Páginas

quarta-feira, 13 de junho de 2018

O reino das cunhas

 No Observador, este artigo sobre o fenómeno da corrupção tem este excerto que me suscita comentários:

Começo por trazer, a este propósito, o que António Araújo disse, em entrevista ao Público: “Há muitos estudos sobre a oposição, mas não há ainda um sobre como é que Salazar administrava uma coisa fundamental que era a cunha, como é que ele dominava o país”. Valeria a pena olhar para o que eram as relações sociais e profissionais e a forma como os cidadãos se relacionam com o Estado desde a ditadura, mas a cultura da “cunha” é mais antiga do que isso. Facto é que a maioria dos Estados em que a corrupção é generalizada (ou a sua perceção é elevada) são Estados com valores democráticos débeis e com instituições públicas desacreditadas. No entanto, não é menos certo dizer que a experiência do Estado Novo trouxe a Portugal a ideia de que a denúncia da corrupção é ineficaz ou que traz, por si só, represálias, além de ter cimentado a cultura da “cunha”, que já nos era tão familiar.

Se não há estudos sobre as cunhas de Salazar porque é que o dito Araújo do Malomil dá por assente a sua existência como sistema de corrupção?
E já agora cunhas para quê? Para colocar amigos em instituições como o PS fez com Paulo Pedroso, um licenciado em Sociologia que foi para o Banco Mundial em Washington, certamente muito bem remunerado? Que qualificações e especiais pergaminhos tem Paulo Pedroso para conseguir tal lugar? O de ter sido preso no processo Casa Pia por suspeita de abuso de menores?

Estas nomeações são a quintessência do tráfico de influências, na medida em que são organismos do Estado, mormente o Governo quem designa estas pessoas sem grandes pruridos éticos. Há inúmeros cargos ( mais de cinco mil, segundo cálculos do tempo de Guterres) que podem ser destinados a boys&girls das afinidades do poder, sem dar satisfação democrática.
Será este o reino das cunhas de que fala o Malomil?

Se for, Salazar não era desse reino. 

  Então porque razão se vilipendia quem não se deve e deixa passar em claro quem merece o opróbrio?

24 comentários:

lusitânea disse...

É deitar lama na ventoinha ... para ver se pega alguma onde de facto não pegava.
Havia cultura de mérito e exigência e acima de tudo de verdadeiro patriotismo, coisa que os internacionalistas abominam pois que depois de terem entregue tudo o que tinha preto e não era nosso como se sabe aceitando uma limpeza étnica dos seus compatriotas e sem bens andam agora a querer importar sem limite por alegadas questões de demografia e direitos humanos...
Se houvesse alguns Portugueses à antiga estes FDP iam outra vez dentro pelo desastre que provocaram à Nação Portuguesa

Floribundus disse...

depois de AOS a Dona Cunha, a mais velha instituição nacional,
exerceu-se unicamente nos casos
da casa da coelha
da tecnoforma

quanto ao resto 'o dinheiro é do ps'

altaia disse...

Diz me José quando os Padres se ofereciam para safar da guerra muitos portugas isto não eram cunhas, quando não obedecias aos legionários das Aldeias que eram denunciados como do contra e não podiam concorrer a determinados serviços e eram escolhidos os amigos isto não eram cunhas,balhamedeuze José.

josé disse...

Isso dos padres a safarem mancebos da tropa era assim a modos de fenómeno de "massa"?

E quem era do contra não poder concorrer a determinados cargos era também cunha? Ao contrário?

josé disse...

A cunha não é exclusivo de Salazar mas da natureza humana.

O regime de Salazar assentava na corrupção por cunha como diz o infeliz Malomil?

É isso?

Ricciardi disse...

O Portugal salazarista estava cravejado de 'favores'. De cima a baixo. A grande corrupção era efectuada por altos funcionários do estado. A pequena pelas respectivas hierarquias.

Quem não conhece alguém cujo médico militar o safou de ir para a guerra fraticida colonial que esteja calado.

Essa guerra que Salazar levou ao próprio povo. Durante 10 invernosos anos, tornando completamente impossível qualquer veleidade em manter o Império que tivemos durante séculos.

Rb

josé disse...

O mérito como modo de escolha de pessoal dirigente era valor cultivado por Salazar ou não?

E comparando com o que há hoje, haverá comparação possível, mesmo com Cresaps?

josé disse...

O intrometido que apareceu na discussão não existe. Pode cantar loas aos pássaros que é igual.

Floribundus disse...

no tempo de AOS houve eventos com casa à cunha
1949 chegada de Carmona do Porto
1959 inauguração do Cristo-Rei
1961 Alcântara na presença do Santa Maria

Maria disse...

"O intrometido que apareceu na discussão não existe. Pode cantar loas aos pássaros que é igual."

Desculpe que lhe diga, José, mas trata-se de um verdadeiro martírio. A sério.

josé disse...

Experimente não ler uma palavra sequer. Desaparece.

Lura do Grilo disse...

Salazar é um cheque bancário aos idiotas que o golpe de Estado do 25A trouxe à tona como os cadáveres afogados.

Luzia Machado disse...

Nunca a cunha, o compadrio, o lambebotismo, as cumplicidades, a falta de vergonha e ausência de ética foram tão graves como actualmente.

Na Função pública, o merito transformou-se em merdito

Mario Figueiredo disse...

Essa coisa da cunha já existia nos tempos da monarquia e foi uma entre outras motivações para a implantação da república. Segue-se a Primeira República onde a anarquia e as constantes mudanças do poder tornaram os padrinhos e o compadrio uma instituição. O Estado Novo veio pôr alguma ordem no caos. Mas já se sabe, com os anos tudo apodrece. Assim como podre está esta 3ª República que já conta os mesmos anos de vida do Estado novo.

lidiasantos almeida sousa disse...

AFINAL O FOTOGRAFO FOI LUIS OCHOA. A VEBVISTA HOME, FACA PA O EXPERT ´SENHOR JOSE DESCOBRIR.

lidiasantos almeida sousa disse...

https://observador.pt/especiais/os-7-mitos-cavaco-silva/

lusitânea disse...

Os internacionalistas programaram os estudantes africanos na Casa do Império para se revoltarem a mando da URSS e matarem a torto e a direito brancos e pretos e depois o mausão do Salazar é que é culpado da guerra...
Naquele tempo havia de facto "masculinidades" que a partir do 25 foram orientadas mais para o buraco do cagar...
Mas e agora porque é que África continua a ser assim tão importante?Para a paneleiragem ter cus para lamber e apanhar a tal hepatite "A"?
Imaginem a corrupção de fuga à tropa.Os 100000 que eram desertores e refractários esses não tiveram direito a cunha...

lusitânea disse...

E os ex-lava pratos em Paris é que nos têm governado.Por quanto tempo mais?

lidiasantos almeida sousa disse...

VEJAM O POBRE Frankenstein antes da transformação, maris tem esperto na cabeça,.,


https://observador.pt/especiais/30-anos-de-cavaco-silva-o-homem-e-as-circunstancias-de-uma-lideranca-quase-inesperada

lidiasantos almeida sousa disse...

MARKETING O CANCRO DA HUMANIDADE.


http://www.alexandrepais.pt/rui-ochoa-o-fotografo-dos-presidentes/

lidiasantos almeida sousa disse...

30 ANOS DE RODAGEM CONDUZIDO PELA MARIA, MERECIA UMA ,MEDALHA.


http://expresso.sapo.pt/politica/2015-12-31-Cavaco-Silva.-30-anos-em-rodagem
,

josé disse...

Ó lídia: o postal não é sobre o Cavaco...

Um dia destes recoloco aqui com actualização, a propósito das privatizações dos anos noventa, um perfil do cavaquismo que fiz em tempos.

Até lá, give me a break!

lidiasantos almeida sousa disse...

obrigada MESTRE gostara de ver as fotos desse grande fotografo RUI OCHOA e não Luis ochoa. HOJE ESCREVO POUCO A PATA PARTIDA DOÍ QUE SE FARTE SENÃO JÁ ME TINHA BALDADO DO CHOÇA..

aguerreiro disse...

O portuga só precisa dum bom padrinho e.... duma tença... para ser feliz!