Páginas

terça-feira, 7 de março de 2017

Fassismo, nunca mais!

Sapo24:

Rafael Pinto Borges é um dos promotores do grupo Nova Portugalidade, responsável pela organização da conferência com Jaime Nogueira Pinto intitulada “Populismo ou Democracia: O Brexit, Trump e Le Pen” que ontem foi cancelada pela direcção da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH-NOVA). Em entrevista ao SAPO 24 demarca-se de radicalismos, afirma peremptoriamente que considera o PNR "racista e xenófobo" e garante que a Nova Portugalidade integra pessoas de partidos do CDS, PSD, PS, MPT e PCP. Sobre a conferência, irá ser reagendada.
Tem simpatia por Salazar, mas não é salazarista. Aliás, as suas referências políticas vão de nomes tão distantes quanto são os de Charles de Gaulle, Hugo Chávez e Evo Morales, nomes que considera terem em comum o que fizeram"pela dignificação dos seus povos". Rafael Pinto Borges, um dos fundadores do grupo Nova Portugalidade que organizou a conferência com Jaime Nogueira Pinto intitulada “Populismo ou Democracia: O Brexit, Trump e Le Pen” que ontem foi cancelada pela direcção da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH), militou até há pouco tempo no CDS, partido que trocou pela Juventude Popular onde faz parte do Gabinete de Estudos. A Nova Portugalidade, garante, é um movimento que repudia o racismo, a xenofobia e o colonialismo e que se afasta da globalização da economia para "abraçar" a da cultura. Na base da sua actuação, está a premissa que "os países de civilização portuguesa - aqueles que connosco se encontraram ao longo da História - formam uma só família humana"
.

Huummm...isto não me parece lá muito famoso, mas vamos a ver. Já é um passo, haver alguém que consiga pronunciar o nome de Salazar sem ser para o denegrir imediatamente. Depois, estraga tudo, mas pode ser que um dia perceba o essencial: Salazar foi o maior português do século XX e a sua obra merece ser estudada nas escolas como um exemplo de herói nacional.

Até isto poder ser dito, temos destes abrunhos a dizer coisas destas:

 (...) o deputado do comunista, Miguel Tiago, escreveu no Facebook que “uma democracia que tolera fascistas é suicida. Uma que os promove é falsa.”

A democracia verdadeira, para o abrunho é a que existia na antiga União Soviética. E mais nada. Talvez na antiga RDA também sirva de exemplo.

O comunismo em Portugal goza de uma protecção mediática que é abjecta e  obscena porque esquece todos os crimes do comunismo que só têm comparação com o nazismo. É isso que toda a Europa pensa, diz e escreve menos aqui, com este PCP que é um fóssil do estalinismo mais empedernido e apesar disso louvado como um partido democrático, como os demais.

Arre! 

Este fruto do abrunhismo faz de morto. Assim:


Acabo de ter conhecimento de que uma ameaça de boicote e invasão do espaço onde, ao final da tarde de hoje, deveria realizar-se uma conferência de Jaime Nogueira Pinto conduziu ao adiamento da sessão, que deveria ter lugar na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH), da Universidade Nova de Lisboa.
Como membro do Conselho de Faculdade da FCSH, lastimo que a direção da escola tenha sido forçada, contra a sua vontade, a tomar esta atitude, para salvaguarda da estabilidade funcional da instituição.
E porque convém chamar os bois pelos nomes, que fique claro que esta inadmissível atitude censória, foi tomada por uma estrutura de estudantes identificada com o Bloco de Esquerda.
Há meses, em Cascais, teve lugar um debate público com três intervenientes: Jaime Nogueira Pinto, Francisco Louçã e eu próprio. Ninguém se lembrou de boicotar a sessão. Claro.

Não quer perceber que o problema não é o Jaime Nogueira Pinto. É um grupo ter um nome como "Nova Portugalidade" e dizer bem do Salazar. Isso é que se torna imperdoável, em Portugal, e até os frutos do abrunhismo apoiam quem boicota apoiantes de Salazar.

Fica aqui a cópia da parte que interessa da acta de reunião de uns 35 alunos da FCSH que aprovaram por maioria de 24 a moção que impediu a reserva de uma sala para a conferência...
Os considerandos falam por si e atestam bem a noção de democracia desta gente que se afirma de esquerda...


146 comentários:

musaranho-coxo disse...

Esta malta foi formatada na escola e é, de um modo geral, muito ignorante.

Agora deram-lhe para uma caricatura de nacionalismo. A ver se não é mais outra treta à volta das panelas

musaranho-coxo disse...

Vai musaranho por causa de bloqueio no jornal da "Direita"- o Observador

É tudo assim.

josé disse...

Acho que sei porque foi...apesar de a visada não dever preocupar-se ou amofinar-sr com o caso. Enfim.

josé disse...

A esta malta nova falta-lhes leituras antigas. Eu ainda tento dar uma mostra do que era, mas julgo que não chega.

Para mostrar como era é preciso ter vivido o que foi.

Os comunistas também viveram, pelo menos alguns deles, mas a linguagem que usavam em 1969 é a mesma de hoje.

A diferença é que os que não eram comunistas adoptaram a linguagem deles, que é bastarda.

Tenho escrito muitas vezes que esse é um dos nossos problemas mas acho que poucos entendem isso. E não sou muito esperto. Acho apenas que será isso.

lusitânea disse...

Esta rapaziada não vai lá com palavras.Com a propaganda que controlam e desde que lhes continuem a emprestar vão durar como as pilhas duracell.I a seguir vão investigar e ensinar outros.Internacionalismo por nossa conta que é isso que agora é moderno.E venham os convidados de onde vierem.E continuam a falar em "Portugal" quando afinal já só é um reles e falido sobado.Mas quando faltar a massa os cornos mansos vão como sempre acordar e aí os esquerdistas iluminados sejam ou não antifassistas fodem-se...porque o que é demais cheira mal!

lusitânea disse...

Em França já há caçadores furtivos de rinocerontes em jardim zoológico!Estão definitivamente em África"!
Por cá só faltam uns cubanos para ajudar a africanidade a subir à representação.Com mais um PALOP claro...

musaranho-coxo disse...

Acha?

Mas eu não me lembro de ter feito nenhum comentário ofensivo a nenhum jornalista.

só mandei umas bocas ao LAC

À HM até fiz elogios, veja lá

eehehhe

Eles estavam fartos de me censurar uma data de tretas. E agora foi bloqueio total à conta.

musaranho-coxo disse...

Mas estava a pensar em quem?
eeheh

Não me recordo. Vou lá espreitar o que comentei e foi censurado.

josé disse...

Aqui há dias trocaram-se uns mimos sobre "hienas". Se foi algo, foi isso.

Porém, julgo que não há motivo para tal.

zazie disse...

Ah, mas eu tenho-lhe feito elogios. Não. Não acredito que tenha sido ela. Foi interno. E confirmei que apenas mandei umas bocas ao L-AC com aquela anormalidade de defender o preto do Oscar por se matarem menos.

Não foi a HM. Ela sabe isso da hiena há montes de tempo e eu até coloquei o comentário no Blasfémas porque era a elogiá-la.
Foram os tipos. É tudo a mesma treta. Escardalhada jornaleira com a tara do politicamente correcto. Patrulham tudo por esse filtro

josé disse...

Ok, ainda bem que assim será.

zazie disse...

Tudo o que foi censurado foi no tal artigo mongo: "À luz de moonlight: a homofobia mata".

E acredito que esse até tenha mesmo censurado um, porque é outro com a panca da ditadura do policamente correcto.

