Páginas

sábado, 18 de março de 2017

A ridícula defesa de um arguido excelentíssimo

Lendo os jornais de hoje- Público, Correio da Manhã, Diário de Notícias e Sol- a conclusão a tirar sobre os últimos acontecimentos do caso marquês é simples: não está a correr nada bem para a defesa de um dos arguidos ( sim, porque aos outros  ninguém liga...) que cada vez mais se torna patética.

O DN tem os indefectíveis defensores do antigo primeiro-ministro que lhes assegurou o chóio e por isso continuam a apaniguar. É lá que vem a resposta pífia daquele ao que Paulo Azevedo da SONAE disse esta semana: "eles estavam todos feitos", expressão que qualquer português percebe e que por isso não foi proferida para inglês ver.

O Público lá se convenceu que os prazos do inquérito são indicativos e até Pacheco Pereira acredita na culpabilidade do arguido ( os outros interessam nada) embora não queira que haja processos "populistas" que investiguem o regime. Lá se ia o chóio do Pacheco sempre a defender uma ortodoxia sistémica e contra o "justicialismo" que a incomoda.
O editorialista do jornal, Manuel Carvalho também não rasga as vestes por causa dos prazos que a televisão das lourenças tanto têm insistido que são um escândalo, porque a defesa assim o diz. E aquele até compreende a complexidade de uma investigação deste tomo. Para já aguarda, mas suspeito que anseia pelo non lieu...
Na última página, João Miguel Tavares, o articulista de direita que a esquerda gosta ( ver o artigo de Alberto Gonçalves no Observador de hoje) tenta explicar a totós das tv´s, ou nem tanto,  do género lourença, o comunicado de ontem, da PGR.

No Correio da Manhã o malho está sempre virado para o mesmo lado e desta vez arrasa a defesa do arguido excelentíssimo com uma revelação deduzida: há dez anos houve um pacto entre Ricardo Salgado e o arguido excelentíssimo para a prática continuada de corrupção. Luvas e comissões foram pagas, como habitualmente o fazia o antigo ddt e era adn da casa, segundo consta e se estendia até ao Brasil. Na última página, João Pereira Coutinho desvaloriza o assunto que tanto incomoda as  lourenças das tv´s amestradas.

Chegamos por isso ao SOL, como sempre aos Sábados e este pequeno apontamento do director-executivo do Sol resume o essencial do assunto:

5 comentários:

Floribundus disse...

terrorismo fisico

«EUROPA
Voos para Orly desviados para outros aeroportos

Um homem foi hoje abatido no aeroporto de Orly, em Paris pelas forças da ordem, depois de ter roubado uma arma a um militar do dispositivo de vigilância antiterrorista, anunciou o Ministério do Interior francês.

A mesma fonte afirmou que não há feridos e, segundo testemunhas, o aeroporto começou a ser evacuado depois do incidente. Entretanto, o tráfego aéreo foi “completamente interrompido no aeroporto de Orly”, anunciou uma fonte da aviação civil, citada pela AFP.

Cerca das 8:30 em Paris, “um homem arrebatou uma arma a um militar e depois refugiou-se numa loja do aeroporto antes de ser abatido pelas forças de segurança”, declarou à France Presse um porta-voz do Ministério do Interior.»

por cá o 44 continua a gritar
'agarrem-me ou faço uma desgraça'

jkt disse...

Como se paga aos advogados...
Um processo que vai demorar anos e anos e anos?

josé disse...

Um processo destes demora pouco tempo na primeira instância. Alguns meses, se tanto.

Depois nos tribunais superiores é que demora um pouco mais. São processos pesados e os desembargadores trabalham em casa...

jkt disse...

Sim. Mas vai ter que pagar desde o 1º dia ao advogado, julgo.

josé disse...

Vai ter de pagar ou já pagou, pelo menos a dois advogados. Deve ser uma fortuna que agora não se sabe de onde virá.

Mas vem...e os advogados não estão nada preocupados com isso.