domingo, 10 de maio de 2009

Manuel da política

"A minha forma de estar na vida é defender as pessoas que trabalham comigo, a minha equipa e os meus amigos." - Manuel Pinho, ministro deste governo, hoje numa entrevista radiofónica, referindo-se ao caso da farinha Maizena e às críticas que lhe endereçaram ( Vital Moreira, além do mais).

Mais palavras para quê?

Logicamente, deve o ministro Pinho dizer quem são os seus amigos. Por exemplo, sabemos que o presidente da Autoridade da Concorrência é um deles. O presidente Basílio, outro. Queremos saber quem são os demais. Ricardo Salgado também será? Ou vice-versa?

15 comentários:

Kafka disse...

Necessário nova pergunta ao Ministro das farinhas:
Mesmo os vígaros e incompetentes?

vml disse...

Sobretudo esses, disse ele, porque sendo do PS está implícito que são os vígaros e incompetentes.

Tino disse...

O gajos da Máfia e os da Maçonaria também pensam exactamente assim. Depois deles próprios, a seguir estão sempre os que trabalham com eles, a sua equipa e os seus amigos.

Isso da Dignidade, do Bom Senso, da Vergonha, do Respeito contam pouco ou nada...

josé disse...

A questão que se segue é muito simples e vou colocá-la no postal...

Aurora disse...

Sem dúvida o indivíduo é um cabotino.
Quanto ao Vital, aquilo não foi uma crítica, mas sim a preferência pela saudosa farinha Amparo.

Karocha disse...

De certeza José!

Mani Pulite disse...

Quando come Farinha Amparo o Pinho parece que usa um Avental para limpar a boca.Seria útil que ele divulgasse a lista dos amigos que comem colectivamente com ele a milagrosa Farinha.Diz-se também que o Pinho em vez de açúcar deita sal na Farinha.Parece que com o Pinho tem de ser tudo Salgado.

joshua disse...

É burro. Todos os mafiosos do poder não têm outro discurso. Se fosse homem diria que a sua forma de estar na vida é o espírito de serviço desprendido aos interesses dos portugueses. Esta malta tem de ser corrida. Eticamente é um desastre. Não se manca. Sampaio não tem perdão por ter aberto a caixa de pandora ao pessoalzinho mais reles que Portugal já viu em sítio/posição de responsabilidade.

roldao disse...

Foleiros & doutores


Terminaram as chamadas "Queimas das Fitas" e, salvo raras excepções, o balanço foi o do costume: alarvidade+Quim Barreiros+garraiadas+comas alcoólicos. No antigo regime, os estudantes universitários eram pomposamente designados de "futuros dirigentes da Nação". Hoje, os futuros dirigentes da Nação formam-se nas "jotas" a colar cartazes e a aprender as artes florentinas da intriga e da bajulice aos poderes partidários, enquanto à Universidade cabe formar desempregados ou caixas de supermercado. A situação não é, pois, especialmente grave. Um engenheiro ou um doutor bêbedo a guiar uma carrinha de entregas com música pimba aos berros não causará decerto tantos prejuízos como se lhe calhasse conduzir o país. Acontece é que muitos dos que por aí hoje gozam como cafres besuntando os colegas com fezes, emborcando cerveja até cair para o lado, perseguindo bezerros e repetindo entusiasticamente "Quero cheirar teu bacalhau" andam na Universidade e são "jotas". E a esses, vê-los-emos em breve, engravatados, no Parlamento ou numa secretaria de Estado (Deus nos valha, se calhar até já lá estão!).


http://jn.sapo.pt/Opiniao/default.aspx?opiniao=Manuel%20Ant%F3nio%20Pina

beijokense disse...

Luís Rocha, o presidente da Energie, é outro.

Pinho e Lino disse...

««Sampaio não tem perdão por ter aberto a caixa de pandora ao pessoalzinho mais reles que Portugal já viu»»

O seu a seu dono.
A caixa já estava aberta.
De onde pensa que saiu Sampaio?

joshua disse...

Bem sei que a abriu porque estava lá dentro.

Colmeal disse...

Mais uma " vigarice", segundo o Público de hoje a empresa dos painéis solares perdeu a certificação que tinha, trinta dias depois do faraónico anúncio destes brilhantes coveiros que nós governam....
Como dizia um autor brasileiro de que não recordo agora o nome, estes tipos são tão maus que até dão mau nome ao fracasso ...

Pinho e Lino disse...

Ah bom... Assim está explicado.
E Soares só a mandou fabricar. Mão de obra chinesa, ganha no jogo de influências no casino de Macau, importação contrabandeada...

joshua disse...

Essa caixa chinha aberta precisa de uma marretada definitiva com um epitáfio: «Não mais, nos teus interesses sôfregos, lesarás Portugal e os Portugueses.»