Um dos comentários censurados diz isto

E foi ele que apagou porque foi ele que censurou mais outro. E já tinha apagado um em que eu perguntava se até as perguntas por comentário desaparecer eram insulto.

zazie disse...

Ainda pior
ehehehe

Já viu o critério mongo de censurarem para que nem se saiba que censuram coisas estúpidas?

zazie disse...

Claro que o problema foi quem o convidou. E ele foi burro a olhar para o umbigo e agora até os tipos daquela outra treta 25 de Abril o vão convidar.

zazie disse...

É mais grave. Até a exposição do MNAA deu direito a imbecilidade nos jornais do Ramada Curto, todo enxofrado que aquilo era patrioteirismo e colonialismo.

Esta gente fede. Ainda não vi a exposição mas até vou levar mais gente, precisamente porque esta malta precisa de levar para trás

Esse cretino conseguiu inventar um não caso, fingindo que era por causa da autoria e datação das tábuas da Rua Nova dos Mercadores, quando isso foi mero pretexto para destilar a treta ideológica.

zazie disse...

E esse sujeito é mais outro de "sociologia histórica" da Nova. Foi uma vergonha porque até pôs em causa o trabalho das investigadoras inglesas só para boicotar a exposição cá.

João José Horta Nobre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
zazie disse...

Querias que fosse homem, querias. Isso já eu percebi.

E o insulto que fiz foi qual, agora? ou és tão psicopata que nem enxergas que o único que insulta e persegue és tu.

Havia outro, mas tirei-lhe as ideias...

zazie disse...

O que é que eu difamei, ó mongo?

Achas que passas por uma pessoa normal por inventares que alguém que não conheces de parte alguma se disfarça com outro género?

E achas particularmente inteligente espalhar essa mentira em caixas de comentários de um blogger que, por acaso, até me conheceu ao vivo e há mais de uma década?

josé disse...

Zazie: por falar em conhecer ao vivo há mais de uma década, no outro dia vi o Carlos Quevedo e a Carla Hilário a subirem a rua Garrett, no Chiado.
Achei engraçado porque já não os via exactamente desde essa altura, do tempo do Pastilhas do MEC.

Não falei, mas reconheci-os pelo Quevedo que está na mesma.

João José Horta Nobre disse...

Tirado o muja e o josé ninguém aqui gosta de ti monga.

DESAPARECE!

Unknown disse...

Eu gosto, JJ

Miguel D

Unknown disse...

Belo post do José.
Miguel D

zazie disse...

Que engraçado. Eu com esses nunca me encontrei.

A propósito: confirmei que este nem é das panelas e até mostra os exageros inventados em torno da Inquisição.

---------------------

Toda a gente ama o palerma que me comia todo se eu fosse homem

AHHAHAHAHAHA

Floribundus disse...

no grande oriente andam desorientados

no resto do rectângulo a maioria anda desnorteada

leio e oiço as coisas mais estapafúrdias

era mais asseada a pocilga dos porcos de montado que criei

a Zazie e o José aturam cada tarado
que nem distinguem um do outro

miserere nobis

Floribundus disse...

Le Figaro
L'office européen des brevets a délivré un nombre record de près de 100.000 brevets à des entreprises et des instituts de recherche en 2016. La France est le quatrième pays qui a déposé le plus de demandes. La Chine gagne du terrain.

Adelino Ferreira disse...




http://malomil.blogspot.pt/2017/03/salazar-o-escolhido-por-deus.html?m=1

Adelino Ferreira disse...




http://malomil.blogspot.pt/2017/03/salazar-o-escolhido-por-deus.html?m=1

joserui disse...

Mais um brutto poverino. Que anormale…

joserui disse...

Vou seguindo esta Nova portugalidade e quem parece estar metido nisso é o Miguel Castelo Branco de quem gosto 75% das vezes que escreve algo. É uma coisa cultural, acho que tem algum interesse.

joserui disse...

Mas como as coisas são… a extrema-esquerda faz esta figurinha triste, os apaniguados apaniguam e a organização é apresentada como algo frágil e completamente à defesa. Demarca-se de tudo, tem gente do PCP nas fileiras, referências Chávez e Morales… portanto, coisa muito respeitável.

Adelino Ferreira disse...

zazie (no Blasfémias)
7 Março, 2017 18:25
A propósito, para que se veja o que o dito jornal da “Direita” faz, por ser mais um totalitarismo de esquerda disfarçado.
Ia para comentar e apareceu *isto* – estou totalmente bloqueada por lá



Por ordem do comandante dos Vonveiros vulontarios de Valvão, foi-te concedido o diploma da Rainha da Banharia dos fins dos anos 60.

NB: não confundir Banharia com Baixa da Banheira

Ricciardi disse...

É interessante, porém, constactar que, os adeptos do salazarismo reprovam este tipo de censura. Quem diria.
.
Naqueles tempos toda e qualquer manifestação ou reunião de pessoas que se opunham ao regime eram presas ou censuradas. Hoje, os filhos dos censurados respondem na mesma moeda.
.
Estão bem uns para os outros, portanto.
.
Rb

josé disse...

"Naqueles tempos toda e qualquer manifestação ou reunião de pessoas que se opunham ao regime eram presas ou censuradas"

Falsíssimo, como por aqui tenho demonstrado.

Eram proibidas reuniões comunistas e subversivas, isso eram.

O tipo de censura que esta democracia pratica e os esquerdistas aprovam é apenas isso, censura.

O salazarismo tinha Censura, ponto.

A democracia deve ter ou não?

A questão é essa e não justificar uma censura com outra, numa manobra estulta.

Floribundus disse...

nos anos 60 pertenci a um núcleo dos Pentagramas donde saiu o GOLU

as reuniões efectuaram-se por anos com elementos já presos por motivos políticos e ninguém foi preso

no tribunal do alto do parque ficámos uma vez 'presos' no elevador, como disse o Dr. António Abrantes Mendes da Loja Liberdade e Justiça

Ricciardi disse...

A democracia não deve ter censura de opinião. Não há ponto algum.
.
O reitor acovardou-se, temeroso, pelo que, um governo democratico deve imediatamente demiti-lo.
.
Nogueira Pinto não pode ser calado porque o reitor tem medos. É natural que os estudantes possam fazer o que fizeram, mas não é normal que o reitor decida o que decidiu sem estar em causa problemas de segurança ou outros tipo de problemas maiores que justificariam a suspensão, nunca o cancelamento.
.
Rb

Ricciardi disse...

O regime tinha censura. Aliás, sem censura o regime nao durava o que durou. Por essa razao é que qualquer regime autoritario que se preze tem de censurar.
.
Razão suficiente para não estar com esses regimes. Tenho para mim que a censura e a propaganda desenfreada alimentam a mentira.
.
Ainda hoje a mentira subsiste quanto a vários factos do regime anterior. A propaganda é tao eficaz que se sobrepõe aos factos.
.
Eu sou um apoiante dos primeiros 15 anos de Salazar. Fez bem o que era preciso de fazer. Um opositor, porém, no restante tempo. Fez bem o que não devia ter sido feito.
.
Por esta razão, atrofiou o país. Em todas as vertentes. Sem excepção.
.
Um estado rico com um povo pobretanas. Na verdade o mesmo se passa hoje com angola. É a mesma coisa. Há uma grande similitude entre a angola de hoje e Portugal do estado novo pós anos 50. O previlegio de certos grupos de corporações. O enriquecimento de poucos e a miséria de muitos.
.
E isto não é conversa. É factual. Por esta razão é que emigraram 2 milhões de portugueses.
.
É o melhor indicador para perceber a miséria dum povo. A emigração.
.
Rb

Pedro Alves disse...

