quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Franco é, comunista o põe

Sobre a exumação do cadáver de Franco, em Espanha, no Vale dos Caídos, este artigo de Soares Martinez vale a pena ler, para contrapor ao escrito de Manuel Carvalho no Público do outro dia e também do Expresso.

O artigo do Expresso é sempre a mesma merda. O do Público é o que é: isso mesmo também. O comunismo em Portugal conseguiu um feito notável que não se replica em mais nenhum outro país: mandar na linguagem. E todos vão atrás deste panurgo de circunstância.





Em 1978 o Jornal publicou esta ilustração do comunista João Abel Manta, em poster:


A mensagem subliminar é clara: Salazar, Franco, Hitler e Mussolini, tudo da mesma laia. JAM nunca desenhou Estaline em imagem que se visse a realidade. Quer dizer, desenhar até desenhou. Mas meteu-o num conjunto de sabidolas da genialidade esquerdista, numa ilustração em 1975.

Estão aqui os pais desta ideologia que nos domina a linguagem, ainda hoje. Não será tempo de a alterar? Não basta o que basta?

Até quando será preciso pagar tributo a esta aberração?


Sem comentários: