segunda-feira, 15 de junho de 2009

A falsificação real

Estas duas imagens de espectacularidade atroz, circulam na Internet e em mails "forward", com o seguinte texto:

Feel so sad for all the passengers including the extraordinary photographer, who kept his cool even in the last moments of his own life and took these photos.
The world saw the disappearance of an Air France aircraft during a trans Atlantic flight between Rio to Paris . The two photos attached were apparently taken by one of the passengers in the aircraft, just after the collision and before the aircraft crashed.
The photos were retrieved from the camera's memory stick. You will never get to see photos like this. In the first photo, there is a gaping hole in the fuselage through which you can see the tailplane and vertical fin of the aircraft. In the second photo, one of the passengers is being sucked out of the gaping hole.

These photos were found in a digital Casio Z750, amidst the remains in Serra do Cachimbo. Although the camera was destroyed, the Memory Stick was recovered. Investigating the serial number of the camera, the owner was identified as Paulo G. Muller, an actor of a theatre for children known in the outskirts of Porto Alegre .
It can be imagined that he was standing during the turbulence, he managed to take these photos, just seconds after the tail loss the aircraft plunged.
So the camera was found near the cockpit. The structural stress probably ripped the engines away, diminishing the falling speed, protecting the electronic equipment but not unfortunately the victims.
Paulo Muller leaves behind two daughters, Bruna and Beatriz.




As imagens são verdadeiras, dizem respeito a uma ocorrência fotografada, mas...em ambiente cinematográfico.
Foram retiradas de uma série para tv chamada Lost, sobre tragédias aéreas e não mostram qualquer acidente aéreo real. As pessoas da imagem são actores e o ambiente ficcionado.
Tal como no jornalismo tapa-furos, parecem reais, são reais até certo ponto, mas não dizem respeito à realidade. São virtualmente falsas e podemos saber tudo isso através da mesma internet que serve de meio para a sua difusão. Neste sítio específico.
E no entanto, enganam muita gente que as vê sem qualquer espírito crítico.
Pudera que tivéssemos também um sítio adequado, para denunciar as realidades virtualmente falsificadas por certos jornalistas de ocasião que roubam a verdade, impunemente.

14 comentários:

Karocha disse...

Eu também recebo José, vi logo que não era real!
E o acidente foi de noite, mas as pessoas gostam de brincar com coisas sérias...

joserui disse...

Há uns dez anos (será já?) vi uma entrevista com alguém da Industrial Light and Magic que terminou com o entrevistado a dizer que os computadores chegaram ao ponto que até podia nem ser ele próprio ali a falar. Nesse aspecto fiquei esclarecido.
A manipulação fotográfica na imprensa é hoje corrente (na publicidade é 100%). Tenho aqui uma revista já com anos, com um "tutorial" (por acaso com o já insuportável C. Ronaldo) onde a distância entre a bola e o jogador não era a adequada. O "tutorial" ensinava a corrigir esse defeito. Não existam dúvidas que assuntos mais importantes que a bola também são corrigidos.
Quanto aos e-mails encadeados, essa praga, não recebo nenhum. Porque peço aos amigos que enviam o primeiro para não enviarem o segundo. E porque os filtros são hoje tão eficazes que só recebe quem quer.
Quer receber esses e-mails José? Para que perde tempo com isso? Virtualmente 100% são treta. Treta e piadas sem piada. Ou pornografia. -- JRF

Karocha disse...

Joserui

Nem são precisos computadores!
Devido há minha profissão, sei como se monta um plateau, e se fotografa e ilumina!
Vou dar-lhe um exemplo, fotografias de comida nada pode ser cozinhado é tudo em cru e muito bem pintado e iluminado ;-)
Para não falar dos lindos vinhos nas garrafas, da cerveja gelada e muito mais...

zazie disse...

Neste caso o José estava a falar de outros simulacros que nem precisam de manipular imagens.

MARIA disse...

... uma mentira, aliada a uma certa verdade, ou a determinada perspectiva da verdade, cria uma aparência de facto, tanto mais perigosa quanta a incapacidade de quem a tem que interpretar para decompor de forma logicamente compreensível, cada um dos seus componentes.
Quantas vezes é mais simples e até se afigura de boa lógica e raciocínio acreditar naquilo que a vista alcança imediatamente, do que procurar alcançar para além do simplesmente visível aos olhos ?! ...
Vale para tudo...

joserui disse...

Karocha, apesar de tudo essas técnicas parecem-me menos perigosas... Veja-se por exemplo o senhor Sócrates, um produto da mais fina publicidade... Não engana ninguém :) .
Mas quando se vê um filme como o Terminator 2 em que entra aquele terminator líquido, em que os efeitos e a realidade se confundem... As coisas complicam-se. A entrevista que mencionei era dessa altura (1991), imagine agora.
Agora um presidente de uma republiqueta pode morrer e continuar a aparecer na televisão como se estivesse vivo! :)

Zazie, estes e-mails... puleeze... quer dizer... eles saem aos milhares de milhões é um facto... deve existir quem acredite em tudo.
Andam fotografias minhas (tiraram do blogue) do gorgulho do feijão a desmentir(?!) também um e-mail qualquer sobre uma terrível doença... É uma praga (e não me refiro ao gorgulho, é às pessoas).
Estes mails são a versão do século XXI dos contos populares! Não vai grande coisa o século para já. -- JRF

zazie disse...

Doutor Engenheiro Campónio --JRF,

Estas tretas não podem ter nada a ver com os bons dos contos populares.

Esses falavam do maravilhoso e tinham o olhar ingénuo- estes são estúpidos e perversos.

Quanto à praga dos fwds também a extermino com os bons dos filtros.

Dantes dava-me ao trabalho de responde e chatear publicitários americanos e cheguei a ficar amiga de um à conta do sentido de humor do gajo.

Mas vi-me praticamente livre disso e os amigos estão proibidos de despejarem esse esterco.

Rebel disse...

Estas fotos não são deste acidente! Já as vi há mais de dois anos aqui na net e documentavam, se a memória me não falha um acidente que se passou no Brasil e a camera foi recuperada em terra, junto do corpo do autor do filme. Porque estas imagens são "fotogramas" ou frames de um filme.

zazie disse...

Já foi dito Rebel, vem no texto do post isso mesmo- que são imagens tiradas de »uma série para a tv chamada Lost »...

":O+

zazie disse...

E o post tem o título " a falsificação do real" por isso mesmo- por serem imagens falsas que se fazem passar por verdadeiras, tal como as notícias falsas do «jornalismo que rouba a verdade impunemente»

josé disse...

Estas fotos foram publicadas num blog- linkado no texto- em que se procura demonstrar exactamente o que o Rebel acabou por fazer: olhar as imagens ler umas frases e tirar uma opinião.

Nesse blog, diz-se que as fotos foram mostradas como sendo de realidade virtual de um filme de tv e mesmo assim, houve quem as tomasse por verdadeiras e passasse a notícia como tal.

É exactamente este o efeito que o jornalismo tapa furos pretende: títulos com a mensagem e chega. Mesmo que a mensagem seja falsa como Judas o objectivo está atingido.

o melhor exemplo recente é este:

O COrreio da Manhã escreveu que a mãe de José S. tinha uma pensão de 3 mil e tal euros por mês. Na altura, achei exagerado e desconfiei.
Ainda assim tanto bastou para que houvesse alguns que acreditassem e repetissem a "notícia".
No dia seguinte, o jornal desmentou: afinal a pensão era anual o que dava um montante mensal inferior ao RSI.

Ainda assim, há indivíduos na NEt a reproduzir a mentira.

Perigo, Rebel!

Rebel disse...

Só olhei para a imagem e reconheci-a! Estava com pressa, de saída e não quis deixar escapar a oportunidade de vos dizer que já tinha visto a imagem e num filme, aqui mesmo na net!
Não li e quase não tresli o texto porque estava com muita pressa. Tinha duas pessoas à minha espera. Desculpem!

joserui disse...

Nem todos Zazie, nem todos. Mas por isso é que eu disse a seguir que não vai grande coisa o Século XXI :) -- JRF

josé disse...

Não tem problema especial, Rebel. Apenas serve para exemplificar o que acontece noutras situações que não entendemos bem e tomamos as aparências por realidades sólidas...

É isso que faz o jornalismo tapa-furos: esconder a realidade e tapar os buracos da insuficiência.