24 votos a favor, 4 contra e três abstenções dá...35. A Esquerda nunca soube fazer contas.

Carlos disse...


"Falsíssimo, como por aqui tenho demonstrado.

Eram proibidas reuniões comunistas e subversivas, isso eram."

MENTIRA!

zazie disse...

Muito obriga por ter colocado a passagem da acta.

É isso mesmo- o grande crime é "enaltecer o colonialismo português". E quem lhes ensina esta imbecilidade são os próprios profs da Nova.

Por isso é que também houve uns de lá que quiseram boicotar a exposição do Museu Nacional de Arte Antiga- Lisboa Cidade Global.

Isto é pior que marxismo- isto é a mais absoluta lavagem cerebral para que Portugal apenas exista a partir do 25 de Abril

zazie disse...

O reitor há-de ter feito que lhe apetecia fazer e escudou-se nesta imbecilidade de meia dúzia de garotos.

Os profs da Nova são isto.

zazie disse...

A anedota que estes palermas censuraram em nome do "espírito democrático"

AHAHHAHAHAHAHA

"Estas pessoas não deveriam ser toleradas porque não respeitam os mais básicos princípios de respeito e democraticidade".

E vá de darem o exemplo desses princípios proibindo.

Mongalhada. Acima de tudo isto é coisa da mongalhada. Entram mongos no secundário e vão para a faculdade mongos a duplicar e por lá a mongalhice ganha foros de doutor.

josé disse...

"Falsíssimo, como por aqui tenho demonstrado.

Eram proibidas reuniões comunistas e subversivas, isso eram."

MENTIRA!"

Acusação gratuita. Aqui demonstro o contrário, não faço afirmações gratuitas.

Floribundus disse...

Observador
A campanha de António Costa terá tentado comprar posts favoráveis ao futuro primeiro-ministro em blogues de lifestyle durante as primárias do PS, no verão de 2014. Ana Garcia Martins, autora do blogue A Pipoca Mais Doce, foi uma das bloggers contactadas pelo Sapo (a plataforma onde está alojada a página), para fazer publicações elogiosas ao então candidato, que disputava com António José Seguro a nomeação como candidato dos militantes e simpatizantes socialistas para primeiro-ministro. A Portugal Telecom — empresa à qual pertence o Sapo — e bloggers contactados pelo Observador confirmam as tentativas de publicação de posts pagos. Já os responsáveis pela comunicação na campanha de Costa negam que o tenham feito.

O gabinete de comunicação da Portugal Telecom (PT) confirma ao Observador, por escrito, que o departamento comercial do Sapo fez essa proposta a vários bloggers, mas destaca que teve apenas o papel de intermediário. Fonte oficial da PT começa por explicar que “o Sapo faz a gestão comercial de alguns blogues nacionais, sendo apenas responsável pelo encaminhamento dos pedidos que chegam via anunciantes e agências de meios”, confirmando a existência de contactos nesse sentido: “O pedido em questão chegou-nos via agência de meios“, refere fonte oficial ao Observador. Destacando que uma empresa como a PT não se imiscui em questões partidárias, o gabinete de comunicação acrescenta ainda que o “Sapo não tem qualquer responsabilidade na tomada de decisão do que é solicitado, nem na aceitação ou não desses pedidos.”

Carlos disse...

"Falsíssimo, como por aqui tenho demonstrado.

Eram proibidas reuniões comunistas e subversivas, isso eram."

Partindo do princípio de que todas as reuniões estavam de imediato rotuladas de subversivas, então era verdade. Estavam SÓ proibidas as reuniões subversivas, ou seja, TODAS!

Não tenho que provar nada e principalmente a um pseudocientista do fascismo.
Este cromo, deve ter sido dos primeiros a ostentar um cravo no 25 de Abril, mas, passados 43 anos, já se sente à vontade para descomprimir as suas frustrações e, nesse aspecto, ainda bem!

Quanto ao cancelamento da sessão com Jaime N. Pinto, foi um disparate.

Ricciardi disse...

Os jornais e conferências de assuntos políticos foram apenas uma parte da censura.

Muitos foram os autores que viram os seus livros apreendidos ou foram presos, como Soeiro Pereira Gomes, Aquilino Ribeiro, José Régio, Maria Lamas, Rodrigues Lapa, Urbano Tavares Rodrigues, Alves Redol, Alexandre Cabral, Orlando da Costa, Alexandre O´Neil, Alberto Ferreira, António Borges Coelho, Virgílio Martinho, António José Forte, Alfredo Margarido, Carlos Coutinho, Carlos Loures, Amadeu Lopes Sabino, Fátima Maldonado, Hélia Correia, Raul Malaquias Marques, entre muitos outros.

Aquilino Ribeiro, por exemplo, viu apreendido o seu livro Quando os lobos uivam, de 1958. O regime considerava o livro injurioso para o Estado português, pelo que lhe moveu um processo crime.
.
Rb

Zephyrus disse...

Um individuo que tem como referencias politicas Evo Morales e Hugo Chavez nao merece qualquer confianca.

Caramba, por que sera que a canalhada nao diz que tem como referencia politica um rei D. Duarte, uma D. Joao I, ate um Marques de Pombal!

Num pais de tradicao catolica irem buscar referencias comunistas metem nojo.

Zephyrus disse...

Li na semana passada uma compilacao de textos de Cabala, a maioria foram escritos nas Peninsula Iberica durante a Idade Media. O conhecimento que esta la chama-se Tradicao e parece que nao conta nos dias que correm para as novas geracoes de politicos.

Bic Laranja disse...

Deixemos estar que quem lhe escolheu o nome — Museu Nacional de Arte Antiga - Lisboa Cidade Global. Mesmo dando de barato que el-rei D. Manuel I adoptou a esphera armilar como symbolo de universalidade em resposta ao adjectivo «catholicos» (também synonimo de «universais») dos reis de Espanha, tudo isso é expressão de poder, ao contrário do que esse «global» na exposição quere agora significar.
Lisboa tomá-la-iam com singella propriedade como emporium commercial ou cabeça do Reino do que cidade «global» (ou «universal» que fosse).
Tristeza que só em urros futeboleiros se toleram expressões de poder. E até aí...

----

Garatujar «atas» onde se escreve «democraticidade» por «democracia» é symptoma dos universitários bestuntos que hão-de parir a civilização que se adivinha.

----
Cumpts.

Zephyrus disse...

O Jaime Nogueira Pinto parece-me um homem inteligente e serio. Isto e absurdo.

Bic Laranja disse...

«A PT não se imiscui em questões partidárias».
Talvez, mas em questões de comércio imiscui. E «o Sapo faz a gestão comercial de alguns blogues nacionais». Comercial e ideológica, numa rubrica chamada «Destaques».
Se a Loja daqui fosse lá, no Sapo, ficaria à porta.
Cumpts.

josé disse...

"Este cromo".

O epíteto refere-se a mim?

zazie disse...

Global, de globo. Foi a primeira globalização geográfica e até faz todo sentido considerar-se marco histórico para início da dita Idade Moderna (em vez da Reforma).

Os tipos traduziram a exposição do nome do livro e, mesmo assim, mesmo com muito cuidadinho e até uns disparates acerca da Idade Média, já tiveram mais anormais a acharem que a exposição é mais um exemplo da "Reacção a arreganhar os dentes".

