segunda-feira, 8 de julho de 2019

Acredito em Ricardo Salgado: só pagou comissões...


“Eu nunca na minha vida corrompi ninguém”. Foi assim que o antigo banqueiro, Ricardo Salgado, resumiu as respostas às várias perguntas que os jornalistas lhe fizeram esta tarde de segunda-feira à saída do Tribunal Central de Instrução Criminal, em Lisboa, depois de ter sido interrogado pelo juiz Ivo Rosa na instrução do processo da Operação Marquês.

Um católico, frequentador de missa ao Domingo não mente. Ou terá que se confessar. Ricardo Salgado já se confessou, mas não deste pecado da corrupção, coisa que ele não sabe o que seja.

Só sabe e isso sabe muito bem que almoços grátis é coisa que não existe, segundo os teóricos destas coisas da economia. Alguém os paga, sempre. No caso do banco dele, somos nós. Então o que fez Ricardo Salgado?

Simples: pagou comissões em negócios perfeitamente claros. Queria que a PT ajudasse o BES e pagou. Em comissões. Queria que o Governo ajudasse o banco na OPA da Sonae. Pagou comissões. 
Intermediários? Um tal Guilherme e um tal Bataglia. 

Ricardo, Ricardo! Vá à campa do seu avô e reze por si, lembrando-se do que Salazar lhe diria se fosse vivo: V. é um hipócrita! Mas não lhe diria assim deste modo, porque Salazar não era directo. Fá-lo-ia sentir a hipocrisia. E bem.

Sem comentários:

Miguel Sousa Tavares, outro tartufo