Páginas

domingo, 24 de junho de 2012

Eles riem-se de nós...

Expresso:

O PS contestou hoje a nomeação de José Luís Arnaut para o cargo de membro não executivo do conselho de administração da REN -- Redes Energéticas Nacionais e exige ao Governo que explique no Parlamento o processo de privatização da empresa.

"Já entregámos o pedido de apreciação parlamentar para discutir no Parlamento com o Governo este processo de privatização da REN que, no nosso entender, é o extremo de uma ilegalidade formal e de uma ilegalidade material", disse à agência Lusa o deputado socialista José Junqueiro.

O PS acusa o Executivo de fomentar "um dos maiores exercícios de promiscuidade entre a política e os negócios, conformando a negociação em si uma ilegalidade".

"A privatização da REN, tal como da EDP, funciona como uma espécie de espólio que o Governo distribui para personalidades ou dirigentes topo de gama do PSD e do CDS. Depois de Eduardo Catroga ou de Celeste Cardona, vem agora José Luís Arnaut, sobretudo na sua qualidade de administrador da REN e simultaneamente presidente da comissão de auditoria financeira do PSD", comentou José Junqueiro. 


Não sei que mais lamentar: se a nomeção deste "boy", advogado de uma das tais firmas, especializado na "propriedade intelectual" ( é um manda-chuva nas patentes...) ou o despudor do PS ao falar em "promiscuidade entre política e negócios".  
Entretanto, as receitas que não chegam para as despesas é notícia. Estas aumentam e um dia destes vem mais austeridade. Para nós. A REN, essa, vai aumentar os vencimentos dos seus quadros superiores para mostrar os andarilhos das linhas de alta tensão a correr na televisão.
Depois temos o discurso contra a corrupção para compor o ramalhete da indignação.

3 comentários:

Floribundus disse...

Fialho de Almeida:
«a república é uma bacanal de percevejos numa enxerga podre»

Karocha disse...

Pelo menos José tem tudo na net, a Maria José Rangel de Mesquita,retirou tudo!!!

JMCL disse...

Gosto de pensar em transformações sociais progressivas, maturadas, enformadas pelo conhecimento (o ideal era a sabedoria aqui metida) e pelo common sense. Mas com esta postura cívica também não vamos a lado nenhum porque eles não se enxergam, são completos autistas. Posto isto que resta .. uma certa dose de agressividade?