O palerma do Ramado Curto chamou àquilo um exibicionismo de patioteirismo. E coisas pior. Conseguiram espaço nos jornais para destilarem o mesmo tipo de veneno contra tudo o que tenha a ver com Descobertas e Expansão.

O sujeito até disse que é perigoso e em Inglaterra "estão a seguir esse caminho". Eu acho que sei ao que o urso se referia- à espantosa exposição que ainda vi na Tate- a arte e o Império.

zazie disse...

Hoje em dia não se conseguia fazer uma Comemoração dos Descobrimentos Portugueses.

Estranho é isto. Está tudo mais inbecil e mais PREC que há 30 anos atrás

zazie disse...

O único patriotismo permitido é o da bola quando há mundial.

Unknown disse...

Esta "troupe" faz tandem com o "Podemos" daqui do lado.
Esta canalha é "teleguiada" , são peões de um jogo mais vasto.
Mas, curiosamente, o tempo está-lhes a escassear : é mais que provável uma mudança de rumo já este ano.

Maria disse...

Carlos, desculpe lá mas o José tem razão no que a este tema diz respeito. Eu era uma jovem adulta no ante-25/4 mas tive o tempo suficiente de viver e observar o que estava bem e o que não estava relativamente ao regime do Estado Novo. Se o Carlos me tem vindo a ler ao longo do tempo, verificará que já disse inúmeras vezes que tive um Pai que era contra o Regime e não apreciava Salazar, porém nunca disse mal dele e curiosamente (ou não) houve algumas medidas políticas tomadas por Salazar que até elogiou. O nosso Pai era sobretudo um patriota acima de tudo e não suportava traidores independentemente da cor política, mesmo que fossem republicanos como ele próprio se considerava e assim se auto-classificava por influência dos seus tempos de estudante em Coimbra, já que então o termo "socialista" não existia. Era uma pessoa superiormente educada e honestíssimo em tudo o que fazia e dizia e sendo Salazar um homem íntegro e exemplarmente honesto e um patriota acima de qualquer suspeita e um defensor acérrimo dos portugueses e de Portugal, consequentemente sobre a filosofia política e o carácter do Estadista o Pai nunca poderia senão elogiá-lo e estar totalmente d'acordo com a sua prática governativa.

O José tem razão quando afirma que o anterior Regime só não permitia reuniões subversivas ou conspirações e atentados contra a Pátria. Salazar tinha como prioridade absoluta a defesa do povo e da Pátria, contra tudo e contra todos. Os portugueses, contràriamente ao que os anti-patriotas comunistas e socialistas apregoam desde sempre para achincalhar a sua pessoa, mais do que respeitá-lo, adoravam o Estadista. Se dúvidas houvesse bastaria lembrarmo-nos das enormes manifestações d'apreço que lhe faziam (e depois, também a Marcello Caetano) sempre que aparecia em público a saudar os portugueses. É mentira que os não apoiantes do Regime não se pudessem reunir. Sendo o nosso Pai republicano e contra o Regime, reunia-se muitas vezes, mais tarde e já a viver em Lisboa, com ex-colegas de Coimbra que, tal como ele, eram opositores ao Regime desde a Universidade, continuando a reunir-se pela vida fora e nunca foram incomodados por pides e repare que eles sabiam perfeitamente que podiam ser escutados pelos chamados 'bufos', mas não se preocupavam nadinha com o facto já que os assuntos políticos discutidos livremente - repito, livremente - não eram para arquitectar revoluções, fomentar conjuras ou engendrar atentados contra a Pátria. Um Patriota (com P maiúsculo) NUNCA atentaria contra a Pátria fosse por que motivo fosse.

Porque Salazar foi um Grande Português e um enormíssimo Patriota, eis o motivo pelo qual todo aquele que chegou a viver o seu tempo e ter presenciado o modo como governava e verificado as medidas políticas por si tomadas a favor do povo e da Pátria, jamais o poderão esquecer. Se Salazar tinha defeitos? Claro que tinha e qual é o ser humano que os não tem? E qual é o político, presidente ou primeiro ministro, passado ou presente, de todos os países do mundo, que os não tem? Estes actuais, por exemplo, têm-nos a rodos, além de que a maioria deles trai todos os dias o seu povo e a sua própria Pátria, à qual aliás ligam peva, a favor de entidades exteriores aos seus países e obscuras, estas conluiadas com os governantes (traidores) de cada um desses países.

Voltando aos defeitos que Salazar pudesse ter, eles eram completamente anulados em face das enormes qualidades que ele possuía: foi um competentíssimo governante, um valorosíssimo português e um inexcedível Patriota.

João José Horta Nobre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tiro ao Alvo disse...

"A moção foi levada a votação, tendo sido aprovada com vinte e quatro votos a favor, quatro votos contra e três abstenções, contabilizando um total de trinta e cinco votos" - da acta da RGA que aprovou a moção.
Recapitulando: 24 votos a favor: 4 votos contra; 3 abstenções.
Ora vejamos: 24+4+3=31.
Mas, nas contas dos meninos e das meninas ignorantes, contabilizaram "um total de 35 votos". Repare-se: eles escreveram "contabilizando", ou seja, estiveram a fazer contas, certamente com uso de calculadora.
Grandes cabeçudos! Com gente desta para onde vai o Bloco de Esquerda?

Adelino Ferreira disse...

Zazie, há tantos anos que andas na desova e ainda escreves o teu cognome de forma errada?!
Regista para memória futura:
emvecil;-)

Adelino Ferreira disse...

Zazie, há tantos anos que andas na desova e ainda escreves o teu cognome de forma errada?!
Regista para memória futura:
emvecil;-)

Adelino Ferreira disse...

Este cumpre!!

http://www.snpcultura.org/joao_duque_entre_financa_conviccoes_fe.html

Adelino Ferreira disse...

Este cumpre!!

http://www.snpcultura.org/joao_duque_entre_financa_conviccoes_fe.html

Miguel Dias disse...

Ricciardi disse
"Muitos foram os autores que viram os seus livros apreendidos ou foram presos, como Soeiro Pereira Gomes, Aquilino Ribeiro, José Régio, Maria Lamas, Rodrigues Lapa, Urbano Tavares Rodrigues, Alves Redol, Alexandre Cabral, Orlando da Costa, Alexandre O´Neil, Alberto Ferreira, António Borges Coelho, Virgílio Martinho, António José Forte, Alfredo Margarido, Carlos Coutinho, Carlos Loures, Amadeu Lopes Sabino, Fátima Maldonado, Hélia Correia, Raul Malaquias Marques(...)"

A censura é sempre condenável, mas não deve ser permitido - ou então desaprovada severamente - a publicação de obras que possuem como único objectivo a injúria/calúnia de pessoas ou instituições.
Quando aos autores supra mencionados tudo escritores de baixa qualidade, ressalvando algumas - poucas - coisas de Alexandre O'Neil, Aquilino Ribeiro ou José Régio. Não inventemos génio onde ele não existe.

Mas a falta de qualidade de uma obra literária não é motivo para a sua censura, e na verdade os referidos escritores não tiveram as suas obras censuras pela qualidade em si ou "de per si", mas sim pela sua ideologia política - vinculada nos escritos - de oposição e crítica pública ao regime de então.

joserui disse...

Ò Adelino duas vezes, a continuar assim ainda te vou considerar pior que o nobre e não é dizer pouco.

musaranho-coxo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
zazie disse...

É verdade, JRF: são fractais?

Adelino Ferreira disse...

Ainda não percebeste joserui? É o botão eheheh

Adelino Ferreira disse...

