O direito no caso BES: acorda!