Páginas

sexta-feira, 20 de maio de 2016

A voz do ridículo

Económico:

A Entidade Reguladora da Comunicação Social condena a TVI ao pagamento da taxa por encargos administrativos dado tratar-se de uma "decisão condenatória", no montante de 4,5 unidades de conta, ou seja, 459 euros. Além disso, a ERC remete a deliberação para a Comissão da Carteira Profissional de Jornalista (CCPJ) que tem poder para, entre outros, aplicar contra-ordenações.

Em causa está uma notícia divulgada na noite de 13 de Dezembro, que terá provocado o pânico entre os depositantes do Banif e, segundo a administração do banco, conduzido à sua resolução. A TVI e o director de informação do canal, Sérgio Figueiredo - que foi ouvido esta semana na Comissão Parlamentar de Inquérito ao caso Banif - têm agora um prazo de dez dias para contestarem a decisão da ERC.


Faça-se uma subscrição para ajudar o tal Figueiredo a pagar a "taxa de justiça"... e a coima que virá a seguir. E o valor das acções cíveis. E os recursos... 
O tal Figueiredo continua no seu lugar, impassível e a mostrar como se deve ser jornalista, o que fez no outro dia na AR com um desplante inacreditável.

8 comentários:

Floribundus disse...

'quem não tem vergonha todo o mundo é seu'

valha-nos são tander!

Floribundus disse...

Cuando, en lo infinito, lo idéntico
A compás eternamente fluye,
La bóveda de mil claves
Encaja con fuerza unas en otras.
Brota a torrentes de todas las cosas la alegría de vivir,
De la estrella más pequeña, como de la más grande,
Y todo afán, toda porfía
Es paz eterna en el seno de Dios, Nuestro Señor.
Goethe

A. Manuel Mendes disse...

A questão de fundo não é o tal Sr. Figueiredo ou a TVI, basta ver os conteúdos dos OCS que está tudo dito, mas, efectivamente, o que está em causa é o sistema que governa o País há já 40 anos que permite isto tudo. Enquanto não se acabar definitivamente todas estas ERC, erquezinhas e agências e agenciazinhas, não iremos sair da cepa torta. Enquanto os partidos fizerem as leis, governarem, fiscalizarem e aplicarem a justiça, os portugueses só têm que fazer uma destas coisas: emigrar, baixar a cabeça e abanar o rabo ou tentarem dar também o golpe.

Quando é que os portugueses estão disponíveis para elegerem como seus representantes os mais competentes, comprovadamente com critérios de mérito e conhecimento, e não permitirem que os lugares de poder sejam ocupados por taxistas, corruptos, incapazes, golpistas, desocupados, etc.

Já é tempo de exigir mudanças. Os partidos como estão organizados e as leis que os suportam nunca irão modificar nada. Pelo contrário irão promover cada vez mais a incompetência porque os barões já estão todos alapardados em conselhos de administração, em consultores do estado, em comissões, em eurodeputados, etc. Os partidos da esquerda à direita estão todos a defender os interesses das suas cliques dirigentes.

É simplesmente uma vergonha que já não haja vergonha.

Maria disse...

Um comentário 5*****, Manuel Mendes. Contém, preto no branco, o que vai de mal a pior no nosso País. Há que fazer qualquer coisa contra a insustentável balbúrdia política em que a gente que nos desgoverna é a única responsável. Enquanto as forças vivas e patrióticas do País não se mexerem a sério, nada irá mudar. Os corruptos e ladrões vieram para ficar e não largarão o poder senão à força. Há que mudar o que está nem que seja através de uma revolução pacífica. Se não for a bem terá que ser a mal. E uma tal revolução é fácil de pôr em prática, assim haja vontade. Os portugueses já suportaram demasiado tempo este deplorável estado de coisas. É simplesmente insuportável aguentarmos mais tempo a permanente instabilidade política, a criminalidade nas ruas que não pára de aumentar e a corrupção a nível do poder que grassa a olhos vistos, consequência directa e indirecta de uma classe política falha de valores morais e cívicos, os mìnimamente exigíveis a qualquer polítíco que se preze. Os mesmos políticos em serviço e múltiplos erros crassos cometidos, que para nossa desgraça têm-se vindo a prolongar no tempo, inacreditàvelmente desde há quatro longas décadas, sem que se vislumbre a mais pequena hipótese de alteração.
Um povo não pode viver num clima de permanente suspeição face a uma politicagem cujo sustento nos custa os olhos da cara e em que uma corrupção desenfreada e um desvario inaudito não param de medrar. Um povo não pode viver com saúde física e mental no meio desta loucura sistémica. Tudo o que for feito para travar o pandemónio em que nos encontramos está constitucionalmente legitimado. O resto está nas suas mãos.

Maria disse...

Que bonito, Floribundus. Goethe, pois claro. Parabéns por publicá-lo.

FMS disse...

José, há pior

https://oespalhabrasas.wordpress.com/2016/05/22/joao-ceu-e-silva-o-acolito-da-ganza-municipal/

Abraço
fms

foca disse...

Não é à toa que o Costa foi buscar o anterior de Reguladora.
Não sabendo bem o que lhe fazer enfiou com ele na Defesa para chatear a cabeça aos militares.
De tão pomposo que é, o individuo sente-se com competências para tudo e mais alguma coisa, se o convidarem a seguir para a agricultura, educação, ou até para comandante da TAP ele está lá.

Lura do Grilo disse...

Já o multi-medalhado Manuel Alegre quer receber 25 000 Euros por lhe contarem umas verdades