Ainda não percebeste joserui? É o botão eheheh

joserui disse...

Não são fractais :) .
São imagens por exemplo pintadas, uma paisagem… mas composta por várias estampas que podem trocar de lugar, continuando a fazer sentido.
Um dia destes vou ligar um Mac antigo onde devo ter o mail que enviei com isso.

joserui disse...

Ò Adelino duas vezes, ainda bem que não tens o meu número, senão tinha que te bloquear duas vezes.

joserui disse...

E para os apreciadores do comunismo e do ambiente, como eu, mais uma prova que as causas ambientais entregues à esquerda são contra-natura: The Soviet Union Killed Tens of Thousands of Whales for Virtually No Reason (The Epoch Times).
"The reason for the senseless slaughter of whales was triggered by a key tenet of communism: central planning."
E no fim do artigo, "Communism is estimated to have killed at least 100 million people, yet its crimes have not been compiled and its ideology still persists." — vá-se lá saber onde e com que conivências e cumplicidades!

joserui disse...

Polyorama! Poliorama em português?
Depois de um breve entusiasmo inicial, na wikipedia polyorama não é bem isto, mas sim um efeito óptico pré-cinema (Youtube).
Mas aqui um exemplo do que eu dizia (até me lembrava de ser uma paisagem, o tal mail era de 2002, 15 anos até fico louco!)

joserui disse...

Um link a funcionar!

josé disse...

Da série Grandes Ilusões...

Nós por cá temos agora a grande ilusão da Geringonça. Troquem-se os partidos que a compôem com os partidos de há quarenta anos e temos no mesmo plano um PS de Zenha ou Lopes Cardoso, com um PCP de Vital Moreira, com um PSR de Louçã e uma UDP daquele que depois foi para o PS.

joserui disse...

É a poliesquerda!

muja disse...

Vs. têm de se actualizar. Metade da Front National, tanto de quadros como de eleitorado, é constituída por ex-comunistas e sindicalistas franceses.

Além disso, o comunismo latino-americano não é de índole internacionalista ferrenha nem de índole jacobina virulenta.

Não destroem igrejas por lá.

Isso agora até é mais coisa de direita "liberal", "neo" ou não. Chamem-lhe processo dialético...

É evidente que Chavez é uma referência para qualquer nacionalista. Foi dos poucos a afrontar o colosso.

Não quer isso dizer que seja para decalcar tudo ou que não se possa fazer apreciação crítica.

Mas meter tudo no mesmo saco do comunismo geral não é reflexão.

Dizer que não são de confiança por causa disso é disparate.

muja disse...

Já o repúdio do colonialismo é que me parece pouco inteligente. Não aprendem que a estratégia da teshuva não funciona...

Já caíram na esparrela para serem completamente desfeitos.

Seja pela incoerência de admirarem Salazar e repudiarem o colonialismo - admiram Salazar em quê, concretamente? Nas Finanças? Poderá ser... - ou hão-de ser forçados a repudiar Salazar através do colonialismo.

Não se pede desculpa em política, não se mostra arrependimento. Isso é dar sangue a cheirar às hienas... ahah!

Repudiar o xenofobismo e o racismo, sim senhor. É a posição tradicional portuguesa e até foi estratégia de guerra.

Repudiar o colonialismo é repudiar 500 anos de história. Sad! - como diria o outro...

Em vez de repudiarem o colonialismo poderiam falar na colonização. Desde logo interna. Na adega de Pegões, por exemplo. E daí expandir.

Enfim, mas se calhar nem repudiaram nada. Isto de a gente não ouvir as coisas directamente da boca do cavalo, e ter de passar pelas feique nuses é sempre de desconfiar....

muja disse...

Sobre a censura direi: censura nem é má nem é boa, é necessária. Quem ainda não percebeu tal coisa, vive no mundo fantástico.

Sendo necessária, tem de se aplicar com discernimento e critério - é o critério que faz dela má ou boa, consoante aplicada. Tal como a repressão.

Se é aplicada em processo limitado pela moral e pelo direito, é, desde logo, melhor do que quando é aplicada informal, clandestina ou popularmente.

O canhestro que atrás mencionou o "processo-crime" nem se apercebe. Um processo-crime é uma coisa de natureza completamente diferente à de uma assuada ou arruaça com vista à co-optação ou, caso falhe, à intimidação - que são os métodos aplicados hoje em dia porque, politicamente, é muito caro admitir a censura, a não ser em casos muito específicos e que normalmente envolvem pessoas que se crêem eleitas (sem votos).

muja disse...

De resto, do que se trata, neste caso, não é de censura.

É, pura e simplesmente, intimidação por ameaça de assuada e arruaça.

Ninguém censurou nada. Intimidaram, isso sim, com sucesso, uma instituição e um grupo de pessoas que se queriam reunir para falar sobre determinado assunto.

Se não fossem bem sucedidos na intimidação, o próximo passo seria mobilizar um grupo de desordeiros e delinquentes para irem dispersar a reunião violentamente; e fá-lo-iam impunes.

A conversa da censura é paleio para boi dormir. Mera distracção da questão central que não é de censura: é de ameaça e perturbação da ordem pública em total impunidade.

Porque não tenhamos dúvidas: é o que vai acontecer quando alguém se não deixar intimidar.

muja disse...

E para que não haja mesmo dúvidas, o abrunheiro declara, sem papas na língua:

Como membro do Conselho de Faculdade da FCSH, lastimo que a dire[c]ção da escola tenha sido forçada, contra a sua vontade, a tomar esta atitude, para salvaguarda da estabilidade funcional da instituição.

"Salvaguarda da estabilidade funcional da instituição" é língua de pau para preservação da ordem pública.

Mas as autoridades é que têm o dever e a responsabilidade de conservar e impôr a ordem.

Isto só pode significar que a direcção da escola se sentiu intimidada pela ameaça de perturbação da ordem e considerou que as autoridades não poderiam, ou não quereriam, preservá-la em caso de perturbação.

A questão fundamental não é, portanto, de censura, mas de autoridade do Estado - que ficou questionada e diminuída perante o público.

zazie disse...

Que giro, JRF- não conhecia

zazie disse...

A poliesquerda

ehehehehehe

muja disse...

A questão da censura existe, mas tem de ser posta num contexto mais amplo: em que medida se vê o Estado liberal obrigado, para evitar o custo político da contradição evidente, a recorrer ou permitir a organizações aparentemente desafectas a si próprio, e a qualquer autoridade pública, que exerçam intimidação e coacção sob ameaça de violência, com vista a reprimir ou censurar a discussão ou divulgação de determinados assuntos ou ideias que lhe interessa censurar ou reprimir.

Ou seja, em que medida um Estado que eleva a liberdade política a fim em si mesmo, se vê obrigado a sabotar a sua própria autoridade para evitar expôr-se como contraditório quando confrontado com a necessidade de censurar ou reprimir.

Claro que, tapando de um lado, destapa do outro: ao procurar evitar expôr-se como contraditório, visto que eleva a liberdade política a fim em si mesmo, o Estado liberal cai noutra contradição ainda maior que é negar-se a si mesmo, abdicando da sua função essencial, que é a de exercer a legítima autoridade.

Carlos disse...

