segunda-feira, 2 de julho de 2018

Tengarrinha e o MDP das comissões democráticas eleitorais

Morreu José Manuel Tengarrinha. No dia 25 de Abril de 1974 estava preso há dias, por ter ido várias vezes à missa do padre Felicidade Alves e talvez fosse mais conhecido do que Álvaro Cunhal. Era   um dos líderes da CDE que concorreu às eleições de 1969 e organizou congressos de oposição, como o que se realizou em Aveiro, em 1973, com a presença de todos os notáveis da oposição dita democrática e que deixava de fora os "partidos revolucionários" que os consideravam, justamente, burgueses. Em 1974, estes vingaram-se...

Em finais de 1974 e para concorrer às eleições de Abril do ano seguinte transformou-se em partido, tomando o nome de MDP/CDE,  juntando por isso a designação antiga- com a sigla CDE, "comissões democráticas eleitorais"- à tomada logo a seguir ao 25 de Abril de 74- Movimento Democrático Português- uma espécie de amálgama de democratas que sendo marxistas e até leninistas não se reviam inteiramente no comunismo ortodoxo do PCP nem no novel partido Socialista de influências jacobinas e maçónicas.
As contradições entre alguns destes "democratas" começaram cedo e acabaram por liquidar o partido que nunca foi o que eventualmente esperavam os seus mentores. Nas eleições de 1975 tiveram um pouco mais de 4% e cinco deputados, ficando ainda assim à frente dos esquerdismos variegados que então apareceram e que originaram os Livres e outros blocos de esquerda.
 O desconhecimento e ignorância histórica da maioria das pessoas dá nisto.

Porém, os do MDP não escondiam as suas preferências políticas e por isso foram acusados logo no início de serem uma espécie de "muletas" do PCP, portanto uns cripto-comunistas explicitamente coligados, ideologicamente, ao MES, à FSP e ao PCP, como disse o referido Tengarrinha, em Guimarães, durante a campanha eleitoral para a Assembleia Constituinte de 1975.

Em entrevista ao Século Ilustrado de 9.11.1974 também não deixou os créditos por mãos alheias que o acusavam de ligações ao PCP:


O Livre Rui Tavares faz assim o obituário daquele, hoje no Público:



Este escrito de Rui Tavares é um exercício censório à maneira do que se fazia antes do 25 de Abril: contar a história com alguns eufemismos e revelações de entre-linhas. Este indivíduo, de democrata tem apenas a costela esquerdista. É um aleijado ideológico, com representatividade democrática próxima do zero absoluto e ligado a máquinas de respiração artifical nas tv´s do regime actual.

Para se saber quem foi este Tengarrinha e o que significou o seu MDP é preciso recuar umas décadas e com recortes fazer a história que os livres não conseguem fazer.

Em 1969 quando se tornou candidato eleitoral pela "oposição democrática" ( juntamente com um João Bénard da Costa ou um Jorge Sampaio ou José Galvão Teles ou mesmo um Francisco Sousa Tavares, pai do actual Tavares que perora na SIC para dizer mal do regime de Salazar que o alimentou a ele e ao pai), Tengarrinha era jornalista, tinha 37 anos e uma licenciatura em História e Filosofia.

Como se pode ler pelo recorte do livro As eleições de Outubro de 1969, editado pelas Publicações Europa-América, em 1970, com 622 páginas, em pleno fassismo, os candidatos da tal oposição eram esses e ainda outros que agora não podem ser oposição, na democracia que temos: os verdadeiros fascistas de Rolão Preto e do Integralismo lusitano.

Ora confira-se:



Em 1973, estes democratas dessa ocasião estavam prontos para tomar o poder se lhes fosse dada a oportunidade.

A revista Observador de então, de 13 e 20 de Abril de 1973 mostrava perfeitamente o que se passava ( até a ausência estranha de Mário Soares...):


Para estes democratas Livres isto é História que nunca existiu e como não há quem lha mostre passam a mensagem que querem, na tv e outras loca infecta.

Também não há quem lhes mostre esta imagem publicada na mesma revista Observador, de 28.9.1973 que mostra o apoio popular a Marcello Caetano, depois de ter sido vilipendiado em Londres por Mário Soares e seus adeptos. O Livre ou o MDP coitados, ao lado disto...


Quando Tengarrinha e outros foram presos, pela DGS que no tempo de Salazar se chamava PIDE mas que agora é só conhecida por essa sigla como se os cinco anos e meio de governos de Marcello Caetano nunca tivessem existido, noutra mistificação e falsificação histórica, foram-no por actividades subversivas contra o regime e a legalidade de então.
Não foi por mero arbítrio ideológico, como aconteceu em 28 de Setembro de 1974, contra "fascistas" como Artur Agostinho, um mero repórter de rádio e tv e outros perigosos "fascistas" que queriam regressar ao tempo anterior ao 25 de Abril de 1974. Essa mera intenção imputada em processo verbal foi castigada com meses de prisão em Caxias, numa manifestação suprema de superioridade democrática.

