Páginas

domingo, 5 de fevereiro de 2017

O problema da Der Spiegel...

Capa da última edição da revista alemã:




Capa de uma edição de 2004, assinada pelo ilustrador Daniel Adel, muito em voga alguns anos antes, nas ilustrações de revistas americanas:


Capa de uma edição de 1984:



Como diriam os americanos: is that clear?

Nós, coitados, não temos o problema desses alemães que já no século XVII tinham praticamente assegurado a alfabetização de metade da população masculina residente.
Nós, ainda demorou algum tempo: só com Salazar se fez alguma coisa de jeito, apesar de andarem por aí a dizer, os Rosas/Flunser&Cª Lta, que tínhamos um analfabetismo horroroso, culpa do mesmo Salazar que era um obscurantista que só queria que as pessoas aprendessem a ler, escrever e contar o que era básico e mesmo assim só  alguns privilegiados, entre os quais se contam os parentes daqueles.

Felizmente há por aí estudos comparativos e a revista do Le Monde num Atlas recente, deste ano, sobre as Utopias, mostrava tal panorama que por cá é sistematicamente escondido, para denegrir o Estado Novo:




Nota: as duas últimas ilustrações são retiradas do livro Die Kunst der Spiegel ( A arte da Spiegel), ilustrações de capas da revista, de cinco décadas, publicado em 2004 pela teNeues.

64 comentários:

jkt disse...

Não se consegue demarcar de Trump?
Isto não é como o futebol...
Foi do pior que a direita podia apresentar.

zazie disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
zazie disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
joserui disse...

Extremo mau gosto. As outras duas não me parecem más, mas não são muito boas.
A da New Yorker de aniversário, excepcionalmente fugindo do tema habitual (de aniversário) para o tema Trump, extremo bom gosto.

Floribundus disse...

os rosas vermelhos só têm espinhos
tal como os seus mortos favoritos:
estaline e outros assassinos

o problema do espelho é que mostra quem o usa

às 15 horas estava junto ao meu carro na av. D. João II no extremo oposto ao campo de justiça
passou pela minha frente a 5m o 44 dirigia-se para um prédio e deve ter saído dum carrito estacionado em 2ª fila

Floribundus disse...

naquela zona do rio onde passeio longe do ar puro dos tubos de escape

passaram por mim 3 jovens enfiadas numa burca preta acompanhados dos respectivos machos

estas 'apicultoras', tal como disse alguém, parecia que iam crestar mel numa colmeia

multi cul turalismo

Unknown disse...

Posso estar enganado, mas este "tiro no pé" da revista alemã ainda vai custar mais votos à Doutorada em Física Quântica...

Floribundus disse...

Sapo
Dezenas de cartazes contra o Papa Francisco foram colados nas ruas de Roma.

Os cartazes, entretanto tapados, referiam a “decapitação da Ordem de Malta” e neles podia ler-se: “Francisco, interditaste congregações, afastaste sacerdotes, decapitaste a Ordem de Malta e os franciscanos da Imaculada, ignoraste cardeais... mas onde está a tua misericórdia?".

O incidente está a ser investigado pelas autoridades.

Antonio Spadaro, director da revista da Companhia de Jesus “Civiltà Cattolica” interpretou os cartazes como “uma medalha pelo empenho do Papa contra os muros e o racismo”.


conheço umas 15 ordens da malta
sou da zonas dos 'malteses de pau e manta'
por isso apreciou a vagamundagem

mensagensnanett disse...

Pode parecer pouco... mas, na realidade, é muito muito muito:
- Donald Trump enfrentou os psicopatas globalistas - que controlam os media - e salvou a liberdade de expressão!
Antes de Trump, quando se falava em fronteiras/Identidade os psicopatas globalistas - pretendem implementar NOVOS TABUS na civilização - vociferavam "fascistas, nazis, etc" até silenciarem as vozes desalinhadas.
Depois de Trump passou a ser possível falar em fronteiras/Identidade com naturalidade.
Trump ao impor o fim do tabu... fez com que os psicopatas globalistas que controlam os media (nota: eles queriam implementar novos tabus na civilização) FICASSEM RESSABIADOS.
.
.
É preciso dizer não aos psicopatas globalistas, isto é, ou seja, não se pode deixar de reivindicar o LEGÍTIMO Direito à sobrevivência de Identidades Autóctones: Separatismo-50-50.
Leia-se:
- Todos Diferentes, Todos Iguais... isto é, ou seja, todas as Identidades Autóctones devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no planeta.
[nota: Inclusive as de rendimento demográfico mais baixo... Inclusive as economicamente menos rentáveis...]
.
.
Explicando melhor:
- Democracia sim; todavia, a minoria de autóctones que se interessa pela sobrevivência da sua Identidade... tem de dizer NÃO ao nazismo-democrático, leia-se: é preciso dizer não àqueles que pretendem democraticamente determinar o Direito (ou não) à Sobrevivência de outros, isto é, ou seja, é preciso dizer não àqueles que evocam pretextos para negar o Direito à Sobrevivência de outros.
[nota: nazismo não é o ser 'alto e louro', bla bla bla,... mas sim a busca de pretextos com o objectivo de negar o Direito à Sobrevivência de outros!]
Dito de outra maneira: os 'globalization-lovers', UE-lovers e afins, que fiquem na sua... desde que respeitem os Direitos dos outros... e vice-versa.
---» ver blog http://separatismo--50--50.blogspot.com/.
.
.
.
.
Anexo:
É NECESSÁRIO UM ACTIVISMO GLOBAL
.
Sabendo que os não-nativos naturalizados estão com uma demografia imparável em relação aos nativos, Marine Le Pen (líder do partido FN) defende a criação dum imposto sobre contratos de trabalhadores estrangeiros... hum, pois, com licença, ahahihihahah.
Adiante.
É óbvio que a luta pela SOBREVIVÊNCIA duma Identidade não é coisa de partidos políticos (eles que apresentem ideias mais à Direita ou mais à Esquerda)... mas sim... a mobilização de pessoas sem olhar a partidos políticos:
-» Imagine-se manifestações (pró-Direito à Sobrevivência) na Europa, na América do Norte (Índios nativos), na América do Sul (Índios da Amazónia), na Ásia (Tibetanos), na Austrália (Aborígenes), ETC... manifestações essas envolvendo, lado a lado, participantes dos diversos continentes do planeta... tais manifestações teriam um impacto global muito forte.

zazie disse...

E se este maluco separatista fosse pregar para o PAN

ehehehe

Ele há cada melro à solta que faz favor.

Floribundus disse...

há quem venha aqui escrever merdices

em vez de tomar a medicação adequada

ou pedir uma eutanásia fresca e com muita espuma

joserui disse...

O Trump tem uma coisa boa, tudo que é nut job está a sair do armário. Vão ter que construir sanatórios maiores.

zazie disse...

Acho que é muito mais e não se circunscreve ao Trump. Se alguém conhecer melhor que me indique mas lembrei-me da conversa destes .

Sempre tem a vantagem de não ser tão loura oxigenada como anda tudo, incluindo os esganiçamentos contra o louro-mor.

joserui disse...

É o Trump. Mais aquela tipa tenebrosa com ar de peixe das profundezas; o press secretary que na primeira intervenção oficial mente de uma forma verdadeiramente inacreditável (e alguém lembrou que ele fala também em nome dos EUA)… há uma larga franja de pessoas para quem é tudo normal, ou para quem todos os meios justificam os fins (que nem o próprio deve saber quais são).
A Marine Le Pen tem um programa capaz de abalar a Europa (já para não falar da França), mas é coerente e articulada. Mesmo assim, eu concordando com imenso do seu programa, teria muitas reservas em executá-lo. O Trump é um videirinho, um trafulha à escala planetária e um mentiroso compulsivo. Que pessoas insuspeitas contemporizem com o Trump é incompreensível.

zazie disse...

Quer que marche para o impeachment?

ehehehe

Que raio chamam "contemporizar com o presidente eleito pelos americanos"?

eheheheh

zazie disse...

Eu já nem abro a puta da página do facebook para não ler histerismos, não me venha agora o caro doutor engenheiro-campónio com mais essa

":OP

Unknown disse...

O homem tem pelo menos uma coisa a seu favor ( para um "básico" como eu...) : é visceralmente contra a vigarice do "pulhìticamente correcto".
E isso deu-lhe votos - e muitos.

zazie disse...

A Le Pen é uma grande porcaria que dá voz ao que os partidos não dão. O Trump é uma grande porcaria que dá voz ao que os partidos não dão.

Não há diferenças. A diferença está no facto de a política se ter transformado em cartilha e ideologia e a realidade não caber dentro dela.

Sempre que isso acontece muita gente bate com os cornos na parede.

Outros são demasiado novos para chegarem só agora, a algo que dá ideia estar fora de prazo- a tal democracia liberal internacionalista.

E isto tudo, como também diz o JMP deriva das micro-causas do politicamente correcto por um lado, e da redução de todo o pensamento político ao homo economicus- por outro- e o mais tramado.

Vem o pé rapado pegar no que está no chão. Acho que sempre foi assim e para se entender isto é bom não ter tv e nem ler jornais.

zazie disse...

Ou deriva de muito mais coisas mas não é o Trump o causador, ele é um dos resultados naturais.

joserui disse...

Zazie, eu nesta página não preciso de ir mais longe do que a comparação com o 44: Um narcisista doentio e um narcisista doentio à escala planetária. Um mentiroso compulsivo dos pequeninos e um mentiroso compulsivo global. Um vigaristazeco que só prejudicou Portugal e os portugueses e um trafulha gargantuano. Um básico com acesso a dois submarinos e um básico psicopata com acesso a uma lista grande de coisas.

joserui disse...

E discordo totalmente da política como ideologia. Se há coisa que está morta é a ideologia. Cartilha sim.

zazie disse...

Foi isso que eu disse- a política como ideologia acabou. Mas acabou sem pensamento político porque esse ficou-se pela economia.

Zephyrus disse...

A Le Pen em principio vai perder por uma simple razao. Nao conquista o eleitorado catolico conservador.

A Le Pen e fortemente jacobina e a Franca catolica e rural nao lhe vai dar votos.

O voto da Le Pen vira de quem mama do Estado e tem medo de perder a mama.

A Le Pen jamais teria o meu voto.

zazie disse...

A cartilha nasce da ideologia. É a ideologia pronta a servir. Serviu enquanto os zeros à direita aumentavam e os problemas internos iam sendo metidos debaixo do tapete.

joserui disse...

O politicamente correcto é a outra face da mesma moeda. Eu não arriscaria era tentar corrigir isso com um Trump.
A Marine Le Pen é completamente diferente, tem um partido e um programa. O que me faz suspeitar dela é querer surfar a onda Trump. E delírios tipo sair da NATO (só se for para se juntar ao Pacto de Varsóvia).
Também sintomático a inglesa já ter ido visitar o Trump. Sacanas dos ingleses sempre souberam estar. São os adaptados (em oposição a inadaptados).

Zephyrus disse...

A Le Pen alem disso nao interessa a Portugal.

Somos um pais sem recursos naturais que tem de exportar e ter turismo para termos pao na mesa.

Nao ha colonias nem vai voltar a haver.

Precisamos do mercado unico e da livre circulacao no espaco europeu pois de momento nao ha alternativa viavel.

O Brasil e proteccionista e nao nos salvara.

O petroleo nao vai subir tao cedo e Angola sem petroleo caro nao tem futuro.

Mocambique esta na miseria.

Os paises de lingua portuguesa como alternativa a UE? Uma grande e perigosa ilusao se analisarmos com frieza a realidade.