Maria,

Li o seu comentário, e a única observação que merece, é a seguinte:
Temos vivências diferentes do passado e talvez por isso, também visão diferente.
Podia aqui, e já o fiz muitas vezes, contar inúmeras estórias que definem o regime anterior como fascista. Mas entendo, como disse anteriormente, é chover no molhado!
Mas, por respeito ao que me parece franco na sua análise, sempre deixo à sua reflexão:
Entende que seria possível uma troca de posições abertas, como esta, no anterior regime?
Como entende a existência de uma policia politica que detinha e torturava, quem lhes parecesse hostil? (tudo comunista)
E a censura, era um mal menor?
E por aí fora ....

joserui disse...

Muja, mas a questão do nacionalismo já vem de trás (essa contradição), muito do terrorismo *nacionalista* europeu era de extrema esquerda, não de direita. (Destruir igrejas acho que é em S. Brás de Alportel, são os nacionalistas das cavernas, não vou dizer nomes, mas é o nobre.)
Mas, lamento, eu e os comunas não nos entendemos. E ex-comunas, tenho reparado que uma vez comuna… ou LCI, UDP, MRPP… não gosto. É como o José diz — ah, foram comunas há muito tempo, mas aos 20 anos já se consegue perceber o que foi e é o comunismo (a não ser as doutoras do PCP que julgam que gulag é uma espécie de gaspacho que se serve quente).

joserui disse...

Por falar em Sad… (não tive culpa), directamente da boca do homem como me aconselhou Muja: uma diatribe inacreditável sobre escutas (conseguiu superar o Cavaco Silva) e acaba a manhã a desancar o Arnaldo Soares de Almeida, porque foi despedido do Apprentice? O man sofre da pinha e não é pouco. "Arnold Schwarzenegger isn't voluntarily leaving the Apprentice, he was fired by his bad (pathetic) ratings, not by me. Sad end to great show". Bad (or sick) guy! (sic também).

joserui disse...

Censura, critério ok. O que parece que se passa na democracia que temos é que há dois critérios: A esquerda e continuar ter emprego no fim do mês. Parecem-me maus critérios. E de resto concordo, aliás a minha observação sobre o assunto que fiz a um amigo foi — já não polícia há na capital?

joserui disse...

(E aproveitando a talhe de foice, sim, a censura era um mal menor, aliás, tudo que é "intelectual de esquerda" safou-se muito bem e comparado com a censura de hoje, enfim…
Quanto a troca aberta, não é comparável, a internet não existia. Mas desde que não fosse para subverter o estado e conspirar para entregar o país à URSS, diria que sim. Na URSS e satélites é que a coisa era diferente — e no entanto era e é o que os comunistas almejam. Na Roménia máquina de escrever só devidamente autorizada e registada.)

muja disse...

JRF,

pois, mas é preciso distinguir.

Esses ex-comunas que deram todos em grandes liberais ou conservadores de tipo "neo" não são todos vindos da ala dos doentes infantis?

Parece-me haver um padrão: os maoístas, trotskistas e restante cambada é que saltam de um extremo para o outro. Da extrema-esquerda vão para o que hoje, só se pode chamar extrema-direita, dentro do processo dialético deles: o ultra-liberalismo, a "hiper-classe" capitalista mundialista.

Já aqui perguntei, nunca me responderam, se conhecem excepções. Ou seja, ultra-liberais, ou neo-coisos, que não venham da doença infantil.

Porque comunistas ortodoxos, ou continuam a sê-lo, ou, a deixar de o ser, passam a nacionalistas.

Isto parece-me ser uma realidade, e merece reflexão para se entender porquê.

O que me parece é que os comunistas ortodoxos, e sinceros, são-no por razões que se prendem com as questões laborais e sindicais. Uma vez desiludidos, procuram o campo político onde melhor vejam tratadas essas questões. E esse campo é do nacionalismo conservador.

Já o Mestre dizia: aparte os comunistas, ninguém tinha uma política social e laboral mais progressista que o Estado Novo.
Tal como ninguém em França tem uma política laboral mais progressista - em termos laborais - do que a FN.

No resto, o militante de base comunista ortodoxo é praticamente conservador: não abraça as causas do progressismo societal - as causas fracturantes, o feminismo o genro, o guei etc.

joserui disse...

O genro e o guei? Hehe.

zazie disse...

eehehhe

joserui disse...

Há só uma nuance… que é existir uma grande ideológica e depois passarem não exactamente para o extremo oposto para para uma espécie de amoralidade e até neutralidade ideológica … dizem que é a ideologia do dinheiro, mas não há nenhuma.

joserui disse...

Era carga ideológica …

zazie disse...

A escardalhada nunca pode ser patriótica porque é jacobina e ateia. E deseja sempre um mundo-às-avessas. Logo é contra toda a tradição.

zazie disse...

Essas coisas funcionam conjunturalmente à falta de outra coisa e apenas pelo facto de existirem partidos em competição eleitoral.

joserui disse...

Exacto!

joserui disse...

Aliás na urss foram a extremos para liquidar essa tradição e na China nem se fala, ainda hoje acontece.

muja disse...

O comunismo é ateu e jacobino.

Mas não vai daí que os comunistas sejam necessariamente ateus e jacobinos.

Aliás, sendo o comunismo uma doutrina incoerente e contraditória, é perfeitamente natural, diria mesmo inevitável, que não haja comunistas perfeitos.

Portanto, também existe essa nuance.

muja disse...

E também há nuance entre os doutrinadores e os doutrinados. Entre o militante de base e o intelectual do partido.

E torno a perguntar se alguém conhece exemplo de um comunista ortodoxo tornado neo-conas?

E também há muitas nuances na URSS, lendo o Soljenitsyne percebe-se isso.

E, depois, na realidade, acreditar que os comunistas podem existir desligados do contexto nacional e social - ou seja, deles próprios enquanto pessoas - é tão erróneo quanto acreditar no próprio comunismo...

Um comunista venezuelano não pode, forçosamente, ser a mesma coisa que um comunista russo ou chinês.

Não é tudo igual porque, a sê-lo, então eles é que têm razão...

muja disse...

Seja como for, eu percebo perfeitamente o que ele diz quando fala da referência ao Chavez ou ao outro.

É evidente que o Chavez era patriota.

E se é certo que o patriotismo e o comunismo não batem certo um com o outro, também é assim em relação ao liberalismo e até em relação ao republicanismo.

E, porém, ninguém se admira se eu disser que houve liberais e republicanos patriotas.

Mais uma vez, aquilo que prescreve a ideologia não é, necessária nem exactamente, aquilo em que - íntima e até sub-conscientemente - acredita quem a ela adere.

Precisamente porque não é possível aderir integralmente a ideologias anti-realistas e contraditórias - que é o que todas essas são.

Tem de haver uma medida de realismo que permita às pessoas manterem o contacto com a realidade, quer admitam quer não.

O ateísmo é um bom exemplo. Não creio que haja muitos ateus verdadeiros. Porque, levado às últimas consequências, e quem é sincero e reflecte tem de fazê-lo leva inevitavelmente ao nihilismo. O verdadeiro ateu tem, eventual mas forçosamente, de se suicidar.

Ora, isso é muito mais difícil do que praguejar contra a religião e não dá tantos dividendos...

joserui disse...

Sim, mas os resultados são igualmente bastante prometedores: pobreza para todos. E repressão qb. Aliás é um dos dramas do comunismo, são todos diferentes e no fim o resultado é igual ou parecido.
Comunista que possa dizer ortodoxo, só conheci um — o que abriu champagne com os pais no 11/9. De resto o que eu conheço é só burguesia de esquerda.
Sim, aliás não foi sobre a morte do Cunhal que uma militante disse que estava junto a Deus Nosso Senhor a zelar por nós? Os próprios comunistas também beatificam os seus santos… havendo tão pouco a dizer do Estado Novo, arranjaram uma meia-dúzia de mártires. E a própria democracia beatifica esses grandes vultos. Eu onde moro há uns dois que tenho de aturar a praceta álvaro cunhal… não sei se é uma ironia, porque parece uma lápide aquela cagada… não sei se é ali que está enterrado o comunismo, nem porque haveria de estar, numa antiga estação da CP… Talvez pela coincidência de 2/3 da sigla… (P)CP. :)

joserui disse...