Quanto às actividades subversivas dos "democratas" ligados ao PCP e partidos revolucionários, como efectivamente Tengarrinha também fora, importa ler algumas páginas sobre o que Marcello Caetano entendia sobre o assunto e ver se não tinha plena razão...à luz do que ocorreu durante o PREC:











Está aí tudo explicadinho por que motivos os Tengarrinhas democratas eram presos: porque queriam liquidar o regime fassista, substituindo-o por um comunista. 

Só um doido ou um néscio, como um Costa Gomes, poderiam permitir uma coisa dessas em Portugal, nos anos setenta.
O tal Tengarrinha ou o Jorge Sampaio que depois foi presidente da República não sabiam disto? Sabiam e estavam carecas de o saber, particularmente o Tengarrinha. Curiosamente nem a sua ex-mulher, Vera Lagoa de sobrenome lhe descobriu a dita que nem era preciso, mas sempre a encobriu...

Quem discorda? Então vamos lá ver como era...

Sempre Fixe, 30.9.1974: nem é preciso comentar...


Repare-se na linguagem, propósitos e nomes do MDP, em Dezembro de 1974:



E em 3.4.1975


E ainda em Julho de 1975, os propósitos do PCP, aqui claramente explicadinhos por um Pato avesso a laranjas, na sequência da proclamação do mentor estalinista, Álvaro Cunhal, em 6 de Junho de 1975 à jornalista italiana Oriana Falacci: Portugal nunca teria um parlamento como o dos países europeus ocidentais. Seria mais como os de Leste...:


Querem mais?  No mesmo número de 1974 que trazia a entrevista a Tengarrinha sobre as acusações que lhe faziam de ser uma muleta do PCP, aparecia esta reportagem bem clara no significado explícito: o Portugal democrático apoiava o MPLA comunista na tomada do poder em Angola. ~



Perante isto, torna-se necessário ler as vinte páginas sobre o  que Marcello Caetano disse do comunismo e destes compagnons de route que nos tramaram durante décadas, enquanto povo.

Quem contestar que Marcello Caetano tinha razão deve pensar no PREC...e no que quase nos aconteceu, com o apoio entusiástico dos Tenagarrinhas Livres.
Livra!

Uma nota final: estes recortes não se publicam em mais lado nenhum. E por uma ou duas razões: a primeira é que não existem estes livros, como os apontados. O dos governos de Marcello Caetano encontram-se em alfarrabistas mas são raríssimos. Eram abundantes, nas bibliotecas das antigas Casas do Povo, espalhadas por todo o país e cuja história ninguém faz porque seria um modo de envergonhar o actual regime. Esses livros foram queimados, literalmente nalguns casos, deitados ao lixo noutros e suprimidos das bibliotecas que os guardavam, pelos comunistas que os substituiram pelas obras dos marxistas mais notórios.
Outra razão é que não existindo agora, a História torna-se omissa quanto a estes factos que envergonham e desmentem a versão dos antifassistas que passam o tempo a dizer mal de Salazar como se não tivesse passado já mais tempo de democracia do que o que o mesmo esteve no poder.

Por último os alunos das madrassas do jornalismo actual nunca aprenderam isto. Os professores nunca lhes ensinaram tal coisa e se porventura viessem a saber, chumbavam ipso facto, nos Isctes, Novas e outros sítios onde se diz que se ensina jornalismo ou "ciências da comunicação".

Finalmente, censura deste tipo nem sequer existia no tempo que essa gente execra. Basta ler os recortes para verificar tal coisa. ~
Portanto, outra vergonha do actual regime: repristinar uma Censura que nem sequer existia...

75 comentários:

zazie disse...

Muito bom, José.

E é mesmo isso. Foram queimados e os novos censores encobrem tudo nas universidades

Pedro disse...

Ora, como de qualquer maneira chamam comuna a toda a gente o que interessa isso ?

Zephyrus disse...

Nunca tinha ouvido falar neste Tenagarrinha. Na realidade em Portugal nos programas de Historia esta fase ou nao e leccionada, ou omite-se a realidade que este blogue divulga...

Agora mesmo li no Observador isto:

https://observador.pt/2018/07/02/dezenas-de-milhares-de-contribuintes-recebem-multa-surpresa-por-falta-de-adesao-ao-viactt/

Este ambiente de caca a multa tera umas duas decadas e importa olhar para as suas origens. Quem escreve estas leis? Juristas... e quem tem as ideias? Funcionarios publicos...

