sábado, 9 de fevereiro de 2013

A Esquerda comunista fossilizada levanta cabelo outra vez

Sol:

Oficialmente ninguém fala. A discussão no Bloco de Esquerda sobre a proposta de acabar com todas as tendências está, porém, a causar ondas de choque com a UDP, de Luís Fazenda.

A ala mais organizada do BE, considerada pelas parceiras PSR e Manifesto/Política XXI como a mais aparelhística, vai reagir: sujeitando a referendo, numa conferência extraordinária (equivalente a um congresso da UDP) o que fazer sobre a nova tendência, impulsionada por Francisco Louçã, João Semedo e José Manuel Pureza. Está marcada para dia 24 de Fevereiro.

Embora Luís Fazenda seja o líder histórico da UDP e figura mais influente, o ex-partido maoísta é agora presidido por Joana Mortágua. Ao SOL, Mortágua não quis alargar-se sobre o congresso. «A UDP vai decidir o seu futuro. O essencial está nos documentos que serão postos a discussão na conferência extraordinária».

38 comentários:

Floribundus disse...

dirá o joão semana:
o paradigma é fraturante e transversal pela sua vertente social, nomeadamente a dos que martelam as cabeças duras do trote-sequistas.

'na vida não há nada como realmente'

Mentat disse...

Parece que afinal Portugal nem nesse campo se parece muito com a Grécia...

Até a esquerdalhada se vê grega para se coordenar...
.

Dario disse...

Verdade seja dita, a esquerda nao se consegue organizar.

Mas eu vou fazer aqui um pedido a quem ainda gosta desse pais e esta a ver a corda a apertar-lhe o cachaco, rezem, para que a esquerda se organize, ja chega de ter o centro direita a desgracar o pais e culpar sempre a esquerda por tal desgraca.
Tentem, pra pior nao vao, mas podem ir pra muito melhor, no minimo, uma bela licao de moral era aplicada essa canalhada que tem estado sempre com a mao na panela.

Quem sabe,talvez deixassem de comer estragado, como tem sido o caso dos ultimos anos.

Filipe Silva disse...

Centro direita? Mas desde quando governa em democracia a Direita?

Não existe direita em Portugal, o PSD é partido social democrata uma forma de socialismo.

A realidade é que o que tem governado Portugal tem sido a esquerda, não a extrema esquerda mas a esquerda.
E se formos analisar vemos que o que existe em Portugal é uma forma de corporativismo, em que algumas empresas se orientam há custa dos impostos e da divida do Estado.

Agora pensar que como diz e bem o josé que com estes atrasados mentais a vida seria melhor, tenho pena de lhe estragar o sonho, mas seria a mesma coisa senão pior.

Enquanto as pessoas não perceberem que o socialismo não funciona, não é por ter uma ou outra vertente que isto vai ao sitio.

O José faz um verdadeiro serviço público ao desmascarar/relembrar/dar a conhecer o que se passou no antes e pós 25abril e permitir que não seja só a corrente oficial da história que é conhecida.

Aproveito o meu Agradecimento ao José por fazer o que faz, keep up the good work

Mentat disse...

Dario
Quem é que tem estado no poder nos últimos 39 anos?
O PC, PS e o PSD são de centro-direita?
O CDS é de Direita?
Dario, ou tem menos de 40 anos e está totalmente formatado por este regime, ou é muito ignorante, ou é apenas um esquerdista de K7.

A única corrente politico-filosófica que em Portugal precisa de coordenação e liderança são os Conservadores.
Conservadores são quem preza a Vida, a Liberdade, a História, o Patriotismo e a mínima interferência do Estado na vida dos Cidadãos.
Passos Coelho parece ser uma dessas Pessoas.
Será que consegue sobreviver a esta crise e impor estes conceitos.
Tenho esperança mas pouca fé.
De vez em quando aparecem grupos de pessoas que parecem defender estes princípios, (O Blasfémia e o Insurgente são dois exemplos), mas seguindo uma infeliz tradição portuguesa, mal lhes aparece um lugar à manjedoura, rapidamente aceitam a canga.
Outra coisa com que embirro solenemente nestes debates “políticos” é o conceito de esquerda/direita.
Bolas!
Mais de 200 anos depois, ainda temos de classificar filosofias politica, pela sua eventual semelhança, com o lado onde uns quaisquer franceses se sentaram num parlamento?
.

Mentat disse...


"E se formos analisar vemos que o que existe em Portugal é uma forma de corporativismo, em que algumas empresas se orientam há custa dos impostos e da divida do Estado."

