Avançar para o conteúdo principal

Baratas e percevejos da internet

Conforme alguns comentadores se deram conta, neste blog e de há uns tempos a esta parte apareceram um ou dois "insectos" que ocupam em tempo continuado a caixa de comentários. Insectos em modo informático são "bugs", anglicismo para baratas e percevejos metafóricos que se ocupam em sujar um espaço que em princípio é de quem se regista no Google para comentar o que lhe aprouver segundo regras não escritas mas por todos conhecidas: ater-se ao assunto do postal, não incomodar desnecessariamente outros comentadores e contribuir para uma eventual discussão sadia e livre de interferências rastejantes, dignas de baratas e percevejos.
O critério é do dono da casa, claro está. E os comentadores se não forem desse género percebem geralmente os recados e afastam-se. São pessoas educadas as que o fazem. Quem não participa dessa qualidade assumindo a de insecto, a partir de certo momento,  não tendo qualquer limitação moral ou de costumes, infesta e volta a infestar, tomando conta do caixa de comentários, parasitando-a.
Para estes bugs, tal como na vida real, poucas medidas eficazes se podem tomar nestes sítios do Blogger. Apagar comentários indesejáveis, exterminando-os, prerrogativa do administrador do sítio ou impedir os comentários pura e simplesmente, é o que resta fazer.

Não sendo essa a política da casa, só em último caso se tomam tais medidas drásticas.

Assim, o apelo é simples: quem é apodado de insecto, por se comportar como tal, nessa acepção informática,  que se afaste porque se tornou indesejável. Não tem o direito de comentar livremente quem hostiliza permanentemente o administrador do sítio, em modo provocatório e sem qualquer resquício de educação básica, só porque não concorda com as ideias e posições políticas ou outras.  Há um modo alternativo de actuar para quem não tem princípios de educação: monta uma tasca na internet e larga aí a baba ou os escarros que entender, se sair daquela condição. Mas não na caixa de comentários dos outros.

Comentários

Floribundus disse…
normalmente são gentalha falhada , frustrada, que necessita de se mostrar
muitas vezes ao serviço de quem lhes paga

sempre ignorei quem me provoca
nada melhor que os tornar invisíveis

neste caso eliminava os cumentários

'o Diabo que os carregue' e os despeje na lixeira

tenha um Bom Dia
porque o carpe diem aparece fora do com testo
josé disse…
Ignorar os comentários é a melhor forma. Mas há quem não resista a ler e comentar.

Isso é fatal.

Se perante um comentador tornado percevejo, alguém ler a baba que despeja, torna-o nocivo por isso mesmo.

O melhor é mesmo não ler de todo, nada.
josé disse…
A não leitura reduz um insecto à sua condição de inexistência, atirando-o para o beco de onde saiu e tornando-o inofensivo.
Ricciardi disse…
Um blogue aberto a comentários públicos é um espaço público. Para o tornar privado é simples: fecha o acesso ao público em geral e passa a ser uma espécie de clube privado com reserva do direito de entrada. É simples, não dá milhões, mas é eficaz para aqueles bloggers que tem muita dificuldade em lidar com ideias diferentes das suas, como tambem para aqueles que não suportam que lhes desmontem as inverdades que vão propagando e propalando.

Independentemente da verdade, os factos são inultrapassáveis e são eles que provocam azia no dono deste tasco. Senão vejamos.

O dono do tasco pediu aos leitores que não lessem o comentador em questão. Os leitores não lhe fizeram a vontade. Pelo contrario. Os cliques nos comentários do referido comentador dispararam.

Um dos comentadores habituais, mais carente da atenção do dono do tasco, e por causa disso, chegou mesmo a levar à votação a expulsão imediata do comentador indesejado.

E o que é que aconteceu?

Os leitores e comentadores quiseram, por opção livre, que ele permanecesse.

Irritado com tamanha deslealdade o dono deste tasco iniciou um campanha injuriosa contra o comentador. Como é bem patente neste post, onde o trata por percevejo e outros adjectivos desagradáveis.

O blogger, apesar da idade, e das ideias passadista que debita, é um estranho caso semelhante ao benjamin button. Em vez de amadurecer com a idade, infantilisse. Ou deixasse infantilizar pelas companhias. Sabe-se lá.

Em suma homem, cresça e apareça. Injuriar nao faz de si um homem, faz de si um puto que não tem argumentos e chama nomes aos meninos maus.

