Páginas

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Um cromo que me faltava, de 1975

Esta revista L´Express de 10 de Fevereiro de 1975 é um dos cromos que me faltava na colecção de jornais e revistas do PREC.

Não é muito raro mas é um dos mais importantes porque mostra como pouco tempo antes das nacionalizações de 11 de Março de 1975 os franceses liberais olhavam para o que estava a acontecer em Portugal.

O artigo de Jean-François Revel é exemplar ( tirando o facto de achar que o CDS iria ter a maioria dos votos nas eleições que se avizinhavam). As quatro páginas seguintes mostram exactamente o que estava a acontecer se fizermos  uma prognose póstuma, ao ler o artigo.

A estonteante lucidez da análise contrastava com a absoluta falta de compreensão dos fenómenos que por cá ocorriam, da parte dos media nacionais da época, com destaque para o Expresso. Quem ler o Expresso desse tempo ( Fevereiro de 1975) e este artigo percebe imediatamente como iríamos para um regime de ditadura comunista sem que se dessem conta disso.

Lembro-me de na altura ler estas coisas e pensar com os meus botões que esta análise era exagerada.

Pois não era de todo.


3 comentários:

Floribundus disse...

barreirinhas FdP
e seus vorazes camaradas

“Não há planta mais daninha que o dinheiro entre os homens: ele é que subverte o Estado, que arrebata ao lar o chefe de família; ele é que fascina e perverte os bons e os induz, enfim, à desonestidade. Ele ensina ao homem todas as perfídias e também a não recuar ante a impiedade.”
Sófocles, Antígona, 295 ss.

António Rosa disse...

Amigos do alheio...é o que é...
Prognose póstuma ? wow , voilà du chic ! Proponho : Postgnose...( lol)

Maria disse...

A cara deste homem, Cunhal, faz medo ao susto. A sua expressão de ódio ao outro reflecte o seu interior diabólico, como aliás foi provado à exaustão pelos seus actos políticos maquiavélicos cá dentro e lá por onde andou e deixou a sua marca indelével.