Caro Filipe Silva

Não é uma forma de Corporativismo e só com empresas, é mesmo corporativismo, com empresas, ordens e sindicatos.
A diferença para o Estado Novo, é que as actas da Assembleia Corporativa eram documentos públicos.
Agora, sabemos lá o que é que eles congeminam nas "importantíssimas" reuniões da Concertação Social?!
Este regime é duma hipocrisia monumental.
Já que tanta gente aprecia a “Concertação Social”, mais valia reinstalar a Constituição de 33 e apenas democratizar o acesso aos lugares nas duas Câmaras.
.

Mentat disse...

Caro José

Peço desculpa, tentei eliminar o comentário repetido, mas não consegui.

Floribundus disse...

para comemoração do 1º centenario do nascimento de cunhal

'o branco de neve e os sac-anões'

koulaks ou punho erguido
narodnik ou elites urbanas cultivadas

anton makarenko; problems of soviet school education

como era 'adorável' a vida nos gulags ao som da internacional

josé disse...

Mentat: já está. É só carregar no caixotinho.

contra-baixo disse...

Não vão a lado nenhum, é apenas esterto! A "marca BE" impôs-se definitivamente no "mercado" eleitoral.
As designações UDP, PSR, Política XXI, MDP CDE, FER etc já nada dizem ao eleitor que vota BE.

contra-baixo disse...

Para precisar melhor o comentário anterior digo: "a marca social democrata do BE".

Dario disse...

Voces podem e dizer que e essa a direita que teem, e o socialismo que teem!!! de acordo, mas foi criado e alimentado por voces.
Tambem podem dizer que teem tido governos que nao governam!!! governam-se. de acordo.
Se tivessem dito isto eu ate concordava com voces os dois e poderia dizer, no fundo estas pessoas estao la, vivem, sofrem, pagam,sabem muito mais que eu.....

Estava ate, a ficar solidario com voces ate aquela parte em que, mostram saudades do antes do 25 e me falam em partdidos e politicas conservadoras!...

Mas como diz o Marat, eu sou e muito ignorante, deveria entender o porque de tanta saudade, afinal nos estavamos habituados a ser explorados, para manter meia duzia, fez-se a revolucao para ficar-mos ha mesma a ser explorados para manter meia duzias, porque nao se deixou estar tudo como estava?? sou mesmo ignorante.

Agora......

Voces nao sabem o que sao partidos conservadores, as suas politicas, do que sao capazes, do que gostam, voces ouviram falar, No entanto nao sou capaz de usar os mesmos termos que o Marat usou para os classificar.

Envio-lhes sim um grande abraco e desejos de um bom domingo.

zazie disse...

Por acaso nem concordo com o Mental e estou muito mais próxima do José.

O que poderá querer dizer isso mesmo- que nem existem grandes alternativas...

eheheheh

O neotontismo é coisa tão perniciosa quanto todas as bengalas xuxas e também tem amanhãs que cantam e depois desafinam.

Agora até só venho à blogo para me dividar entre aqui, onde se aprende e se entende a desgraça escardalha "em perspectiva histórica"- como diria uma delas...

E ao Portugal Contemporâneo- onde é possível fazer em cacos esse neotontismo à Blasfémias e suplemento Insurgente.


Ainda ontem lá andei a tentar explicar umas coisas ao CN (o do liberalismo austríaco e anarco-capitalista) e a desmontar outras ao Rui A (o do liberalismo à Chicago e anarco-capitalista, também) e ao que vier pelo meio porque, teoricamente e na prática tudo isto está errado.

zazie disse...

Como a escardalhada está em boas mãos com o José, e a mim já me enfada, até me interessa mais desmontar a outra face da moeda- a neotonta.

zazie disse...

Mas, uma coisa é certa- aqui existe rigor e fontes; trabalho de informação que não existe em mais parte alguma.

Nos outros é uma tristeza. Porque nem sabem informar e pior, julgam que teorizam mas são uma porca miséria.

Nem dá luta. Não há um único liberal na blogo que saiba o que diz e consiga explicar aquilo.

Porque não pescam rigorosamente nada de filosofia e a teoria é postiça, é verbo de encher, é pura agit prop.

zazie disse...

Claro que tenho de fazer isto no Portugal Contemporâneo porque os liberais do Blasfémias censuram-me e os do Insurgente há muito que me bloquearam.

eheheh

Até na censura e bloqueio estas alminhas são gémeas.

zazie disse...

