sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Who dunnit?


O advogado José Miguel Júdice, patrocina uma filha de Tomé Feteira em pleito judicial que o opõe ao advogado Duarte Lima que patrocinou a companheira do pai daquela e que foi assassinada no Brasil. A acção, em geral, é a discussão acerca da herança de Tomé Feteira, um novo caso Champallimaud, com ingredientes bem mais estranhos e até macabros.

Júdice, ao i de hoje, disse claramente ao que vem: o dinheiro que Duarte Lima recebeu da assassinada, deve passar para o acervo da herança.
Ou seja, Júdice mandou às malvas qualquer dever de reserva que decorre do seu estatuto de advogado e não tem papas na língua, atentando contra o seu estatuto sem peias ou problemas de maior: ao i fez saber que se não entregar o dinheiro, Duarte Lima é suspeito. Assim, sem mais.
Espero que o Bastonário Marinho e Pinto se pronuncie publicamente, o mais rápido possível sobre este escândalo e este abuso de Júdice.

Duarte Lima, confrontado com estas declarações e outras, foi perguntado ontem na TV de Judite de Sousa, quem estará por trás da "mão invisível" que o quer tramar. Ficou em silêncio...eloquente.

1 comentário:

andrecruzzzz disse...

também é sintomático a pouca defesa que tem sido feita a duarte lima..
nem q seja em nome dos ditos direitos fundamentais..

por contra-ponto a uma verdadeira barragem em descarga em vários media todos os dias..até parece q alguém contratou uma agencia de comunicaçao p chatear o d.lima..

também gostava de saber desde q data é q o júdice representa a dita contra-parte..