Anjo disse...

Nem a propósito...

http://www.dn.pt/opiniao/opiniao-dn/antonio-barreto/interior/o-grande-embuste-5649150.html

zazie disse...

A China e a Rússia nunca se esqueceram que a Nação importa mas o resto achou que podia esquecer esses detalhes históricos e territoriais a troco de mão-de-obra barata do cu de judas, teoria económica ou palhaçada de micro-causa.


Zephyrus disse...

A inglesa foi visitar o Trump mas ja se demarcou das politicas do lado de la do Atlantico. Disse que era contra proteccionismos e criticou a politica de imigracao. Alem do mais parece que a inglesa nao gosta dos russos.

joserui disse...

Acho piada à esperança que o Trump representa para muita gente, colocando nos lugares chave gente do CEI, Exxon, irmãos Koch e tudo o que de mais sistemático, tenebroso e asqueroso que há na sociedade americana. Já para não falar da oligarquiazinha familiar.

joserui disse...

A inglesa demarcou-se porque não é tola e como eu disse, se há coisas que esses sabem é estar. E claro que é contra proteccionismos, vai precisar de exportar para os EUA como de pão para a boca.

Zephyrus disse...

O Trump nao e o que parece e eu se fosse americano nao lhe teria dado o meu voto. Nem a ele nem a Clinton. Pareceu-me que o melhor candidato era o irmao do Bush, que ficou pelo caminho.

Tal como o Kissinger ja advertiu ele vai acabar manipulado.

zazie disse...

É pá, o gajo ganhou as eleições. A outra era asco pior. Agora dá apenas para ir vendo o que vai acontecer. Não há mais nada de racional a fazer.

Já há demasiada irracionalidade e histerismo. Até parece que estava tudo na paz de Deus se a maluca e impoluta da Hilária, sem lobby nem clã tivese ganho em vez deste.

joserui disse...

A Alemanha não se esqueceu que a nação importa, não pode é importar demasiado no caso, não vá alguém lembrá-los da segunda guerra.
E concordo que a Le Pen não interesse a Portugal (nisso também já estou real politik)… acabar com o euro o o mercado único, era capaz de nos fazer voltar ao século XIX.
Por acaso não sabia que era jacobina, acompanho pouco e não me acredito em nada que vem nos jornais portugueses sobre ela.

joserui disse...

Podia ter sido o Sanders… :)

Zephyrus disse...

"A inglesa demarcou-se porque não é tola e como eu disse, se há coisas que esses sabem é estar. E claro que é contra proteccionismos, vai precisar de exportar para os EUA como de pão para a boca."

So que como o Cameron ja advertiu nao vai ser facil esse acordo quando chegar a hora das negociacoes. Os EUA sao mais proteccionistas do que se pensa. Alem do mais um acordo de livre comercio com os EUA arrasaria a agricultura inglesa e alguma industria. Ainda vai correr muita agua debaixo da ponte. Prometer e facil mas na hora da verdade dificilmente havera acordo.

A mim cheira-me que o Reino Unido vai acabar com um estatuto qualquer especial associado a UE que garantira acesso ao mercado unico sem tarifas e tera algumas regras especiais para quem queira trabalhar e residir no Reino Unido sendo da UE. Alias essas regras ja existem para membros da EEA, que inclui alem da UE a Noruega, a Islandia ou a Suica.

Veremos... uma coisa e o que se diz nos jornais, as ameacas, os discursos, mas na hora da verdade a realidade e os interesses economicos e que decidirao.

zazie disse...

O comércio sempre foi o modo mais pacato de quem não se entende não andar à porrada.

A América já está isolada por natureza geográfica, como é mais que óbvio não há taxa que cubra esse défice por Oceano.

O comércio dos nossos dias é mais complexo e os gasodutos ainda comandam "uniões de príncipes".

zazie disse...

Não podia, por isso é que não foi. Mas admito que há sempre lugar para o acaso naquilo que julgamos inevitável.