A escardalhada ranhosa fez pior, denunciaram o cocanha e o blogger bloqueou-o.

São uma maravilha, esses profs ranhosos que pastam na Educação do Umbigo do outro.

zazie disse...

E eu diria que nem há Direita também por isto.

Os que sabem alguma coisa não são neotontos. Afastam-se disso.

E é demagogia querer fazer passar esta dicotomia: ou é Esquerda - com comunas e falsos comunas que lhes dão a mão; ou tem de ser liberal e a isso se chama Direita.

Errado. totalmente errado e primário este maniqueísmo.

zazie disse...

A diferença é que a diabolização está na mão da escardalhada e até quem nem se considera de Direita e acha que está mais ao centro, mais social democrata, é apelidado, desde sempre, de perigoso facista, de reaccionário de extrema-direita, se falar do passado, anterior ao 25 de Abril.

E nisso até os neotontos fazem irmandade- são todos "progressistas".

josé disse...

Mais logo vou recuperar mais memórias perdidas das nossas primeiras eleições em democracia...

De resto, não sou saudosista. Sou apenas bem lembrado de um tempo em que havia alguns valores que me são caros e me parecem ainda válidos.

Mas não tenho ilusões algumas que sou infinitamente minoritário e nunca encontrei ninguém que partilhasse as minhas ideias para além de um amigo ou outros desses tempos.

A minha luta ideológica já vem de longe: antes de 25 de Abril, até.

zazie disse...

Pois é. Nisso é que o José é raro.

Foi a boa da formação católica que o moldou e tradição familiar da "província"

aahhahahahahahah

zazie disse...

Dantes havia uma expressão muito engraçada que se aplicava: "um homem às direitas".

josé disse...

Gosto da expressão mas curiosamente dou-me bem melhor com gente de esquerda. Há direitas que são insuportáveis, hipócritas e até trogloditas.

Os esquerdas são outra coisa, mas quando estão com a febre são piores porque endoidecem.

zazie disse...

Pois é verdade.

João F. T. Almeida disse...


O José tem um post datado de Novembro cheio de capas de jornal , podia fazer um reload dele...

«Quem não tem memória , faz uma de papel»

:)

Floribundus disse...

Cara Zazie
ando cada dia maia 'desasado' apesar de ser ave de rapina. com estes miseráveis de esquerda e outros não vamos nem a nenhures.
suponho que conheço alguém que adorou a surrealista pré-teenager da Zazie no metro de Raymond Queneau.
no meio da choldra cada dia mais a aprecio, à Karocha e ao Amigo José.

detesto os criminosos da esquerda. procurou mostrar os seus podres. não os esqueço nem lhes perdoo. PQP

zazie disse...

Conhece ao vivo e a cores, ou está a falar em sentido alegórico.

Por acaso, um que me colocou o nick, em altura posterior, nunca mais vi e até gostava de ter notícias.

Mas não é português.

Floribundus disse...

Cara Zazie
identifico-a pelo Toynbee, pelo MRPP, frontalidade na defeza dos principios.
passados uns 25 anos não a reconheceria.
nan altura frequentava amigos da fac de letras (M.Antunes SJ et al.) e as biblioteca da fac e a BNP para estudos históricos sobre o séc XIX encontrava Oliveira Marques, Waldemar, Silveira Jardim. depois derivei para a pintura e crimes do comunismo.

zazie disse...

Acho que está a fazer confusão.

Nessa altura eu nem andava em História

ehehe

E nunca fui aluna do Oliveira Marques (felizmente) nem o suportava.

Quanto ao Padre Manuel Antunes, sim. Fui sua aluna, tal como centenas de outras pessoas.

Mas, há 25 anos atrás eu não estava em nada disso.

zazie disse...

Olhe, eu não sou nada, nem nunca fui figura pública.

No máximo, apareci como personagem de romance (mas misturada com muitas outras) e, individualmente, farto-me de rir com isso- fui sim, personagem de BD.

No L123 do Relvas

aahhahaha

Mas nem tenho um único exemplar e não me lembro da cara que o malandro me deu, no meio daqueles marginais sub-urbanos

":O)))))))))

zazie disse...

Devo ter sido sempre tão desalinhada que nem os que tinham fraquinho de outra ordem conseguiam engavetar-me.

ahahahahahahha

Mas curto ter entrado no L 123.

Mas zazie dans le metro vem de outras bandas.

zazie disse...

