segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

O Bloco defende o socialismo de miséria?

 Expresso:

O Bloco de Esquerda requereu com carácter de urgência a presença do ministro da Economia no Parlamento para prestar esclarecimentos sobre a nomeação do secretário de Estado Franquelim Alves.

Muito bem. Só falta agora pedir explicações ao Bloco sobre a sua ideologia real, a que aparece nos estatutos que ninguém lê. Peçam ao Bloco que diga exactamente o que defendem como organização económica e política, com realismo e sem sofismas. Perguntem-lhe o que significa o novo conceito de "socialismo" que arranjaram para confundir as pessoas e se corresponde ao que já existe no PS, com o acrescento "democrático" ou se é apenas uma mudança de palavra para o mesmo significado: socialismo de miséria.

51 comentários:

Floribundus disse...

um bloco de 5 tijolos de areia sem cimento
devolvam-nos à albânia

John Wick disse...

" O Bloco defende o socialismo de miséria? "

Socialismo de miséria e ladrões de colarinho branco e gravata de seda tem alguma coisa em comum?

Unknown disse...


Sim, basta ler os estatutos que não deixam dúvidas. Stalinistas ou trotskistas, todos são esquerdopatas sem remédio. A diferença entre Stalin e Trotsky não dizia respeito ao que fazer com os inimigos, mas aos métodos para a implementação e consolidação do comunismo. Se Stalin não tivesse cravado uma picareta na cabeça de Trotsky, teria sido Trotsky a fazê-lo a Stalin. O resultado contava-se igualmente em milhões de mortos.

De facto, estas esquerdas e democracia jamais andaram juntas. Ouçamos Trotsky:

««« Mas a mentira e a violência por acaso não são coisas condenáveis ‘em si mesmas’ ? Por certo, como é condenável a sociedade dividida em classes que as engendra. A sociedade sem antagonismos sociais será, evidentemente, sem mentira e sem violência. Mas não é possível lançar uma ponte para ela senão com métodos violentos. A própria revolução é o produto da sociedade dividida em classes, da qual ela leva necessariamente a marca. Do ponto de vista das ‘verdades eternas’, a revolução é, naturalmente, ‘imoral’. Mas isso significa apenas que a moral idealista é contra-revolucionária, isto é, encontra-se a serviço dos exploradores.»»»

Está tudo aí. Este é o norte moral destas esquerdas, não importa a tendência. Trotsky diz que, enquanto a sociedade for dividida em classes, todos os meios de “luta” são válidos. E quem os recusar está apenas a exercitar a “moral idealista” e “contra-revolucionária”.

O BE assim como o PC consideram-se herdeiros da “luta do proletariado”. Na verdade, herdaram do bolchevismo o amoralismo e a convicção de que tudo lhes é permitido e de que certas interdições são apenas instrumentos da opressão manipulados pelos seus inimigos. Conservam da visão bolchevista a ideia do partido autoritário, centralizador, gestor do futuro.
Assim, ninguém se deve espantar quando estes esquerdistas dizem uma coisa na oposição e fazem outra no governo. Sabem como ninguém usar “a mentira” a favor da causa. Qual é o limite de um esquerdista? Não existe! Ele só precisa convencer-se ou fingir que se convenceu, de que a sua acção contribui para fazer a luta avançar.

Trotsky, foi assassinado a mando de Stalin que não teria nenhuma dúvida em justificar o seu acto usando o texto escrito pela própria vítima. Quem considera que a moral é sempre um valor relativo coloca uma corda no próprio pescoço.
Pode sempre aparecer algum camarada que se lembre de abrir o alçapão.

josé disse...

Floriano: esse texto vai para a página principal porque diz o que penso.

zazie disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
zazie disse...

Mais outro MR, josé.

Estão por todo o lado.
ehehe

Este foi levadopelo Barroso (para variar)

zazie disse...

Eles sabem estas tretas mas não dizem...

zazie disse...

Este até foi colega do Emanuel Santos, outro MR (o do Banco de Portugal)

Mato-me a rir com isto. É sempre a mesma cantiga- ainda se anda em lutas de seitas com os mesmos de sempre.

zazie disse...

Foi levado para estas coisas (do Poder) pelo Barroso. Mas ele era muito mais antigo que ele.

josé disse...

Estive a consultar o livro de Miguel Cardina sobre "O maoísmo em POrtugal 1964-74" e não encontrei o nome de Franklim Alves. Mas está lá o de Emanuel Santos...

zazie disse...

Nunca li o livro, apenas folheei

Mas desse lembro-me bem. Pertencia ao Tempo & o Modo, ia jurar. E era de Económicas. Mas, tudo isto antes do 25 de Abril.

zazie disse...

Fazia parte do "Estar na Luta" que era de Económicas. O "Ousar Lutar, ousar vencer" era de Direito

zazie disse...

O Emanuel é fácil de reconhecer porque está igual.

Este mudou mais. Era magrito, espigado, muito moreno.

josé disse...

Essa malta com as tretas esquerdistas tomaram conta disto. Mudaram apenas de treta, mas continuam os mesmíssimos.

zazie disse...

Pode crer. Foi mesmo assim.

E agora estes cretinos bloquistas que são piores e querem o mesmo, armam-se em virgens.

zazie disse...

Os que me encanitam mais são os "mártires".

Estava à procura de fotografias dele e dei com a maluca da Aurora, mais outra procuradora, a vender um livro e a dizer que servia de prova em como gente simples e vulgar também era torturada pela PIDE.

É preciso ter lata. A maluca era super-militante, completamente fanática e depois foi promovida a amante do Grande Timoneiro.

Essa é que era mesmo a dar para o psicpata.

A sério eheeheh

Só traumas e imbecilidade a rodos.

zazie disse...

Durante anos e anos que também teimavam, mesmo os que deram o fora, que era impossível ela ter sido amásia do Timoneiro e até ter levado com o sapato na tola, que a camarada Albertina lhe pregou.

Uma vez, por mero acaso, fui a uma festa e ela estava lá. Perguntei-lhe de caras isso- e ela confessou que sim. Que achava piada ao Grande Timoeiro e tal e coisa.

Gramava saber se também conta isso nas memórias.

zazie disse...

Diz que sempre foi uma pessoa simples.

Pois, uma simplória mental que vende livro como vítima da PIDE, quando de canga estariam muitos camaradas, se a tal Revolução Cultural acontecesse

zazie disse...

ahahaha

Estas coisas são tão engraçadas. Diz que trabalhava com o Leopoldo mesquita, primo de outro do CDS.

Este aqui:

http://www.fpce.up.pt/ciie/?q=researchers/leopoldo-mesquita

O Leopildo ahahaha

Este era completamente choininhas. Conseguia ser preso por fugir em sentido contrário- no sentido de onde vinha a polícia.

ahahaha Era menino da Av. de Roma mas completamente palerma.

zazie disse...

Mas pronto, deu em intelectual da pedagogia e tem uma data de livros publicados.

":O)))))))

zazie disse...

O Leopoldo, quando era preciso fazer publicidade a algum ciclo de cinema, queria sempre ajudar mas colocava o stencil ao contrário

":O))))))

josé disse...

Quem sabe faz; quem não sabe, ensina. O tipo ensina...

zazie disse...

ehehehe

Veja lá, veja lá não lhe caia um dentinho com a gracinha

ahahahhahahahaha

zazie disse...

Mas é estranho um sujeito de economia acabar em tretas de pedagogia.

O Leopildo era uma anedota. E está com a mesma carinha de tolinho.

Mas era boa pessoa. Só ia preso, quando ninguém ia.

AHHAHAHAHAHAHAH

zazie disse...

Esse é que podia ilustrar o livro da camarada Aurora.

