sexta-feira, 21 de junho de 2019

A música dos anos sessenta apreciada por quem por lá passou...

Luís Pinheiro de Almeida,  antigo jornalista de O Jornal, Anop e Lusa e outros media e animador de programas de rádio nos anos oitenta e noventa, dedicados à música popular, publicou agora um livrinho muito interessante.

Recolheu algumas cartas que foi enviando, desde Lisboa a um amigo que ficara em Coimbra, relatando os feitos ao longo de várias datas dos anos 1964 a 1966 relacionados com a música, os discos e outros assuntos, com destaque para os Beatles que começavam a surgir nos escaparates e tabelas de êxitos musicais da época. Delas fez o livrinho que até aparece prefaciado por um certo Marcelo Rebelo de Sousa, colega de curso de direito ( um tal Carlos Santos Ferreira também foi...)

Essas cartas são um retrato aprimorado desse tempo, que sobressai nas entrelinhas do que se escreve e relata, muito mais fidedigno que os livritos dos antifassistas do costume.

Alguns relatos são deliciosos na linguagem crua e efeito cómico assegurado. O livrinho custa pouco mais de 10 euros e é de ler de um fôlego.



Será Rubber Soul, de finais de 1965,  o melhor disco dos Beatles? Gostos não se discutem, mas Abbey Road que este ano perfaz 50 anos, é capaz de lhe passar a perna...

Sem comentários:

Miguel Sousa Tavares, outro tartufo