Páginas

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Um elogio improvável

José Adelino Maltez, versado em filosofias e mais maçonarias, analisa o livro que José Sócrates assinou sem lhe colocar a dúvida metódica que alguns filósofos aconselham: quem escreveu realmente o livro? As dúvidas são legítimas a tal ponto que quem as ignora passa por ingénuo ou pior que isso. Uma coisa é certa: o elogio a Sócrates já não se apaga. Porquê, santo Deus? Porquê? E tudo o resto não conta para nada? Este filosofante vive no mundo lunar ou com os pés assentes em Terra? Enfim.

No caso, prefiro a melhor das hipóteses embora deixe a critério alheio a escolha da alternativa certa...

Sapo24:

José Adelino Maltez, professor no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, leu o livro de José Sócrates com a lente da ciência política. "Gostei dessa procura do carisma em política, entre a origem teológica e a procura do chefe, ou da personalização do poder, mesmo na democracia contemporânea. E fui determinando os rastos de investigações que o levaram a descrever a nova religião secular, na senda do que semeou Max Weber", escreve na análise que publicamos.

 

14 comentários:

jkt disse...

Como não percebo de filosofias... mesmo da minha área sei pouco, nah sei, também não vou ler isso.
Mas o Socas de "Engenharia" percebe de tudo pelos vistos e tem tempo para tudo...
Lembro de qd fiz a tese, bem mediocre, o trabalho que me deu... esse socrates anda em todo o lado e é com cada obra fabulosa.
Genio!

josé disse...

Enfarinha-se bem nas matérias e tem sempre destes gatos malteses, ás vezes, para o defender de todas a investidas filistinas.

Lamentável em alto grau. 33, de facto.

jkt disse...

As pessoas sabem. Os académicos... a fraude.
Sabem bem o trabalho que dá.
Até eu que não sou nenhum génio tenho uma ideia.
Por alto, que não percebo do assunto das filosofias,... provavelmente cita ou copia pessoas que dedicaram a vida, sim a vida, a determinado assunto...

josé disse...

O putativo autor do livro é um trafulha inveterado e disso já a maioria de quem pensa estas coisas se apercebeu.

Porém, há quem pense e releve tudo e isso é que se torna mistério grande.

Provavelmente por razões mesquinhas o que ainda adensa mais o mistério.

jkt disse...

Toda a gente no fundo sabe. Tipo o "povo" - todos nós.
Uns que têm que disfarçar por um ou outro motivo.
Não será lembrado por nada de jeito...
Vive numa qualquer fantasia.
Quando morrer... será lembrado por ser trafulha, nada mais. A obra dele será irrelevante. Se pretende a imortalidade... não vai conseguir.
Mas é um problema qualquer dessas gerações, tipo dos meus pais também... o ser doutor ou o que seja. Até forçam os filhos nas universidades...
Que raio aconteceu para ser assim, não entendo!
Este País tem esta mentalidade mesmo de m*.

Floribundus disse...

o biltre não citou o livro mais carismático
'o menino de oiro'

'malteses de pau e manta' eram os vadios norte-alentejanos vindos da I rep

pensei que falasse da nova juiza

josé disse...

Não vou falar porque não me apetece mexer no assunto. É polémico e a nova juíza não me agrada nada por vários motivos.

Um deles por isso mesmo.

jkt disse...

https://scontent-mad1-1.xx.fbcdn.net/v/t1.0-9/14938161_345671585813270_3155451225940953125_n.jpg?oh=7f77979bcdd2440e861bea9cf8d7ef82&oe=58CA7AF1

Até as matriculas contam ahah

Unknown disse...

Que esqueletos terá o maltez no armário para colaborar nesta fraude pública?

foca disse...

Mas era bom falar na Juíza

Será que alguém aceitava que um individu@ tomasse posse num cargo congelável enquanto estava Ministr@, se fosse no anterior Governo?
As esganiçadas não estavam já a queimar os soutiens nas escadarias da AR?
Os atos simbólicos agora não têm verdade administrativa?

Floribundus disse...

o 'Dia do Juizo'
mudou para juiza

conseguiu fugir depois da tentativa revolucionária dos quadros operacionais do MPLA

Maria disse...

"Porém, há quem pense e releve tudo e isso é que se torna mistério grande.

Provavelmente por razões mesquinhas o que ainda adensa mais o mistério." (José)

José, já pensou nos balurdos (em vil metal) que esta gente que o apoia e que elogia os seus livros e que está sempre presente nos respectivos lançamentos, mete ao bolso ou melhor, nas contas off-shore? Só o amigo que fez a 'revisão' deste último livro, empochou 100.000,00(!!!), exceptuando a bruta maquia que lhe terá sido prometida após os 'fabulosos lucros' que ele tem como garantidos, dado o número elevadíssimo de exemplares que serão vendidos tanto no país como de certezinha no estrangeiro... É bom lembrar que ele tem largas dezenas ou mesmo centenas de milhões de euros bem seguros na Suíça e porventura noutros off-shores e o facto de oferecer umas míseras centenas de milharzitos de euros a um amigo como recompensa pelo sacrifício despendido, não causa a mais pequena mossa nos seus vastos recursos materiais e outros.

É bom não esquecer que ele tem sido e continua a ser um 'mãos largas' no que diz respeito à distribuição de largas somas por tudo quanto é gente a gravitar à sua volta e que o protege das escandaleiras de toda a ordem e lucra milhões com isso (gente que tem sido conivente com as suas mega fraudes, segundo investigação do M.P.): ex-mulher, primo, mãe, ex-políticos enquanto governou(?), amigos chegados e afastados, etc., não são brincadeira e por oportunismo e/ou ganância pura e simples, não são ofertas que se recusem.

E em relação ao outro amigo/s que o ajudou na 'revisão' (ou escreveu) o livro anterior, qual terá sido a paga por tão extraordinário quão gratificante sacrifício?

lusitânea disse...

A maçonaria tem tanta coisa a reparar.Uns verdadeiros escravos de polir a pedra...

Octávio Diaz-Bérrio disse...

Um biltre!! Sem contar com as conversas que tinha connosco, sabendo perfeitamente quem é a Karocha, nas mesas da entrada, onde se pode fumar, na Pastelaria Açoreana ali à Gomes Freire.