Pronto, vou dar de barato o Chàvez? E o Morales? Valha-me Deus. Quer-se dizer Muja, se for contra os EUA é bom e patriota. É aí que discordamos, porque eu reconheço a América das elites que ainda existe (e muita elite é importada, mas está lá — making america great); e tenho esperança que a democracia deles — por funcionar — consiga expelir o doente mental. E nisso ainda tenho algum americanismo.

muja disse...

Portanto, dizer que o Chavez é uma referência não é o mesmo que dizer que o comunismo, ou mesmo o comunismo venezuelano, é uma referência.

De qualquer maneira, o importante nesta coisa para mim é o colonialismo.

Se rejeitam o colonialismo, qualquer sofista amador os leva a rejeitarem a colonização e daí a rejeitarem Salazar, a legitimidade da presença portuguesa e tudo o resto.

Ou rejeitam tudo e, não são, afinal, nada; ou hão-de ser forçados a admitir que não rejeitam o colonialismo e são fachiiiistas desonestos.

Essas coisas, tacticamente, ou se ignoram - porque toda a gente está farta da cantiga - ou se atacam com ironia e sarcasmo preventivamente para não perder iniciativa. Abordar isso defensivamente é perder desde logo.

O gringo lá do outro lado a dar aulas de graça e ninguém aprende... ahahaha!

joserui disse...

E toda a notícia, além dessas referências, é o senhor quase (faltou mesmo pouco) a demarcar-se da direita. Posso estar a ser injusto, mas as referências, os "amigos" de todos os partidos, incluindo o PCP (e não ex-comunistas), parece uma tentativa de dar respeitabilidade. E por isso, acabo por ter pouco respeito. Dito isto aqui, não ando propriamente por aí com um pin na lapela a dizer "direita". Porque em certos meios até o pin do PSD e do CDS seriam meio caminho andado para eu ser de alguma forma prejudicado.

muja disse...

Sim JRF, mas só o comunismo é que dá pobreza?

Então para ser toda a gente próspera basta acabar com o comunismo ou fazer o contrário... Não creio que acredite nisso.

Quanto aos EUA, não é por ser contra que é patriota. Mas para ser contra, que outros motivos pode haver?

Não lhes era mais fácil alinhar? Afinal de contas, qualquer ditador de meia-tigela tem a vida feita se alinhar com eles. O perigoso é não alinhar. E eles não são esquisitos: como propaladores da liberdade pode ser-se o que se quiser, desde que se alinhe com eles.

Por isso, como explica isso então?

joserui disse...

São jeitosas as aulas. Um autêntico Dale Carnegie… já estou a ver os livros "Art of Public Lying", "Five Seconds Tweets", "How to Stop Worrying and Start Loving the Bomb" (julgo que este é © Kubrik), "Treasury of the Wisdom of the Trump", "How to Fuck Up in the World Today" e a verdadeira pièce de résistance. "The Quick and Easy Way to Effective Grab by the Pussy". Vão ser bons livros. :)

muja disse...

Bolas, se vem com essa cantiga outra vez vou-me já embora. Para isso tenho o livro das fuças...

Tacticamente, o tipo é bom, por mais que lhe custe admitir. Mostra como se faz, e não muda nada seja ele aldrabão ou sincero.

joserui disse...

No caso concreto? Com atraso mental. O chinês é o inverso, é com esperteza e paciência (evidentemente!). Eu rio-mo às gargalhas do video do youtube "te metiste conmigo pajarito…, te metiste conmigo". Só é pena, não termos esse o Trump a trocar tweets. É a única coisa de lamentar.
O comunismo é um atalho provado e comprovado. Claro que há pobreza nos EUA e nos países capitalistas e a desregulação que o Trump quer implementar em tudo (até o chumbo voltou às munições de caça, são retardados, que fazer?) vai produzir mais pobres e mais ricos. Daqui a pouco o 1% é 0,1%.
A partir daqui é onde concordamos. Eu não sou minimamente adepto de liberalismo de vão de escada ou variantes.

joserui disse...

Não mostra nada. O tipo é aldrabão ao nível da patologia. Está rodeado de gente difícil de descrever. O tipo das munições chegou a Washington a cavalo no primeiro dia — nunca fui grande apreciador de circo e agora sou frontalmente contra os animais no circo. Mas palhaços? Desde pequeno Muja! Desde pequeno. Nunca os suportei, seja o rico, seja o pobre.

Unknown disse...

O que vai safando o Donaldo são os inimigos, que são bem piores que ele.
Mas não deixa de ser um aldrabão de feira num reality show.

Miguel D

muja disse...

A desregulação talvez tenha essas consequências. Mas são as mesmas que as da regulação. Os pobres do Obamel são melhores que os do Trump?

Portanto, aquilo que eu quero dizer é que a política económica não é tudo. E pode ser-se patriota e ter uma política económica completamente errada.

O anti-patriotismo do comunismo não vem da política económica. Nem vem, estritamente falando, da visão de classe. Vem, parece-me, da redução da realidade a esse modelo e noções subjacentes; modelo que até pode ser útil para perceber certas transformações económicas, mas que está longe de representar ou traduzir toda a realidade.

Portanto, é, a meu ver, concebível ser-se patriota e ter ou fazer uma leitura marxista da economia. Não quer dizer que dê bom resultado, porém.

Agora, submeter toda a realidade a essa concepção económica é que não admite patriotismos...

muja disse...

Epá, deixem-me sossegado com o aldrabão!

Ele mostra como se faz, sim senhor. Mais ninguém foi capaz de fazer o que ele fez.

E isso não tem nada que ver com ser aldrabão ou deixar de ser. Pode ter que ver com ser palhaço, admitindo que o seja.

Mas até nisso não percebo a espantação. Então o preto não era palhaço?

Que é isto, então?:

https://www.youtube.com/watch?v=rAlwM9K3LJ4

A primeira "dama":

https://www.youtube.com/watch?v=_1yAOK0nSb0

Onde demónios andava toda gente indignada com a palhaçada?

João José Horta Nobre disse...

«É evidente que Chavez é uma referência para qualquer nacionalista. Foi dos poucos a afrontar o colosso.»

Lol, o Muja assume-se como comunista latino-americano. Eis o legado da "referência" em causa:

http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/05/a-venezuela-e-o-silencio-da-esquerda.html

João José Horta Nobre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
muja disse...

Olha-me este... ó grunho, o único americano aqui és tu. Desorelha lá para tua terra e vai lá demolir as igrejas que eles dizem-te...

Só nos sai disto... gringos armados em nacionalistas portugueses...

Tu és a própria prova que um comunista pode ser patriota e não ser jacobino com a mania que é ateu.

Tu és um jacobino ateu com a mania que é nacionalista. O Júlio César de S. Brás de Alportel. O Donald Trump dos Algarves...

Só mesmo na gringolândia aahahaha!

João José Horta Nobre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
muja disse...

Epá ó merdas, mas o que é que tu sabes do povo português? Pertences-lhe, por acaso?

És um estúpido dum estrangeirado que aqui caiu. Até podes ter cá nascido, por azar, mas não és de cá.

