Páginas

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

A Extrema-Esquerda comunista continua por cá e o Público é a sua guarida

No Público de hoje mostra-se que o director Dinis que sucedeu à artsy Bárbara é carta do mesmo baralho e até do mesmo naipe.

Três artigos a propagandear as ideias fósseis da esquerda comunista e da extrema-esquerda. Nem em 1975 havia tamanho desplante em fazer passar como democrático e plenamente integrado na sociedade burguesa quem nunca aceitou os respectivos princípios ideológicos.

A prova está aqui mas não há gente que queira saber ler. São mais analfabetos que os da percentagem mirífica que existia antes do 25 de Abril e era sempre apontada como sintoma de subdesenvolvimento.

Quem dá guarida a estes trânsfugas dos bons regimes comunistas é cúmplice dos seus desideratos. Há 40 anos que é assim.

Neste caso, o patrão Belmiro ou quem o substituiu resfolega de complacência porque deste modo tem "paz social" na empresa. É um pizzo que paga a esta mafia fossilizada em Portugal.

Aqui há dias o mesmo Louçã, agora estrela televisiva como nunca antes tinha sido, até disse que a patarata da Mortágua, filha do pirata, ainda viria a ser um dia ministra das Finanças! Só se for num dos episódios do "Governo Sombra"...




1 comentário:

Anjo disse...

É uma indigente intelectual, esta Mortágua. Espremida esta prosa, sai zero. Mistificação galopante.

O ano passado foi à FLUL dar uma "conferência", ou lá como intitulou o "evento". Chegou e disse mais ou menos isto, segundo ouvidos atentos:"Obrigada por terem vindo ouvir-me e terem deixado de beber umas cervejas lá fora, com este tempo tão agradável. Eu, se pudesse, era o que estaria a fazer agora mesmo." Depois, vomitou umas mentiras para os bobos que a quiseram ir ouvir e prestar vassalagem.

Tem isto nível para ir perorar a uma faculdade? Não, não tem, o que faz é arengar para as "massas" de analfabetos que por lá arrastam os dias. E que analfabetos! Uma que conheci, de mais de 40 anos, formada em Direito e funcionária pública, não sabia que o 25A não depôs Salazar, mas sim Marcello Caetano. Este encontro imediato de 3.º grau com alienígenas aconteceu-me a mim, pessoalmente, em curso de actualização recente.