Zazie dans le metro é mais aproximado, inclusive para o que era nessa idade.

Mas não fui eu que coloquei o nick, foi mesmo colocado por outrem a quem perdi paradeiro (e vice versa).

Floriano Mongo disse...

José, aquilo é um saco de gatos, trotskystas, maoístas… um desfile de totalitarismos, é só escolher. Onde fica a democracia aí? Não fica.

O PCP e o BE babam com o que chamam de “democracia directa”. Esse é o caminho mais directo em direcção à “ditadura popular.” Felizmente, a democracia é um regime legitimado pela maioria, mas sustentado pelas elites. Estas esquerdas arrepiam-se diante desta afirmação. Para elas, a alternativa histórica às elites esclarecidas é o déspota esclarecido. Mas a democracia está aí para lembrar que o povo é a fonte legitimadora das instituições democráticas, e sim, tem de ser protegido até de si mesmo se atentar contra os códigos que guardam os seus direitos. Esse é, aliás, o aparente paradoxo das sociedades modernas, em que vigora o estado de direito: a cultura da reclamação, da permanente mobilização, da constante reivindicação de direitos resulta em grupos de pressão que querem impor a sua agenda, ainda que o preço seja o fim da universalidade das leis.
Estas esquerdas tornam-se porta-voz desse novo “humanismo de tribo”. O paradoxo é aparente porque uma democracia não proíbe a existência de tais movimentos, mas também não cede. O seu limite é a lei, sem “acomodações tácticas”. Houvesse um modo mais seguro de governar, seria o caso de aposentar a democracia. Mas não há!
A democracia funciona porque há a mediação do Parlamento. Nem sempre uma “vontade popular” protege o povo. Todos queremos, por exemplo, uma justiça mais ágil no país. Seguindo o clamor das ruas, ela não seria apenas rápida; seria também sumária. E abrir-se-iam, então, as portas do inferno.

Kaiser Soze disse...

Nos dias de hoje, quando ouço falar em Direita e ligá-la, por exemplo, ao GOP, sinto calafrios!
Eu, que me sinto de Direita, jamais apoiaria um grupo que, a meu ver, é profundamente racista e xenófobo, a Direita dos 47%.

Sinto-me, portanto, de uma Direita de bitola (tá na moda) Europeia que, se o termo de comparação for Aurora Dourada ou GOP não é, de facto Direita.
Portanto, se a Direita for esta de que falei, jamais hesitaria em ser de Esquerda.

Por fim, quando os partidários de coisas como o GOP referem a "menos estado" o que é pretendido, efectivamente, é parcialmente menos estado.
Caso alguém tenha interesse nisso, vejam quanto "intervém o estado" no círculo desse falcão chamado Newt Gingrish ou, na loucura, no que concerne a defesa ou armamento.

(os canadianos querem construir uma ponte entre Detroit - julgo - e o Canadá. Ponte que eles financiam na íntegra - o que significa "na totalidade". Um ilustre Republicano, bilionário, claro, lançou uma campanha contra essa construção porque "nada é o que parece!!!" mas esqueceu-se de dizer que a única ponte que existe a fazer a ligação, na actualidade, lhe está concecionada...
Deve defender menos Estado, claro)

Kaiser Soze disse...

(estiquei-me um bocado no tamanho do texto)

josé disse...

A Direita radical assenta em bases bases ideológicas que se assemelham às da Esquerda radical.

Não é a minha praia.

Kaiser Soze disse...

Concordo.
Infelizmente, nesta época de polarização em que o cinzento parece ter desaparecido, parece apenas ser possível aderir, como se fosse um contrato para fornecimento, ou não, de energia.

Dario disse...

Kaiser Soze.

Tem ai o perfeito exemplo do que sao as politicas conservadoras e republicanas.
A ponte de que fala parece que vai ser construida.
Esse individuo de que fala nao quer estado, mas queria ( e para isso houve um referendo no passado mes de novembro) que a populacao do estado de Mishigan aprovasse uma lei em que para se construir uma nova ponte entre Windsor e Detroit fosse preciso consultar a populacao, esse refendo reprovou as intensoes desse tal milionario, como tal fica a discricao das autoridades dos dois paises decidir ou nao a construcao da nova ponte, que me parece vai avante em breve.

Eles nao sao trouxas,( esse tal milionario) trouxas somos nos simples cidadaos se os apoiamos, porque voce naos os ve entrar em negocios onde o lucro nao seja garantido, como e o caso da ponte.

O verdadeiro super-juiz