quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

O fenómeno desportivo do futebol



As conversas de Pinto da Costa, presidente do FCPOrto, escutadas e gravadas no âmbito do processo Apito Dourado, foram disponibilizadas publicamente na internet.

O que se pode ouvir, para qualquer pessoa medianamente entendida em futebol ou nos assuntos do dia a dia, é suficientemente explícito para provocar uma vergonha e uma náusea a propósito da limpeza ética e moral do futebol e do modo como se movimentam os responsáveis nos bastidores, particularmente, no caso, os do F. C. Porto.

Estas escutas provam inequivocamente a existência de uma corrupção autêntica no fenómeno desportivo que mesmo não relevando criminalmente, como não relevaram, por motivos formais e de circunstância juridico-penal, serão suficientes para qualquer pessoa avaliar o contorno em que se move o futebol português, desde há muitos anos a esta parte.

Os factos ouvidos são de há meia dúzia de anos, mas talvez não seja arriscado dizer que nada mudou de substancial. E se mudou, terá sido apenas de latitude ou lugar de poiso.

Escusado será dizer que este assunto, será abordado pelos comentadores, de um ponto de vista utilitário e semelhante ao que se verifica no comentário político: sendo do clube, tudo se perdoa e nem mal se verá. Sendo do adversário, tudo se apontará e todo o mal daí virá.

16 comentários:

Dr. Assur disse...

Parece que o tal seu amigo já se prenunciou e afirmou "Infelizmente em Portugal existe o segredo de justiça para dar cobertura à negligência e incompetência e para fazer julgamentos na praça pública. É melhor acabar com essa farsa", acfrescentando que "O segredo de justiça é uma hipocrisia. Nos outros países não há segredo e a justiça funciona melhor".

Não deu exemplos mas podemos adiantar que não se refere á Venezuela porque daí já disse mal. Talvez se esteja a referir ao Irão, Coreia do Norte, China, Paquistão, Médio Oriente...

diconvergenciablog disse...

As escutas foram realizadas para um fim concreto, não para este decerto...

josé disse...

As escutas foram realizadas no âmbito da investigação criminal chamada Apito Dourado. No entanto, o processo adquiriu dimensão pública e mediática pelo que se passou em GOndomar.

Estas escutas já foram publicadas em jornais, há anos, integralmente.

Foram usadas para recursos e para decisões. Foram comentadas por uns e outros, incluindo pelos adeptos do FCP para demonstrar que corrupção há muita e até um tal LFV foi apanhado fortuitamente a combinar um árbitro.

Por isso, o assunto é do domínio público.

O único motivo de escândalo, agora, é serem de viva voz e sem equívoco algum em transcrições que por serem letra morta assim ficaram.

Isto da viva voz é uma maçada...

portolaw disse...

José,

Concordo mais do que discordo consigo, mas esta é uma das vezes, e essencialmente tal não se deve ao motivo clubístico - sou do fcporto e o José é, creio, do sporting.

As provas - incluindo escutas - apresentadas pelo MP contra o PC foram apreciadas por vários Juízes e nenhum deles julgou o PC culpado do crime de corrupção. Aliás, desses processos saiu um processo por falsas declarações contra a testemunha-estrela da acusação. Nos tribunais administrativos a saga também prossegue, embora os indícios - nomeadamente decisões em processos idênticos e a jurisprudência - façam acreditar que o desfecho será igual.

Se o José acha tudo revelador, está no seu direito. Mas não deixarei, tal como fez um dos juízes que sobre o assunto se pronunciou, pensar que estamos perante mais um caso de "wishful thinking". O que, acredite, não me causa qualquer perplexidade ou indignação. Porquanto, confesso, utilizo o mesmo "vício" noutras ocasiões...o que não lhes chamo é opiniões jurídicas!

E talvez fosse o momento, até para salvaguardar a face da justiça, e da imparcialidade do MP começar-se a investigar - porque indícios existem - alguns dos figurões dessa magistratura, suas ligações, perigosas, e até a forma como alguns magistrados são "recompensados" pelas hierarquias, fazendo-os ascender na carreira, quando nesse processo mediático, para acusar um arguido e absolver outro, utilizam exactamente o mesmo facto "contado" de forma diferente...

josé disse...

portolaw:

Ouça as escutas V. mesmo e depois diga alguma coisa.

Sobre juizes, tribunais, provas proibidas e matéria provada e não provada, não quero dizer muito mais, porque muito haveria a dizer.

Estou noutro nível que é o do senso comum e que neste caso pode ser avaliadao por quem quer que seja.

Faça V. mesmo o seu juizo e deixe o dos profissionais que têm de lidar com outros elementos para mostrar aquilo em que acreditam e qual a própria convicção que podem justificar.

portolaw disse...

José,

Desculpe, mas não consigo falar apenas a nível de senso comum quando diz que as as escutas provam inequivocamente a existência de uma corrupção autêntica no fenómeno desportivo. Mesmo que a seguir diga que não tem relevância criminal. Até porque isso não é preciso ser dito, já está definitivamente, quanto a este caso, fixado.
Em termos de senso comum, não concordo quando diz que os factos só terão relevância quando são do clube dos outros, que ao nosso tudo se perdoa. E para que não pense que estou com meias-tintas, digo-lhe sem margem para dúvida, que este caso é tão importante como o Freeport, Casa Pia ou Vara para aquilatarmos da asfixia da justiça pelos poderosos. E mais lhe digo: está enganado se pensa que o JNPC é, neste caso, um dos poderosos...esses provavelmente estarão felizes com a atenção pública que merecem estes casos, e não incluo nestes os presidentes de outros clubes, escribas orientados e alguns magistrados. Esses não passam de "middle-men" de alguns senhores que mais do que azuis, verdes ou vermelhos, são verdadeiramente camaleões, ou arco-irís.

joserui disse...

