quinta-feira, 26 de setembro de 2019

O estado do esquerdismo em Portugal

A uns nem sequer é consentida a memória do tempo e dos lugares. O espectro do totalitarismo fascista de Salazar, assumido por estas sumidades, é ameaçador, desde sempre.
O perigo de se transformar uma escola-modelo do tempo de Salazar em local de peregrinação de louvor e preito é brandido como impedimento a qualquer realização que congregue memórias que as madrassas não permitem.

Público de hoje, um pequeno artigo de uma das imãs.



A outros, não só se consentem tais memórias do tempo e lugares da efectiva tentativa de transformar Portugal num país verdadeiramente totalitário como até se promovem os seus cultores nos altares mediáticos da modernidade, como os jornais e as tv´s.

Este totalitário, Loff de apelido tem lugar garantido nas madrassas e púlpitos mediáticos, para defender o totalitarismo comunista exactamente como se defendia há 40 anos.  Ninguém se incomoda com esta aberração e até a promovem.
Chamam a isso democracia e não se riem da própria estupidez.

Mesmo Público de hoje:


Sem comentários: