Páginas

sábado, 28 de maio de 2016

28 de Maio de 1926: a verdadeira regeneração

Faz hoje 90 anos que ocorreu o golpe militar de 28 de Maio de 1926 que devolveu à Nação portuguesa muito do que tinha perdido desde o golpe de 5 de Outubro de 1910 que destruiu o ancien régime e implantou uma República maçónica.

Para entender o quê é preciso saber o que foi o contexto desse 5 de Outubro jacobino, anti-clerical e republicano de pendor socialista.

Nada melhor do que mostrar o que o Expresso de 5 de Outubro de 1990 publicou nessa ocasião de efeméride.
Os factos e a interpretação histórica, não sendo exemplares de isenção e objectividade parecem-me ainda assim melhores do que hoje em dia se faz.






O artigo de Mário Soares é o exemplo melhor do que significou essa revolução jacobina e cuja leitura histórica foi retomada em 25 de Abril de 1974.



Porém, em 5.3.1971 a revista Vida Mundial dava um destaque de 16 páginas à figura máxima desse período, por ocasião do seu centenário de nascimento: Afonso Costa. Impressiona o modo apologético como o artigo está redigido, sem uma menção a aspectos que se revelaram fatais para o jacobino-mor: o anticlericalismo e o socialismo protozoário com ideias peregrinas já vindas do Leste marxista, através das terras de França. Foi  para lá que se desterrou este "mata-frades" do séc. XX, tido como um intelectual de craveira superior, académico de renome e parlamentar ímpar. É ler os ditirambos e concluir que em 1971 o regime não era como o pintam os novos jacobinos.




Para complementar estas leituras jacobinas e maçónicas é necessário recorrer a outras fontes. Por exemplo O Diabo, onde o Professor Soares Martinez escreveu esta semana este artigo sobre o mesmo figurão. Nele, através de citações do próprio ( recortes...) se dá conta do verdadeiro propósito deste salafrário: eliminar a religião cristã e implantar o socialismo. O democrático...mesmo com a "Formiga Branca".


O 28 de Maio de 1926 sapou-lhe os intentos e obrigou-o ao exílio em França. Triste destino e triste percurso deste Robespierre dos tempos de antanho.



10 comentários:

Floribundus disse...

afonso costa
gomes da costa
costa monhé

a geringonça deu à costa em pedaços

José Luís disse...

Saúdo de braço ao alto o nonagésimo aniversário do 28 de Maio.

Vivendi disse...

Discurso de Salazar na cerimónia de comemoração dos dez anos do 28 de Maio de 1926.

https://www.youtube.com/watch?v=dZSYnkx_Czk

Josephvs disse...

Valente merda oh José no Observador

http://observador.pt/?post_type=obs_longform&p=1513130

josé disse...

Realmente...o Rui Ramos desiludiu-me com o artigo.

zazie disse...

Efeito avental.

hajapachorra disse...

O ancien régime foi destruído em 1834.

hajapachorra disse...

Muito bom o artigo do Rui Ramos. A história não é para sociólogos, tudólogos e
outros activistas.

josé disse...

"ancien régime" com aspas, deveria ter sido escrito. Mas para bom entendedor meia palavra...bla bla bla.

João José Horta Nobre disse...

O que o idiota do Afonso Costa não percebeu é que religião cristã não precisa de ser eliminada. Ela própria vai acabar por definhar até à extinção total, da mesma forma que todas as religiões do Mundo Antigo também definharam até desaparecer.

Não cabe na cabeça de ninguém acreditar em superstições primitivas neste nosso tempo.