disse...

"Os que atacam a ditadura de Salazar fazem-no em nome de uma ditadura muito pior."

Alto e pára o baile!...isto não é sério.

zazie disse...

Que ideia- diz o ex bombista da ARA.

":O)))))

Ele nem era comuna nem nada. Era só simpatizante de terrorismo de esquerda.

Carlos disse...

"Que ideia- diz o ex bombista da ARA"

Quem tal afirma, só pode ser mais uma vidente de Fátima!

Wegie disse...

Calma que o bicho é manso!!!É só um reles MºPº...

zazie disse...

Quem é que é reles MP? ó poveira alcoviteira?
.
Tem juízo que isto aqui não é sala de profs.

JC disse...

"Os que atacam a ditadura de Salazar fazem-no em nome de uma ditadura muito pior."

Alto e pára o baile!...isto não é sério.

Não é sério????

Santa ingenuidade!......

JC disse...

Para os que acham que não é sério, recomendo vivamente a leitura - básica, aliás - do Animals Farm (ou Quinta dos Animais, também conhecida por O Triunfo dos Porcos).

Não esquecendo que o seu autor foi em tempos um militante de esquerda, que abriu entretanto os olhos.

josé disse...

"Calma que o bicho é manso!!!É só um reles MºPº..."

Calma que é apenas uma frase que poderia ter saído de uma boa pinga...

manel disse...

Não confundam esta ditadura que agora temos com o sistema que havia com o Marcelo Cetano. Desde o 25 de Abril os milhões de eleitores votam estupidamente hipnotizados pela incultura do sistema, embrutecidos pela televisão e imprensa, futebol e os miseráveis dramas da socialite portuguesa. Democracia não é apenas meter um voto numa caixa Os dirigentes políticos do tempo do Marcelo Caetano nada têm a ver em ética e honestidade com a canalha, chulesca e ladrona que impera desde o 25 de Abril. Olhe que eu não gostava do ** fassismo*** nunca vesti a farda da mocidade portuguesa nem nunca participei de actividades pró estado novo . Deixei Portugal em Junho de 1975, trabalhava numa empresa estrangeira e vivi 35 anos fora. Não foi fácil ter que aprender 3 idiomas novos e competir lá fora. Em Portugal eu nunca seria nada, o ambiente profissional está podre . Tenho desprezo por este políticos, são gente rasca, não me vergo a políticos nem a chulos associados. Por isso não voto . Reconheço que o Marcelo Caetano era um patriota, um politico decente, um homem honesto…estes canalhas de agora são gente podre. Vivemos numa ditadura. A ditadura dos corruptos velhacos.

Vivendi disse...

..."Então, e as pessoas que passavam fome durante a ditadura? Então, e a quantidade de iletrados durante a ditadura? Então e a PIDE?"...

Nos problemas que alguns apontam como se fossem respeitante apenas à ditadura tem de compreender que já existia um Portugal assim antes da ditadura, como existe um Portugal assim depois da ditadura. É o fado português.

Quanto à PIDE, a censura de opinião e política, é um fato que não existia antes da ditadura (pelo menos com uma dimensão assinalável), agora não se pode entender o passado com os olhos do presente, temos que entender a realidade da época e inseri-la em todo um contexto existente à época.

E sobre a censura democrática, já pararam para olhar para a democracia em que vive? Os episódios burlescos, a quantidade de histórias escabrosas e corrupção todas mal contadas e não julgadas.

Sobre a economia por mais que se queira basta pegar nos indicadores económicos e entender que a verdade económica está do lado da ditadura e não da democracia.

Tem por aí alguns artolas que pensam que no passado a democracia teria conseguido fazer muito melhor e pelo que vejo da democracia atual tenho mesmo sérias dúvidas.

Wegie disse...

AHAHAH! Isto está uma belíssima tasca. Oh rapaz: Tira lá o cabelo da frente dos olhos!

Vivendi disse...

E vc tome mais um copos até cair para o chão. Aí chega ao nível da sua democracia. Já vai em 70% de impostos por cidadão. Grande socialismo hein!

mujahedin مجاهدين disse...

Nos problemas que alguns apontam como se fossem respeitante apenas à ditadura tem de compreender que já existia um Portugal assim antes da ditadura, como existe um Portugal assim depois da ditadura. É o fado português

Correcto. Os cantores do costume é pena que não se lembrem da Formiga Branca - criada pelo governo republicano e democrático - quando cantam as cantigas do costume sobre a PIDE/DGS.

A Ditadura não inventou nada que os democráticos não tivessem inventado antes a nível de repressão.

Carlos disse...

Uma "boa pinga" é sempre muito inspiradora!...

Carlos disse...

Vivendi,

Embora os seus números (70%) não estejam certos, sempre lhe digo: prefiro pagar 70% em democracia, a receber só 30% em ditadura.

mujahedin مجاهدين disse...

Então não se preocupe que já não deve faltar muito para lhe fazerem a vontade.

Esquece-se de dizer, no entanto, que convém que o dinheirinho do imposto tenha retorno para o cidadão, ou não? Ou é sacrifício? O deus democrático exige 3/4 do nosso trabalho em sacrifício para se manter feliz e providenciar a liberdade para que tudo fique na mesma?

É um reflexo pavloviano, dir-se-ia. Foram de tal forma condicionados, que basta um toque na questão da ditadura para imediatamente se aprontarem a entregar mais de metade do produto do suor aos junkies do poder. E eles agradecem, e dão mais "liberdade". E assim vamos, quanto mais "liberdade" há, menos mudam as coisas. A não ser o sacrifício ao demo-deus. Esse muda sempre para mais. Liberdade desta, compre-a V.

Vivendi disse...

Carlos,

Foi informação publicada pelo JN e em 1ª página. E a coisa está pior ainda, se juntar a inflação.

http://vivendi-pt.blogspot.com/2012/06/155-dias.html

E se utilizo o exemplo da ditadura para contrapor com a democracia, é porque infelizmente o comportamento desta última foi baixo, continua a ser baixo. Aliás esta democracia já morreu muitos ainda não deram foi por ela.

No meu blog defendo que os portugueses só tem 2 caminhos a seguir, ou a liderança autoritária ou a democracia participativa.

Veremos o que a história vai escrever.

Carlos disse...

Vivendi,

Ok, até percebo a sua posição.
No entanto, sempre prefiro a segunda opção. Mas a primeira, já teve até um ensaio como proposta (suspensão temporária da democracia ???)