";OP

zazie disse...

Sim, a Alemanha não esqueceu, ainda que os alemães finjam que sim.

Zephyrus disse...

O Sanders nao teria hipotese. O socialismo nao tem hipotese nos EUA.

A Le Pen tem dentro do partido muitos maluquinhos do nacionalismo pagao que acham que o catolicismo e semita e portanto uma religiao contraria ao sangue celta frances. Alem de muito jacobinismo ateu. Esta estudado que o voto catolico pende para o candidato do partido do Sarkozy. A Le Pen esta a apanhar votos de gente que se abstinha ou da Esquerda sindicalista.

joserui disse...

O trafulha do Sócrates também ganhou. Duas vezes acho eu. O que aconteceu em apenas duas semanas já chega. Já não falo da campanha, da interferência dos russos (da qual não duvido, embora duvide da influência real nos resultados), da promiscuidade com os negócios…
Cá, o Sócrates colocava o bando em lugares chave e algumas pessoas criticavam, criticava juízes e algumas pessoas criticavam, exonerava este e aquele por razões pouco claras e algumas pessoas criticavam. Já aconteceu isso tudo e muito mais em menos de duas semanas. O que há para esperar? A única coisa que espero é que não chegue ao fim do primeiro ano.

zazie disse...

Na verdade ninguém esqueceu, a não ser os imigrados/emigrados.
Mas existem blocos e necessários equilíbrios de força. Senão lá saltam os PVNAMS daquele micro-fascismo-libertário-regionalista e nervozinho que está sempre pronto a aproveitar qualquer brecha para se fazer gente.

joserui disse...

Os ingleses são meninos para conseguirem um estatuto especial… com jeitinho ficam com todos os direitos sem nenhuma das obrigações. Sacanitas não há igual. :)

Zephyrus disse...

Pelo que vou ouvindo o que deu a vitoria a saida da UE por aquela curta margem foi a decisao da Merkel de abrir as portas aos refugiados.

As pessoas comecaram a pensar que iam ter todos cidadania europeia. Um milhao em 2015, quantos milhoes viriam depois? Aquelas imagens de Calais e de barcos no Mediterraneo assustaram os eleitores.

Foi essa decisao da Merkel que decidiu o referendo pois antes dela aceitar os refugiados as sondagens davam mais de 60% da populacao a favor de permanecerem na UE.

zazie disse...

Eu ainda espero que dure um pouco mais, cá por outras coisas cujos efeitos vinham a calhar...

zazie disse...

Espertos são eles. Sempre foram.

Zephyrus disse...

"Os ingleses são meninos para conseguirem um estatuto especial… com jeitinho ficam com todos os direitos sem nenhuma das obrigações. Sacanitas não há igual. :)"

Eles podem. Sao ricos, tem a City, lideram em diversos servicos, sao a patria da lingua franca global, tem moeda propria...

Nao diria sacanas mas antes inteligentes e praticos.

Tomara que nos tivessemos metade da inteligencia dos ingleses.

Quando foi a criacao do euro, por exemplo, se fossemos praticos nao teriamos entrado mas apoiariamos a criacao da moeda e a entrada da Espanha. Depois tentariamos ajustar o escudo para ficar ligeiramente mais desvalorizado que o euro.

Um escudo muito desvalorizado como quer a Esquerda seria tambem uma desgraca pois nao poderiamos ter industria, ja que temos de importar as materias primas. O ideal seria um escudo ligeiramente mais fraco que o dolar e o euro.

Infelizmente as nossas elites sao uma valente m?rd? e nao sabem governar o pais.

zazie disse...

Claro que foi a Bismerka. Essa estúpida é que devia perder tudo e mais alguma coisa.

Essa imbecil não só fez a merda como depois a despejou para cima dos outros. Ela e os esquentadores burocratas que são outros alienígenas em torre de marfim

Zephyrus disse...

Nos devemos a nossa independencia aos ingleses. Nunca deveremos esquecer isso.

