sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Vive la France!

Atente-se nesta imagem da revista francesa Marianne, saída no último Sábado. "O crápula da República", poderia ser a tradução de acordo com o Larousse de Poche de 1971.

Poderia perguntar-se se alguma vez em Portugal algum jornal ou revista poderiam fazer um título de capa deste teor, com este primeiro-ministro que temos. A resposta é rotundamente negativa porque a densidade elevada de auto-censura o impediria. Resta saber porquê.

No interior o artigo de Jean-François Khan ainda é mais demolidor e numa entrevista de Guy Sitbon a Michel Rocard, o socialista de oposição, este diz que a revista se comporta como um actor político. Lembra alguém? Claro. Lembra os mesmos reflexos antigos e condicionados pelo respeitinho para com os políticos.

5 comentários:

joserui disse...

Hmmm... independência económica, gera maior possibilidade de independência jornalística. Mas como já não me acredito na independência de nada, quem financia a Marianne? Só os leitores? Seria bom de mais.
Entretanto, o futuro dos jornais continua a desdobrar-se. Veja isto (é um leitor RSS de múltiplas fontes, mas com grande nível e cuidado colocado no design e usabilidade). De alguma forma acho que as publicações electrónicas podem atingir a independência que o papel já não consegue. Mas quem quer notícias descontaminadas tem de estar disposto a pagá-las. -- JRF

Mani Pulite disse...

E EM PORTUGAL QUEM É O VOLEUR DE LA RÉPUBLIQUE?ALLONS ENFANTS DE LA PATRIE...

joserui disse...

O José precisa destas etiquetas e o Mundo também: http://www.tomscott.com/warnings/. -- JRF

Ruvasa disse...

Viva, José!

Mas nada de exageros!

O senhor de lá poderá sê-lo... ou não; o senhor de cá nem sequer parecê-lo... ou sim.

Cumprimentos

Ruben Valle Santos

Karocha disse...

Já estava a revista fechada José!