Também havia pessoas simples que tinham a mania de irem cheirar e depois fugiam em sentido contrário, ou enfiavam-se no metro e eram presos.

Mas sem tortura porque, no máximo, sabia a morada de casa

":O)))))))

josé disse...

O que me espanta é a facilidade com que esta gente passou de um discurso a outro radicalmente oposto ao que tinham e com a mesma facilidade não lembram o que tiveram nem sequer sinais de arrependimento pela estupidez manifestam. A excepção foi o falecido José Luís Saldanha Sanches.

zazie disse...

Sim. E a Mizé também, penso eu.

É impossível alguém tornar-se no seu oposto porque faz parte do carácter e esse está formado na adolescência, penso eu.

Pode-se mudar de ideias, claro, e até se pode ser inconsciente e fazer muito disparate (sem a menor ideia) agora mudanças conscientes de 180 graus, são mentira.

Tendem a ser combates com o duplo do passado.

zazie disse...

Mas passaram por arrivismo.

Não estou a ver algum que ficou ilustre desconhecido, com vidita simplória, a precisar de marinhar tão rapidamente em sentido inverso.

E os que não largam, tipo Garcia Pereira ou Rosas, ou Louçã, ou Arnaldo e por aí fora, também não têm vidita simplória- são os malucos fossilizados mas muito bem na vida

josé disse...

Esses são um caso patológico mais complexo. Adivinho o que pensarão ao espelho enquanto fazem a barba...e sou capaz de apostar que se riem dos tansos que acreditam no que dizem.

zazie disse...

Não sei.

Tenho dúvidas se não fazem parte daquela outra tipologia que já negou de tal forma a realidade e vive a transmitir uma lenda, que passou a acreditar nela.

Eles têm filhos que já são iguais- passaram a mentira a tudo o que está à volta.

Transmitem a fossilização. É algo de estranho porque esse passado tem o peso do "brasão da família".

zazie disse...

De outro modo, como é que o José entende que passadas estas décadas todas continue a nascer gente igual, a dizer as mesmas anormalidades e a terem as mesmas fezadas como se nada tivesse provado o passado.

zazie disse...

A mim faz-me mais confusão os novos.

E ainda mais os novos, que nem viveram nada disso e até são inteligentes e com talentos noutras áreas.

Não entendo.

O que será para eles essa treta da "Revolução"?
E metem olhos em alvo e falam em idealismos ao mesmo tempo que falam em comunismo.

Não sei. Nunca entenderei isso mas também nunca perguntei a nenhum com quem me dê bem

ehehehe

Melindram-me.

zazie disse...

Os artistas, então, fico mesmo parva com isso.

Muitas vezes nem me passaria pela cabeça.
E, a dada altura, lá sai a cartilha e é impressionante porque já se ouviu aquilo tudo há tanto tempo e se julgava que estava morto e enterrado.

Pelo menos eu julguei. Andei anos feita ratita de biblioteca, fora de demasiada coisa e depois tive estas surpresas.

zazie disse...

Mas essa é um interrogação que partilho com amigos que também não entendem.

E eles chamam hipócritas quando depois ainda vêm com o maldito do capitalismo ou do burguês.

Porque há uma boa diferença, hoje em dia são mesmo todos capitalistas e burguesoides, a começar pela aliança operária e camponesa.

ehehhehehe

zazie disse...

Mandei uma boca dessas a um "indignado" em Londres.

O tipo riu-se e o trotskista mais velho que estava com ele, soltou uma grande gargalhada.

Foi uma bruta boca que mandei no meu fraco inglês.

muja disse...

Tenho dúvidas se não fazem parte daquela outra tipologia que já negou de tal forma a realidade e vive a transmitir uma lenda, que passou a acreditar nela.

Eles têm filhos que já são iguais- passaram a mentira a tudo o que está à volta.


Eu também acho que é mais assim.

