Páginas

segunda-feira, 2 de maio de 2016

E por falar em nazismo...a concepção e parto foi na Alemanha

Revista francesa GeoHistoire, última edição ( Abril-Maio 2016), um estudo sobre o nazismo e as suas raízes germânicas. Podem ler-se livros sobre o assunto, mas este resumo é muito interessante e em Portugal nunca seria possível ler uma coisa destas. Os Rosas e baloffos do costume só soletram a palavra fassismo...que aprenderam pela cartilha marxista da vulgata de vão de escada. O ideário é simplista- burgueses contra a classe trabalhadora- e os resultados garantidos: gulags a eito e hospitais psiquiátricos para doidos que não reconheçam a superioridade da ideologia, poder aos escolhidos pelo Partido e o resto...cela va de soi.

As Luzes na Alemanha estiveram muito tempo apagadas... e é  difícil entender o conceito völkisch que traduz uma superioridade racista.








 



15 comentários:

Sr. Hamsun disse...

Por cá os Rosas e os Lofes garantem a coutada. Os especialistas em fascismo são os esquerdalhistas. Já o prof. António José de Brito fazia notar isso, a curiosidade de termos em Portugal (e não só)como principais investigadores do assunto indivíduos que abominavam o fascismo. Se calhar não é por acaso que o único indivíduo que estudou a extrema-direita portuguesa pós-25 de Abril de forma sistemática, para lá de alguns artigos em revistas, seja alguém vindo de fora, o italiano Riccardo Marchi.

zazie disse...

"A vossa carta de África por certo que é muito bela; mas a minha carta de África está na Europa. A Rússia está lá e a França aqui e nós estamos no meio"

AHAHAHAHAH

zazie disse...

Ironia da História que as comunas das utopias rurais tenham acabado por triunfar nos kibboutz, pois. É ironia e é verdade e teve teoria sionista paralela à germânica.

zazie disse...

Mas o José é um espanto. Num instante encontra estes resumos extremamente bem feitos e coloca-os online.

zazie disse...

Os miúdos nas escolas não brincavam aos índios e cowboys nem polícias e ladrões mas aos arianos e judeus

eheheheh Não sabia desta. Estes movimentos de juventude tiveram uma gigantesca importância. Aquelas banhocas e nudismo para revitalizar a raça maila dona eugénia

zazie disse...

E tudo a saltar a fogueira e a cantar folclore quando celebravam os solstícios

AHAHAHAHA

Como a história se repete em caricatura.

zazie disse...

Não aguento ouvir essa do "Feliz Solstício" sem largar uma gargalhada.

E dito por pessoas com status para terem juízo. Com ar sério a desejarem o feliz solstício. E eu respondo sempre- um Santo Natal para ti também ":OP

josé disse...

Amanhã tenho mais...em francês e com um interesse talvez maior. Meia dúzia de páginas para explicar uma coisa que acho que é muito importante: as Luzes que vieram de França e que se espalharam pela Europa e moldaram o mundo. Os tais "ventos da História"...ahahaha.

E é de um suplemento do Obs. francês que saiu esta semana.

Portanto, estes recortes são fresquinhos. E ainda tenho guardados outros assuntos que vou coleccionando.

Floribundus disse...

divertem-se a esconder o suxial-fascismo

com hospitais psiquiátricos
gulagues

que põr certo farão
parte duma rubrica dum próximo OGE
da geringonça

josé disse...

Um dia destes vou dar-me ao trabalho de me mostrar a mim mesmo porque admiro a cultura francesa mais que a amaricana ou inglesa. Com base nas revistinhas que fui comprando ao longo de décadas e que obviamente guardei. Dezenas, centenas.

Só lamento não saber alemão...apesar de ter um curso completo em cassete, com manuais e tudo há mais de trinta anos. Empacotado...

josé disse...

Aborrece-me ser um pouco exibicionista nestas coisas, mas enfim, não é por mal ou para me inflacionar o ego. É apenas porque nunca reflecti nisto e agrada-me lembrar estas assuntos. É semelhante a entrar num alfarrabista e ver coisas que já conheço...

zazie disse...

Cá aguardo, José. É excelente e ajuda-me a pensar coisas que nunca tinha pensado.

Floribundus disse...

desculpe a ousadia

'porreiro, pá'

do pouco que conheço neste campo os alemáes não eram melhores que os franceses até há cerca de 10 anos
quando abandonei definitivamente o assunto

o alemão é mais fácil para quem se habituou às declinações latinas

não se preocupe com o seu pequeno EGO

face á geringonça e entertainer
e muito lixo humano que por anda a exibir a sua indigência

'porrada neles!'
'só sw perdem as que caem no chão'

João José Horta Nobre disse...

«Se calhar não é por acaso que o único indivíduo que estudou a extrema-direita portuguesa pós-25 de Abril de forma sistemática, para lá de alguns artigos em revistas, seja alguém vindo de fora, o italiano Riccardo Marchi.»

O Jaime Nogueira Pinto também tem uns trabalhos interessantes.

Floribundus disse...

aumento da dívida pública
greve na estiva
sector primário de rastos
aumento do desemprego
aumento do preço dos produtos petrolíferos
banca a caminho do desastre
bater o pé a Bruxelas

monhé e entertainer continuam em festa

comunicação socialista vive noutro rectângulo

lembre da melhor palavra de Cristo:
IDE