O que o José não vê, e julgo que é motivo de frustração e irritação (para mim é de certeza), é uma censura pública clara a este tipo de comportamento.

Na política ainda é pior e já aqui disse que amigos meus que considero, nada vêm em tudo que tem sido revelado. Pelo contrário, ainda tive que levar com a indignação em cima.

No futebol é assim desde as camadas jovens. Um amigo que jogou num clubeco qualquer, diz-me que um almoço pagava um árbitro desses escalões (há uns anos), os miúdos eram incentivados ao teatro da falta muitas das vezes já combinados com o árbitro, eram incentivados a sarrafar os melhores dos adversários e quanto mais cedo os inutilizassem para o jogo melhor. E era a feijões.

Para a primeira liga pagam em fruta e dinheiro. O outro é em robalos. E assim estamos. -- JRF

josé disse...

Uma corrupçaõ geral, ainda mais entranhada do que supomos.

Uma corrupção já normalizada nos procedimentos correntes e com absoluta falta de consciência moral.

Por isso é que ficam admirados de lhes mostrarem como são...corruptos.

Nem se apercebem da dimensão em que o são.

diconvergenciablog disse...

Tá certo José, no plano do senso comum e tal, todos podemos avaliar e tal... Muito bem.
Na minha humilde opinião, as escutas (quaisquer que forem) devem servir o fim (a investigação - a acusação). Caso não sirvam, devem pura e simplesmente serem destruidas.
Isto vale para escutas ao FCP, ao SLB, ao zé traficante de droga, ao zé estripador, etc.
É uma questão de reserva da vida privada, de direitos fundamentais, em ultimo, de dignidade da pessoa.
Se fazem destas a poderosos, como P.Costa, nem imagino o que fazem ao zépovo...

diconvergenciablog disse...

Mas como disse (e bem) esta situação não será discutida no plano dos direitos, mas sim no plano das cores clubisticas. Como a maior parte das pessoas em Portugal é do SLB, isto é bem, é do dominio público, ainda se pode fazer um julgamento popular, sem apelo nem agravo.
Por incúria não se consegue nos lugares próprios, tenta-se agora assim.
Esquecem-se que os cidadãos, sejam eles o P.M o presidente do clube a ou b, a apresentadora de tv, não o deixam de ser, por serem figuras públicas, que não perdem a reserva da vida privada.
Por fim, os factos foram levados às intancias, foi cumprido o mandato constitucional da minuciosa analise dos factos, ponto final.
Isto, trata-se pura e simplesmente, de exposição de vida alheia que ofende os direitos de personalidade dos visados.

joserui disse...

Generalizada! E agora vai-se sabendo alguma coisa, se bem que com resultados nulos. O que me admira, insisto, são pessoas dos meus contactos habituais, não se indignarem minimamente. E nem é por sectarismo, é mesmo por normalidade.

Há 20 anos (já contei isto?) os meus pais andavam em luta para o licenciamento da construção de uma casa. Todos metiam areia na engrenagem à espera de dinheiro. Como se fosse um procedimento normal.
A minha mãe foi esperar o Narciso Miranda à porta de casa, isto ainda é do tempo que autarca habitava uma casa normal e não tinha €2 milhões para pagar por um divórcio. Para o fazer ver a vergonha de câmara que governava. E o processo passou a andar.

Para mim, é muito triste viver num país assim. Mas paciência. Tenho filhos pequenos, não estou disposto a chatear-me muito mais que isto. Mas também já tenho dito, que estou a investir para que se quiserem possam ter um futuro lá fora. Dou-lhes essa possibilidade pelo menos. Porque não vejo futuro aqui acima da mediocridade e destes esquemas. -- JRF

zazie disse...

«Se fazem destas a poderosos, como P.Costa, nem imagino o que fazem ao zépovo»

ehehehe

Onde é que eu ouvi isto?


Acho que foi ao Júdice na tv, por causa do Freeport e da perseguição ao Sócrates, quando bastava terem-no chamado e perguntado.

":O))))

joserui disse...

Hehe...
Isso quer dizer que temos o ilustre Dr. Júdice aqui a comentar junto com o Zé Povo? -- JRF

zazie disse...

ehehe

A lógica do Júdice foi igualzinha. Fazer crer que políticos ou pessoas poderosas que manobram influências e corrupções, são iguaizinhos ao zé dos anzóis a trocar tricas da vida com a tia jaquina.

E nem se percebe como é que nunca notaram que para o zé dos anzóis e a ti jaquina já existe a novela.
Possivelmente por verem tudo como essa "realidade".

joserui disse...

Eu por acaso, gostava de manobrar influências e corrupções ao contrário. Para correr a IKEA da reserva ecológica nacional onde está instalada e da reserva agrícola nacional onde se vai instalar no Algarve. Tudo com a ajuda do inefável zé povo do Dr. Júdice. -- JRF

zazie disse...

Olha,a a representante da IKEA é blogger. Dantes andava pelos Marretas.
Atira-te a ela

":O))))