sábado, 2 de janeiro de 2010

As conveniências de Estado

O presidente da República acha que estamos à beira de um abismo. "Com este aumento da dívida externa e do desemprego, a que se junta o desequilíbrio das contas públicas, podemos caminhar para uma situação explosiva."
E refere depois que "o exemplo deve vir de cima".

Deve ser por isso que os escândalos se sucedem e "no pasa nada". As razões de Estado, mesmo à beira do abismo, são sempre as mais preponderantes.
Os detentores de cargos que "devem dar o exemplo", ficam sossegados, porque mexer no satus quo é dar o passo em frente.

Maior desgraça para um país, dificilmente se percebe.

7 comentários:

Mani Pulite disse...

PARA EVITAR A SITUAÇÃO "EXPLOSIVA" É PRECISO FAZER EXPLODIR POLITICAMENTE A BESTA CORRUPTA QUE NOS GOVERNA.CAVACO DEVE DAR O EXEMPLO CUMPRINDO OS SEUS DEVERES CONSTITUCIONAIS REBENTANDO COM A BESTA.

Manuel disse...

Das capas dos principais jornais que vi, o DN foi o único que não fez manchete com a "explosiva" frase proferida pelo PR. Com a reeleição tão tremida, tem uma boa hipótese de tomar uma atitude de interesse nacional, seguindo o conselho de Mani Pulite.

Ainda em relação aos jornais, vou começar 2010 com uma assinatura anual do semanário "Sol".

Para o José e para todos, votos de um bom ano novo.

Eduardo Freitas disse...

Caro José,

Mas que mais pode fazer Cavaco? O discurso de Ano Novo fez lembrar os "orgãos de Stalin" sobre Sócrates como JPP aqui demonstra.

Precisamos de rupturas mas o país - a maioria do país - não quer ouvir falar em semelhante coisa. Onde está a alternativa a Sócrates? A ruptura com Sócrates? Paulo Rangel seria uma possibilidade, é certo. Mas não há - pelo menos ainda - a consciência da urgência. Sem um abanão, um forte abanão, não haverá cobertura para um programa de ruptura.

Assim sendo, resta esperar pelo abismo - que venha depressa. Ou então, um golpe. Palaciano ou de um outro qualquer tipo.

Tino disse...

O Cavaco bem fala há 25 anos, enquanto o País desce a rampa com a sua ajuda, umas vezes por acção, outras vezes por omissão...

E quem ajudou a pôr lá a Besta e a alimentou durante 5 anos, quem foi?...

josé disse...

Cavaco não é maçónico, não é jacobino e tem uma ideia diversa daqueles que frequentam o largo dos ratos.

Isso é muito positivo, mas tirando isso, é um parolo. E tenho pena que seja o nosso presidente.

Isaac Baulot disse...

O cargo é de Presidente da República, não de Observador da República. Já temos comentadores que cheguem.

(observação do Doutor Carvalho da Silva)

portolaw disse...

"dissonando" do republicanismo vigente...o que tenho pena é que tenhamos um presidente da república!

O Espírito pecador