quarta-feira, 14 de julho de 2010

A crise da Justiça

Sic:

O caso da compra dos submarinos volta a estar no centro das atenções. A relação próxima entre uma procuradora do Ministério Público e o presidente de uma empresa determinante para a compra dos submarinos e para a investigação criminal pode pôr em causa os respectivos processos judiciais. A procuradora é uma das responsáveis pela investigação e ele o responsável pela empresa que fez as perícias para o Ministério Publico. Em causa estão questões de ordem legal, mas, sobretudo, de ordem ética e deontológica. O procurador-geral da República diz que desconhece toda a situação, mas que vai investigar.

Para comentar este assunto, a SIC convidou um juiz. Rui Rangel. Enfim.
Quanto à superiora hierárquica da referida procuradora-adjunta, a directora do DCIAP Cândida de Almeida, ameaçou a SIC com um processo...cível!!!

Há situações em Portugal que são insustentáveis e esta é uma delas.

4 comentários:

andrecruzzzz disse...

JOSÉ se alguém quisesse inquinar a investigaçao d um modo diferente, criar um relacionamento destes nao seria óptimo? (como s ja nao bastasse a anedota d empresa do namorado ter sido actor no processso e ainda ser perita p o MP, mas ja penso em tudo e acredito na possibilidade d mesmo aquilo q nao pensei ser possivel..)

Karocha disse...

Qual justiça José?

Diogo disse...

Como podemos admitir uma coisa destas? Estamos todos estuporados?

Milan Kem-Dera disse...

Neste capítulo, já não estamos apenas no limiar do indecoro. Já transpusémos todas as fronteiras da ética, da decência, da vergonha e da dignidade! Estamos já em pleno campo aberto, num lodaçal onde já tudo é possível!