Afinal, se um branco nascido em África não é africano... porque é que tu hás-de ser português?

Desorelha basbaque.

João José Horta Nobre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
muja disse...

Todos, quem?

Os são-brasenses? Ahahah!

Ou pensas que estás a escrever para quem? Para os teus compatriotas? Se é assim, mais valia escreveres em espanhol...

João José Horta Nobre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João José Horta Nobre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
muja disse...

Ahaha!

O Napoleão dos Algarves a falar ao povo... Joannes Josephus Hortus Nobile, tribuno do povo.

Estás a falar para quem, ó basbaque? Ahahahah! Possivelmente e quem sabe.

Quando é que fugiste?

João José Horta Nobre disse...

«A escardalhada nunca pode ser patriótica porque é jacobina e ateia.»

Errado. Passo a corrigir: A escardalhada nunca pode ser patriótica porque é internacionalista.

Um nacionalista pode perfeitamente ser ateu e jacobino, não pode é ser internacionalista, porque isso entra em choque directo com o Nacionalismo.

Mais uma do "pagão das cavernas":

http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/10/uma-relacao-de-amor-e-odio-o.html

João José Horta Nobre disse...

Muja, podes-me insultar à vontade, que caso não tenhas reparado, isso nem mossa faz.

Uma pessoa como eu, que tem um blog com quase 500 artigos publicados, todos da minha autoria, não é uma pessoa que se deixe intimidar por insultos e baixaria verbal como aquela a que o muja e a zazie já nos habituaram.

muja disse...

Sim mas olha,

quando é que fugiste de lá?

João José Horta Nobre disse...

Sim mas nada.

Eu tenho um blog a caminho de 1 milhão de visualizações e com meia-centena de artigos lá publicados. O que é que o muja tem para mostrar?...

muja disse...

Arre que é burro!

Ó camelo, ainda não percebeste que eu não ando à cata de "vizualizações"?

Que não ando por aqui e por ali a poluir as caixas com links?

Eu venho aqui e ao Dragão há anos, e é só. E praticamente são sempre as mesmas pessoas que aqui discutem e debatem.

Não tenho necessidade de me exibir e se, porventura, decidisse falar pública e politicamente não era com artiguelhos de ressabiamento jacobino ou para denunciar supremacistas judeus. Antes desses já nós tínhamos inimigos e continuaremos a tê-los depois deles.

Pássaros como tu vêm e vão. Napoleões de vão de escada aqui caem de vez em quando a pensar que vão daqui salvar o mundo - sucede sempre o mesmo: vêm e um dia desaparecem como apareceram. Ficam sempre os mesmos.

Por isso não sei a que freguesia pensas que estás a pregar, mas não passas de mais um maluco que aqui caiu. Nunca aborrecem porque não ficam muito tempo. Entretanto a gente diverte-se.

Diz lá, quando fugiste?

Alberto Sampaio disse...

Verifica-se assim que o bloco de esquerda propõe o que se pode chamar de Fascismo Vermelho

João José Horta Nobre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João José Horta Nobre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João José Horta Nobre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
muja disse...

Eu não tenho emprego ó fala-barato. Mas tenho trabalho.

E também não tenho patrão, mas tenho responsabilidades.

Não vivo de subsídio nem bolsa.

E também não tenho nem mestrados nem doutoramentos e só fui à universidade porque me enganaram, se não tinha ido era para a tropa.

Promessas leva-as o vento, principalmente as de fala-baratos. Ameaças então...

Mas estás a confundir uma coisa: eu nunca me gabei de ser corajoso, e quem fala em demolir igrejas és tu.

Por isso, a haver encontro teria de ser no adro da igreja de S. Brás, a um domingo, às 10:15. E eu é que queria ver se tinhas coragem de repetir o que aqui escreves à frente do povo.

Quando fugiste?

João José Horta Nobre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João José Horta Nobre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João José Horta Nobre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
zazie disse...

Como o gajo é labrego e cobardolas, aqui vai mais um print só para chatear

https://gyazo.com/6301cb9384d2ff5c9f5c39b1d7579cf4

joserui disse...

Eu fui para a tropa e para a universidade! Respeito! Mas acho que também me enganaram na segunda opção. :)

Estou triste, o nobre apagou os comentários todos antes de eu me poder rir um bocado. (Obrigado Zazie, esses não são maus.) Ninguém atura este nobre…

João José Horta Nobre disse...

Sabem porque é que eu apaguei os comentários?

Porque simplesmente estava a escrever e de repente pensei: "Mas porque raio estou eu a perder o meu tempo com este tipo de mongos???"

Vai daí. Tchau. Acabou-se. Apaguei tudo. Retirei este blog da minha lista de blogues e decidi que não voltarei mais a marcar presença aqui, até porque já percebi que ao vir comentar neste espaço, estou apenas a oferecer protagonismo a quem não o merece. Não voltarei a frequentar o Portadaloja, pelo simples motivo de que se trata de um local muito mal frequentado. É pena, pois trata-se de um blog que tem potencial para ir muito mais longe, mas assim não dá mesmo.

O José recusa-se a banir a Zazie e o Muja deste espaço. Portanto, nesse caso eu faço o que muitos antes de mim já fizeram e simplesmente digo bye, bye de uma vez por todas a este blog. Para mim, este é o fim definitivo da minha frequência deste espaço e é "apenas" mais um leitor participante que o Portadaloja perde graças ao péssimo comportamento da Zazie e do Muja.

Só espero que o José esteja feliz da pocilga verbal em que deixou que se transformasse o espaço por si gerido.

Fui.

joserui disse...

Ahahah! Perdão, Ooooohh… Ò nobre os comentários já estavam escrito moço… Se os apagas ainda perdes mais tempo, entendes?
Ò nobre, não és tu que andas por aqui a chamar quem acredita em Deus "porcos cristãos", a dinamitar virtualmente igrejas, a oferecer dinheiro pela nossa morada e a fazer ameaças várias? Trata-te moço e assume-te como o grande pior-que-os-comunas que realmente és.
Agora, ò nobre, vou finalmente fazer-te um elogio: Estás um homenzinho, teres banido este blogue que conspurcavas permanentemente com os teus links, foi uma atitude digna de registo que será devidamente apreciada por todos.
Vai e não voltes!

muja disse...

Não deite foguetes antes da festa, que ele fez a mesma coisa no Dragão, e passada uma semana, ou coisa assim... voltou.

Mas lá está-se em plena lei marcial - ou canguinchial - e só aparece o que é aprovado. Por isso ele acabou por perder a vontade.

Estou curioso para ver, porque aqui segue-se uma estratégia diferente...

muja disse...

A sério, escreveu a mesma coisa, tal e qual!

E depois voltou como se nada fosse.

Ahahah!

joserui disse...

Esta vida é um nunca acabar de desilusões e contrariedades.

zazie disse...

Nos intervalos aparece o outro que nem precisa de Viagra no botão. Virtualmente, são sempre duas seguidas

":OP

Adelino Ferreira disse...

O teu "amparo" da tesouraria não te diz a verdade, não te quer deixar ficar mal acerca dos "botões" (por baixo). Afinal são mais de dez anos de parceria. O teu retrato zazie em esperanto:

Pendergaixs dender endermpufuxrraixouver, naixouver mendertouver ouverrgaixouver nouvers inixtenderstinixnouvers, pouverinixs bouvercaix pouvercaix chenderinixraixs maixl bouvercaix

Nunca aprendeste esperanto?!

josé disse...

Isto deve ser o esperanto macarrónico.