Eu não me importo com isso. Às vezes ate acho piada a certas analogias. Aquela por exemplo do zozie que exortava o comentador Pedro a ir bater pivias a grilos.

Rb



Carlos disse…


Água mole em pedra dura...
e, assim se passou à censura!

O fascismo também acreditou neste processo, como forma de fazer valer os seus intentos!
josé disse…
Continua a provocação de um malcriado.

Cada um é como é.

Vou optar pelo método: ignorar não lendo, literalmente.
Joao Carlos disse…
Se me permite, gostei.
josé disse…
Há carências que não se explicam e por isso há quem se sujeite a humilhações que outros não suportariam, justificando que isto é um espaço público.

Se o fosse, livre, não haveria possibilidade de fechar o local. E há.
josé disse…
Por outro lado o comentador em causa é um anónimo, com perfil escondido.

Um cobarde.
Ricciardi disse…
"Se o fosse, livre, não haveria possibilidade de fechar o local. E há." Jose

Estas perolas são para guardar. Obrigado José.

Rb

Ricciardi disse…
"Por outro lado o comentador em causa é um anónimo, com perfil escondido.

Um cobarde." Jose

E no entanto, ao consultar o perfil do José (clicai no nome dele) o Google diz que é um perfil privado.

Rb
josé disse…
Pois então coloque aí o seu endereço de email, como eu faço.

Há cobardes quem nem se enxergam.

Seja corajoso e coloque o endereço de email. O meu é público.

Enquanto o não fizer é apenas um cobarde.
josé disse…
Mais: diga a verdade sobre o bloqueio da Google ao meu blog em certos serviços público. Foi V. que directa ou indirectamente fez queixa?

Assuma!
José Domingos disse…
Existem coisas, que nasceram para serem labregos e tapetes, normalmente estão habituados a limpar a pocilga, que frequentam com gosto
Demasiado miseráveis, para serem alguém na vida.
Ricciardi disse…
José, eu não me espanto com a sua capacidade em inventar.

Nisso vexa é master.

Mas para que não restem dúvidas nessa cabecita. Não, não fiz queixa alguma em lado algum, ate porque nem sei a que se refere.

Rb
josé disse…
Fica registado.
Mario Figueiredo disse…
Não entendo a posição do José, muito menos como se deixa levar por uma narrativa politico-correcta em que bloquear um óbvio troll no blog que é seu e da sua autoria de alguma forma contraria os seus principios.

Penso que das duas uma, ou ainda existe muita confusão sobre o que constitui Liberdade de Expressão e combate político e como ou onde ela deve ser aplicada, ou simplesmente o José eleva o conceito para o dominio da auto-flagelação. O que não se compreende. Até porque corre o risco de por em causa a participação de quem o segue à anos.

Não se trata de apenas deixar de ler a criatura ou não. Se o José tem essa capacidade de se abstrair do ruído, louvo o seu super-poder. Já a maioria não. E lhe garanto, muito menos quem visita o seu blog pela primeira vez e após ver o descalabrao em que isto se está a tornar, apesar da imensa qualidade, provavalemente prefe ir para outras paragens onde existe um mínimo de controle e cuidado dado à participação dos leitores.

O debate político também ele tem regras. Simples de seguir. Não sei se o José também pensa que foi um atentado à liberdade de expressão do Manuel Pinto ser retirado de Ministro quando fez uma cornadura à bancada do PCP. O facto é que se não criamos balizas claras e apertadas naa relações na internet, o hot-topic que é a política, associado à natureza deste blog e ao anonimato que a internet propicía, significam que o José vai perdendo a sua capacidade de comunicar o seu pensamento e no mínimo pôr as pessoas a pensar sobre os seus temas, que penso ser a razão porque dedica o seu tempo a isto.

E ironicamente o José torna-se um cúmplice do troll. Porque esta é precisamente a estratégia de bloqueio que trolls ou avençados usam um pouco por todo o mundo em blogs de carácter político para os encerrar ou lhes retirar capacidade, como você bem deve saber.

Dito isto, sinta necessidade de esclarecer no entanto que precisamente porqueo blog é seu e da sua autoria, apenas expresso aqui o meu desagrado mas necessariamente devo respeitar a sua decisão.
josé disse…
E como é que bloqueia um comentador anónimo, mesmo com registo no Google? Consegue fazê-lo?
Ricciardi disse…
Eu posso ensina-lo a fazer isso, José. Envie o seu email que eu mandolhe os passos necessários.

Ate me posso bloquear a mim próprio. Basta pedir, basta pedir, parafraseando a Dori do Nemo.

Rb
Ricciardi disse…
Mas não há sistemas perfeitos. Infelizmente.

A melhor forma é moderar comentários. Nenhum é publicado sem a sua previa censura. Este é o método mais eficaz e que o deve agradar.

Rb
José, não sei ajuda a exterminar esse carocho, mas aqui fica:
http://infobloggerweb.blogspot.com/2010/07/como-bloquear-os-comentarios-anonimos.html?m=1
Kaiser Soze disse…
Isto é uma discussão muito interessante.
O facto, por exemplo, de os Comunistas usarem o termo "democracia" sem lhes queimar os lábios é o principal dos exemplos de como a democracia tolera parasitas.

Nada é perfeito e, por isso, em liberdade temos de tolerar mentecaptos.

Este nosso feliz sistema sujeita-se a coisas como "factos alternativos".
Mario Figueiredo disse…
Yup. Estive agora a verificar, porque a sua pergunta pareceu-me estranha. E tem razão, a trampa do blogspot não tem nenhuma função para bloquear utilizadores. O Portadaloja está portanto completamente aberto ao spam. Não admira que pouca gente use isto e prefira o Wordpress.

A única hipótese seria alterar as configurações do blog para o josé verificar e aprovar todos os posts. Mas isso demasiado trabalho para um blog gerido por uma pessoa.

Lamento. Não há solução :(
Ricciardi disse…
Há solução. O Figueiredo é que é um bocado totó e não sabe. Totó no sentido venial, puro, inocente, nabo.

Anyway, eu não intui que os meus comentários fossem tão impactantes para o Jose. Pensei que éramos pessoas normais e que não levávamos tão a serio as discussões de ideias e de idearios.

Em não quero que dê alguma coisinha má ao José. É agora certo que este vosso comentador parece ser areia a mais para a camionete do José.

Mas trago boas e más noticias.

As boas é que vou resistir, até ao limite, para além do que a força humana permite, comentar os posts do José.

As más é que não prometo que, se algum dos comentadores me provocar, ou invocar o meu santo nome em vao, não regresse com toda a pujança.

Por isso, José, controle o seu pessoal. Não permita que eles lhe estraguem o blogue.

Fui

Rb



Adelino Ferreira disse…
.... e as pulgas?!



lidiasantos almeida sousa14 de junho de 2018 às 11:36
ZAZIE VOCE É HOMEM, SÓI OS HOMEM ESCREVEM ASSIM, O SOU BONECO ASSUSTA-ME PODIA POR UM MAIS AGRADÁVEL A VISTA. ,
.´´

Responder

zazie14 de junho de 2018 às 11:41
ò putalhona- homem é que tens falta. Se nem conheces od desenhos do Goya, és uma imbecil mete nojo.

Desorelha- vaca que ninguém está interessado em histéricas socretinas

Isto sim; nem no Burkina Faso é aceitável! A forma reles da linguagem e a propriedade de defender o que os comentadores deste espaço estão ou não interessados é para mim um enigma.

Kaiser Soze disse…
Oh, foda-se...é o Pedro Guerra!
Carlos disse…
Já aqui manifestei o direito do autor deste blogue, dele fazer o que quiser. Só cá vem quem quer, como eu, mas aguento-me à brocha, até ao dia que me apetecer.

No entanto, não percebo esta polémica de bloquear comentadores, só pelo simples facto de, tal como a formiga, irem em sentido contrário.

Se o critério for a grosseria e a má-criação utilizada por algumas personagens crónicas deste sítio, então terá que começar pela mais ordinária, e para isso, basta ir ao histórico (especialidade da dita) .
joserui disse…
É óbvio que o José pode ter as suas regras e podem ser subjectivas — pelo facto de estar aberto ao público não tem de prescindir do direito de admissão. Já me parece grave, ser bloqueado em sítios do estado que temos. A questão do tópico é uma a que eu fujo muitas vezes, mas se for uma regra estrita cumpro… Mas muitas vezes até para colocar um link de interesse futuro se utiliza a caixa.
De resto eu vejo as coisas de duas formas: Os da cassete, que francamente já têm tantos fóruns, toda a imprensa e actividade editorial, que é bizarro virem para aqui enxamear o blogue, maioritariamente com mentiras. Só pode ter um objectivo e se o dono do blogue não o puder contrariar, então é tudo nosso. Eu adoro os posts em que o José confronta a notícia ou croniqueta de hoje, com as notícias e publicações do Estado Novo. Mais ninguém faz isso e incomoda muita gente, é um óptimo sinal. Não percebo porque se haveria de deixar sabotar e deteriorar.
Em segundo lugar o caso do Rb, que é perseguição pura e simples. O tempo que aqui passa como polícia da internet é extraordinário. É patológico. E mais, há qualquer coisa de errado, porque quem comentou com ele no Portugal Contemporâneo, tem de considerar a hipótese de nem ser a mesma pessoa, porque por vezes não parece possível. Portanto, se for possível bloquear e apagar tudo, a bem da discussão, sou a favor e rogo-o.
Kaiser Soze disse…
Parece-me que o problema não foi detectado ou - o que me parece ainda mais certo - é forçadamente não entendido, o que é, curiosamente, a raiz da coisa.

Não estou certo que a questão se prenda com grosseria e má-educação; o problema prende-se com desonestidade intelectual e desinformação.

Vamos, por exemplo, imaginar que o Bruno de Carvalho e o Trump não são mal educados.
O problema de instigarem, voluntariamente, a estupidez e a mentira desabrida são suficientes para irritar as pessoas.

Eu sei que hoje está nada moda cada um ter a sua opinião mas, para pena do Mundo em geral, perdeu-se algo de muito óbvio: cada um pode ter a sua opinião mas não pode cada um ter os seus factos.
joserui disse…
Os trolls vão ganhando em todo o lado e que até são suaves. Mas parece-me óbvio fazer algo para os ir contrariando.
De resto sou a favor de conversar e discutir. O José ou a Zazie por exemplo, são pessoas que fazem pensar e levar mais longe uma ideia. Isso para mim conta vindo de qualquer quadrante. Perder tempo e treta, vou evitando. E este é o único blogue onde comento, deve valer alguma coisa isso. Tenho pena que a conversa seja constantemente minada pelos tais percevejos.
Portanto José, espero que continue por muitos e bons anos. Os cães ladram e a caravana passa.
joserui disse…
"e aqui até são suaves"
joserui disse…
"mas não pode cada um ter os seus factos"
É verdade, mas lembro-me das aulas de filosofia do secundário… o professor deu o exemplo de um golo ou falta no futebol, ou um pequeno acidente de carro. O facto é o mesmo e são por vezes as discussões mais acaloradas, a discutir factos.
No factos mais assentes, eu agora tiro o iPhone, vou à app "V for Wiki" e consulto a Wikipedia, a ver se não perco o que resta da minha vida a discutir factos.
Kaiser Soze disse…
Não terá percebido o que quis dizer mas posso - propor - ilustrar:

Google as imagens de tomada de posse do Obama e as do Trump.
O Trump afirmou que teve mais gente a assistir a dele; isto não é sujeito a opinião.
josé disse…
Pois sendo assim "rebus sic stantibus".

Até amanhã...
Ricciardi disse…
Será mais adequado "Contractus qui habent tractum successivum et dependentiam de futuro, rebus sic stantibus intelliguntur".

Rb
Miguel D disse…
A técnica é mais velha do que a Sé de Braga.
Primeiro, a reivindicação da liberdade e a proclamação dos princípios do debate e da livre troca de ideias no espaço público. É a fase do desafio à ordem dominante.
Depois, vem a poluição do espaço público. Não interessa o debate, que se sabe que se perde. Interessa degradar o espaço público a um tal ponto que os adversários não o possam utilizar para a exposição de ideias. Degradado o meio, a superioridade das ideias adversárias fica comprometida. Aqui vence o trollismo, a piada chocarreira e a provocação.
Em nome da liberdade de expressão destrói-se o meio onde ela é possível.
foca disse…
Este Ricci é um pândego
Nitidamente de formatação comunista, defende para ele o que não dá aos outros, enche a boca para alardear liberdade mas jamais permite alguma.
Um verme
Mas como diz o grande Bruno de Carvalho, é chato
Por mim era partir-lhe a tromba, soltem-no com os rapazes de Alcochete
Ricciardi disse…
Foca, em Guimarães quando um tipo ameaça outrem o atingido normalmente diz o que eu lhe vou dizer a si:

- "Nem hóme quanto mais canalha"

Rb
Dudu disse…
Agradeço ao José ter ajudado a redescobrir o lado obscuro do Estado Novo, sobretudo o período de Marcelo Caetano.
E também o lado obscuro do regime criado com o 25 de Abril.