Uma razão do pessoal mais novo ser seduzido por esta cantiga é que a cantiga diz umas quantas coisas que são verdade - a propaganda está (cada vez mais) em sintonia com a realidade. Ou seja, o pessoal ouve e concorda. Na realidade, há cada vez menos prosperidade, menos justiça e, sobretudo esse conceito tão querido a toda a gente mas que toda a gente se empenha em embotar: menos liberdade.

Outra, e mais importante, é que tem força (ou parece). É agressiva, é aguerrida, não tem papas na língua - o que contribui para fazer passar a imagem que também não lhe falta força no braço (o que, aliás, se procura demonstrar com as manifs). Isso impressiona muito as pessoas. E Vs. sabem-no bem. Sobretudo a malta nova, que gosta de combate, de luta, de acção.

O problema é que eles são os únicos. Os que passam por única alternativa às lérias do "centrão". O facto de terem sido eles grandes responsáveis por este estado de coisas, não interessa nada, porque têm cobertura dos media em que estão infiltrados e a propaganda deles faz passar a ideia contrária sem oposição.

V. parece que falam como se a malta, por obra e graça do Espírito Santo, nascesse hoje em dia mais sensata do que dantes! :)

zazie disse...

eheheh

Começámos estas conversas, por aqui, com esse detalhe.

O Mujah já começa a dar-me razão.

";O)

Mas eu ainda admito uma outra questão (mais no caso de artistas e assim) na adolescência há tendência para se fantasiar- para se inventar uma vida de fantasia.

Pode ser que muitos fiquem com essa fantasia fora da idade. Por que eles não conseguem explicar nada disso de forma racional.

É lá uma espécie de religião que ataca mais os ateus, por terem as coisas fora do lugar.

zazie disse...

Porque.

muja disse...

Sim, e existe também a cena da moda, da vaidade.

Ser disso dá ares de intelectualidade - fica bem falar dessas coisas, de dizer que se leu este e aquele, que se defende isto e aquilo. Quando estão entre eles é disso que falam, que eu já assisti.

É um constante concurso de medição de pilinhas. Só que as pilinhas, neste caso, são ler o Marx, ou o Mao, ou o Trotsky, ou o não-sei-quê. Não é discutir tão pouco o que lá diz, porque isso não interessa porque todos estão de acordo - senão não faziam parte da seita. E os que não estão, lá está, estão noutra linha como o rapaz da tragédia do rio (muito embora isso não impeça que possam usados em prol da causa).

No fundo, fundinho mesmo, não há-de ser muito diferente das beatas de antanho que se reuniam nos serões e competiam para ver quem era a "mais" beata (e consequentemente ganhar o favor do padre). Claro que rapidamente a coisa descambava para o "corte-e-costura" e a perseguição (sem sair do sítio, claro!) dos que são verdadeiramente livres e pensam pela própria cabecinha, por mais pios e cristãos que fossem (ou, no caso dos nossos modernos esquerdo-beatos, por mais revolucionários que sejam).

Só que as beatas, à parte alguma má-língua, eram inofensivas. Estes nem por isso.

zazie disse...

Quanto a mim, estes nem lêem nada.

No máximo, uns patuscos andam com o neo-marxismo e ainda com o internacional situacionismo.

muja disse...

Mas é isso. Claro que não lêem. E os que lêem, é como se não lessem, porque não lêem para saber, lêem para dizer que leram.

É como quem colecciona medalhas, ou coisa do género.

Medalha Marx, medalha Engels, etc...

Pelo menos foi essa a ideia dos tempos (breves) que tive o azar de passar no meio deles, e ouvir-lhes as conversas enquanto preparavam uma "acção de rua": tinham descoberto o itinerário planeado de uma manif contra o aborto que haveria no dia seguinte e iam "grafittar" as paredes pelo percurso fora com as pleasantries do costume... Enquanto preparavam os stencils e o resto do "material", iam falando...

Kaiser Soze disse...

