Páginas

sábado, 28 de maio de 2016

Não há pai para o capitalismo...

Revista L´Histoire Abril 2016, recensão crítica do livro Capitalisme: histoire d´une révolution permannente, de Joyce Appleby ( já estará traduzido?)

Uma das melhores definições do que é o capitalismo e da ausência de alternativa para a produção de bens e serviços. O socialismo não tem a capacidade de adaptação e inovação da iniciativa individual livre. E por isso está condenado a ir atrás de prejuízos que provoca e a copiar o que aparentemente não deseja. Uma contradição fatal que tem levado à miséria, Portugal incluido.


2 comentários:

Floribundus disse...

o outro, o de estado, faleceu quando o muro caíu e lhe es,agou o último neurónio

por cá a geringonça quer ressuscutar o dito cujo com o sucesso que se conhece

os ratos fedorentos comem tudo

João José Horta Nobre disse...

«Uma das melhores definições do que é o capitalismo e da ausência de alternativa para a produção de bens e serviços.»

Gostava de ver o José a defender o Capitalismo com toda essa força, se ganhasse 500 euros por mês como muito boa gente que eu conheço.

Experimente fazer vida durante um ano com um valor equivalente ao salário mínimo nacional e depois logo falamos das tais "virtudes" do Capitalismo...