Aquilo do mapa cor-de-rosa esta um pouco mal contado.

Quando nos saquearam e roubaram colonias Portugal nao era independente, estava unido com Espanha e portanto era inimigo oficial deles.

Em Aljubarrota, na Guerra da Restauracao e nas invasoes napoleonicas a ajuda inglesa foi decisiva.


joserui disse...

A história do politicamente correcto intriga-me, porque utilizando argumentos do que me lembro de há anos do João Miranda(!) — todos os jornais e políticos são politicamente correctos porque é isso que os leitores e eleitores querem. Se assim não fosse, existiria pelo menos um jornal a chamar as coisas pelo nome e um partido representativo. É o mesmo que as urbanizações dos subúrbios, se as pessoas não as quisessem e comprassem lá apartamentos, os construtores não as construíam.

Zephyrus disse...

Zazie,

a Alemanha tem aquele complexo de culpa da Segunda Guerra.

De certeza que ela se arrependeu daquilo e nao foi pouco.

Sera que um homem ou uma Tatcher teriam tomado outra decisao?

Penso que naquele momento a decisao mais acertada teria sido um plano rapido de encerramento das fronteiras do Espaco comum e atirar dinheiro para campos de refugiados nos paises vizinhos da Siria.

A UE se quiser sobreviver tera de gastar dinheiro na defesa militar do Mediterraneo e das fronteiras a Leste.

O mundo muculmano tem excesso de populacao mas nao tem recursos. Isto ponde piorar no futuro.

Se houver uma queda do rei em Marrocos poderemos ver lanchas rapidas a trazer gente para o Algarve. Seria o fim do turismo algarvio e um rombo na nossa fragil economia.

Ninguem em Portugal pensa nestas coisas.

joserui disse...

São uns sacanas inacreditáveis. Só há 22 países no Mundo que não tenham invadido. Metade dos conflitos activos têm o dedo dos tipos.
Mas têm uns jardins incríveis e são civilizados. Têm elite. Uma monarquia digna. O Príncipe Carlos. Chá, gosto mais do francês, lamento. :)

Zephyrus disse...

O facilitismo da nisto. As novas geracoes de politicos nao sabem Historia.

A Europa Crista tem seculos de problemas contra a invasao muculmana.

O Algarve no seculo XIX ainda era atacado por piratas magrebinos. Nao so o Algarve mas tambem a Andaluzia.

Estiveram as portas de Viena e tentaram a partir da Peninsula entrar em Franca.

Nao fossem as guerras internas dentro da Europa e hoje provavelmente a Turquia, a Siria ou parte do Egipto ainda seriam cristaos.

joserui disse...

Talvez tenha sido a Merkel… mas acho bizarro a saída ter sido massivamente por gente que recebeu uma fatia muito significativa de subsídios da UE, gente do campo designadamente, que pouco a temer teria dos refugiados (vs. gente das grandes cidades).

joserui disse...

"massivamente votada"

Zephyrus disse...

"São uns sacanas inacreditáveis. Só há 22 países no Mundo que não tenham invadido. Metade dos conflitos activos têm o dedo dos tipos.
Mas têm uns jardins incríveis e são civilizados. Têm elite. Uma monarquia digna. O Príncipe Carlos. Chá, gosto mais do francês, lamento. :)"

Nos tambem invadimos...

Por exemplo, nao fosse a loucura de Alcacer Quibir e se calhar o Sri Lanka hoje falaria portugues. Andamos la em guerra e tinhamos boa parte da ilha ja conquistada...

A diferenca entre eles e nos e que Portugal tinha apenas 1 milhao de almas. Eles tinham muito mais populacao e portanto poderiam colonizar areas mais extensas.

Tambem tiveram mais "sorte" que nos com os monarcas. Os nossos primeiros reis foram genericamente bons mas a partir do D. Manuel I...

Zephyrus disse...