Quem lê o post depois os comentários pensa que se enganou numa das entradas.

Independentemente do que o BE é ou diz ser (facto impostante, evidentemente) o que mais me incomoda é ter de concordar com eles algumas vezes, nestes últimos tempos (e sim, culpo o Governo por isso).

Cabe na cabeça de alguém trazer um administrador da SLN para o Governo?
Esta gente ou é estúpida ou...bem, não consigo tecer uma teoria da conspiração para esta facto. É só estupidez.

josé disse...

O caso Franquelim é, aparentemente uma estupidez. Mas se o governo conseguir desmontar a trama que lhe está a ser feita pelos media em geral ( e é por isso que as pessoas embarcam logo na condenação da contratação) sai por cima.

Espero que tenham razão porque me parece que podem ter.

Kaiser Soze disse...

Eu não sei se por conta da "trama" feita pelos media que a condenação, em geral, é condenada.
Quanto a mim não é.

A explicação é manifestamente mais simples e baseia-se num princípio que já muitas vezes vi por aqui enunciado: o da Mulher de César.

Este Franquelim pode, até, ser o maior craque do mundo e, também, o mais honesto; não sei o suficiente nem para acreditar nem para duvidar dele, pessoalmente.

Agora, um tipo que é responsável, por mais que não seja de forma institucional, pelo caso de polícia que é o BPN e que nos custa o que custa não pode ter funções públicas.
Pode, até, ser injusto para ele mas, como está bom de ver, o mundo não é um lugar justo.

Kaiser Soze disse...

Ah, e por muito que uma coisa como o BE seja muito pouco recomendável, um relógio avariado também acerta 2 vezes por dia.
Foi o que aconteceu.

zazie disse...

Ah, completamente de acordo, José.

Eu falei do passado mr apenas por haver dúvidas e eles nem falam disso.

O que lhe estão a fazer é mais uma cretinice em que são peritos.

zazie disse...

Eles apontam apenas ter tido um cargo de rico.

Basta a riqueza para haver suspeitas de corrupção.

Absolutamente cretino.

Se fosse porteiro do BPN era proletário e passava por líder sindical.

Kaiser Soze disse...

...e tanto ele se orgulha de ter feito parte desta mui prestigiada SLN que, por óbvio esquecimento, não refere que lá trabalhou no seu CV.

Mas, enfim, quem é martelo tudo lhe parece prego.
É mais ou menos o que acontece em quem vê sempre uma nefasta luta de classes.

josé disse...

"pelo caso de polícia que é o BPN"

Kaiser:

Porque é que diz que o BPN é um caso de polícia? Sabe apontar exactamente porquê, para além das ideias feitas que se ouvem e lêem por aí, sempre pelos mesmos que nunca falam do bcp e que quanto a mim é um caso de polícia esse sim a sério e de criminalidade de Estado?

Kaiser Soze disse...

José:

Um buraco como o que foi criado e que existe (por mais que não seja porque, efectivamente, o estamos a pagar) não tem como não ser um caso de polícia.
A discussão quanto ao quadro penal que preenche pode ser discutível e é-o certamente, agora, que é um caso de polícia é indesmentível.

Quanto ao BCP também me restam poucas ou nenhumas dúvidas que também será um caso de polícia. O porquê de não ter o mesmo impacto pode ter muitas explicações mas uma delas será, com toda a certeza, que ainda (pelo menos "ainda") não nos custou o mesmo.

...e a falta de investigação num não pode justificar a não investigação do outro.

josé disse...

"Um buraco como o que foi criado e que existe (por mais que não seja porque, efectivamente, o estamos a pagar) não tem como não ser um caso de polícia."

Pode ser mas pode não ser por causa do que escrevi: as leis penais económicas em Portugal são muito lenientes. Não fazem mal a uma mosta.

Se fosse nos EUA evidentemente que já tinha havido outras prisões.

E o Salgado não se safava por causa dos casos do BES.