"Talvez tenha sido a Merkel… mas acho bizarro a saída ter sido massivamente por gente que recebeu uma fatia muito significativa de subsídios da UE, gente do campo designadamente, que pouco a temer teria dos refugiados (vs. gente das grandes cidades)."

Isso e mais complexo do que se pensa pois esse fenomeno nao ocorreu na Escocia.

Na Irlanda do Norte os catolicos votaram macicamente a favor da UE e os protestantes macicamente contra.

A Escocia e protestante mais voto a favor.

Surpreendeu-me o voto no Pais de Gales, que recebeu tanto dinheiro da UE. E talvez mais pobre que Portugal e se nao fosse a UE duvido que tivessem recebido aqueles fundos de Londres.

joserui disse...

Perdão… nós invadimos? Talvez 22 no total. Parece-me diferente. Um milhão chegou e sobrou. A minha tese é que estão cá nove milhões a mais.
Não me consta que D. Carlos tivesse sido mau monarca e no entanto foi massacrado mais o filho. Aí está a bela república, que se não fosse Salazar ainda seria mais bela.
Por ser complexo é que falei disso, nas suas palavras parece simples: Merkel.

Zephyrus disse...

Tenho em casa dos meus pais um livro que descreve um episodio que tera ocorrido no final da Monarquia.

Uns deputados terao querido aprovar uma lei que punisse os pais que tirassem os filhos da escola e que tornasse a escolaridade obrigatoria. Mas logo a lei gerou revolta, dizia-se que feria os noss "brandos costumes", ora essa, punir os coitadinhos dos papas.

Foi em ditadura que o problema teve solucao e isto merece alguma reflexao sobre as nossas elites e o nosso povo.

Zephyrus disse...

D. Carlos foi excelente rei.

Mais tolerante que os politicos de agora.

Portugal invadiu sim e tentou ocupar alguns paises no seculo XVI. Nao temos de ter vergonha disso. Ou pensa que aquelas pracas no Indico foram oferecidas de bandeja? E nao andamos em Marrocos a conquista? A questao e que nao tinhamos populacao suficiente para ir muito longe, e a partir de meados do seculo XVI ficamos para tras em termos tecnologicos, por causa da Inquisicao.

Zephyrus disse...

Para um pais tao pequeno ate criamos uma nacao extremamente grande, o Brasil, que poderia ter ficado maior se o plano de expansao pre-independencia tivesse sido cumprido, nao se conseguiu manter a Cisplatina que ficou independente e e hoje o Uruguai, nem a Guiana, nem se conseguiu a saida para o Pacifico.

O Oriente apos a Restauracao ja nao foi possivel reconquistar, ficou perdido para holandeses e ingleses, so conseguimos recuperar Angola e o Brasil, e para isso andamos em guerra parte do seculo XVII, chegamos ao fim do seculo na miseria e so depois com o milagre do ouro foram pagas as dividas.

zazie disse...

Está aqui um pouco mais acerca do ilustrador desta última Der Spiegel- um refugiado cubano nos EUA.

É só a descer.

lusitânea disse...

Na longa noite Salazarista como cantam os poetas antifassistas quem ia para a tropa não saía de lá sem a 4ªa classe com exame externo do Min Ed Nacional.Os professores eram na sua maioria sargentos e alguns oficiais que ensinavam nas "Escolas Regimentais".Tinham um pequeno subsídio que tendo acabado com o 25 acabou com tudo.A partir daí só eram incorporados com a 4ª classe.
Portanto Abril até neste capítulo fez regredir.Hoje nem Identidade Nacional temos... porque o mundo é um só mas só por nossa conta...

muja disse...

Tardiamente, mas não posso deixar de comentar:

Então ó Zephyrus, devemos a nossa independência aos ingleses?! Como é isso?

Se alguma coisa tinham a haver, já não foi paga e com juros?

Outra coisa: as praças do Índico eram países? Que países?

Qual era o país, sito no sub-continente indiano, em que mandavam os muçulmanos no comércio mas havia marajás por outro?