O padrao e este: criam-se legislacoes barrocas com regras que nao sao divulgadas de forma clara e com uma linguagem acessivel. Depois estipulam-se multas totalmente desproporcionadas. Aqui esta um exemplo...

Outro exemplo. Em Londres viajar sem bilhete tem multa inferior a 75 euros. No Porto, viajar sem bilhete no autocarro tem multa que anda perto dos 200 euros. Sucede que no Porto muitos turistas ou idosos enganam-se no sistema de zonas... ou esquecem-se de passar o andante quando mudam de linha.

Este esquema que combina regulamentacoes barrocas e multas desproporcionadas face aos rendimentos medios da populacao para quem por desconhecimento ou engano nao cumpre uma lei tem tido tendencia a acentuar-se sem qualquer reaccao do poder politico, especialmente o das "causas". Por que sera? Eu tenho uma suspeita... e nao devo andar longe da verdade...

Pedro disse...

Caro Zephyrs.

Isso é por ler poucos livros.

Se calhar a "censura democrática" não lhe permite ler uma vulgar história de Portugal...

Zephyrus disse...

Esta geracao de que faz parte este Tenagarrinha foi toda criada num Regime com outros valores que nao os seus. Ha um pormenor. Nao viveram a balburdia da Primeira Republica. Cresceram numa epoca de franco desenvolvimento e revoltaram-se. Muitos depois arrependaram-se, como aconteceu com Medina Carreira, outros viraram a Esquerda, com um certo ex do CDS. O que tem em comum? Sao normalmente da pequena burguesia urbana, e tomaram conta das catedras nas universidades, e do funcionalismo, construindo a maquina de Estado que hoje existe, certamente calibrada com as influencias das suas ideias de Esquerda. Tudo comeca logo com a Constituicao, a mais enviesada a Esquerda do Ocidente...

Floribundus disse...

apesar de ter concorrido a eleições sindicais em 68
e de ter sido sócio da CED e pertencer aos seus últimos corpos gerentes (as actas devem estar na afundação boxexas)
os sociais-fascistas do barreirinhas sempre me consideraram fascista

infelizmente a reacção tinha melhores dentes que eu

nunca me passou 'pelos cabeça' assistir a tamanha fantochada

até aquela MERDA chamada geringonça
é pior que a HIDRA DE LERNA

a censura passa o tempo a sacudir a água dos capotes a antónio das mortes

sampaio dos campos de fute como 'desígnio nacional' também merece velório

Zephyrus disse...

Li duas na minha vida. A do Rui Ramos e a do Prof. Jose Hermano Saraiva. Li excertos de outras que tenho la por casa. Voce ja leu alguma por inteiro?

A questao que se coloca e esta: por que motivo os programas de Historia nao abordam a realidade do que sucedeu nesta fase e por que motivo estas personagens, as suas ideias e as suas origens nao se discutem com artigos de jornais e pecas jornalisticas.

So se esmiuca a vida de Salazar...

Pedro disse...

Não existia censura no estado novo ?

O salazar até criou uma direção dos serviços de censura para coordenar as actividades dos vários serviços de censura.

Como o José sabe essa organismo teve existência oficial no aparelho do estado português.

E como o José muito bem sabe, se hoje quiser imprimir estes textos em livro ninguém o vai impedir.

Não o faz porque não quer, não é porque nenhuma "policia democrática" o impeça.

Não está para isso, dá muito trabalho.

O José então inventa que existe uma polícia política "socialista" que não o deixa. Coitadinho.

Claro que, se houvesse, este blog não existia.

O José tem medo do debate livre, mas a mentir é um leão.

Zephyrus disse...

Alguem aqui negou alguma vez a Censura no Estado Novo? O que se diz e voce nao percebe porque talvez o QI nao seja suficiente e que a antiga censura era oficial e toda a gente sabia que existia, como funcionava e quem eram os censores. Agora a nova Censura e subtil, difusa e esta escondida em pequenos pormenores que so olhares atentos e instruidos podem identificar.

zazie disse...

"Ingènuamente as pessoas querem então estar à moda. Não desejam que as considerem «ultrapassadas». É preciso andar com os novos tempos...E deixam correr ou apressam-se a dizer- «amen». "

Tão actual. Mas ele diz que as pessoas não estavam preparadas para o debate. Daí terem comprado todos os progressismos revolucionários.

zazie disse...

Zephyrus- não responda. Não merece a pena.

Vá ao Insurgente e veja que ele faz sempre essa táctica. Adultera tudo, faz passar uma mentira como boato e depois, quando confrontado com uma pergunta directa, não responde.

Contorna sempre tudo.

Esse sujeito é um abrantino profissional e pago precisamente para isto.

E masturba-se com a ansiedade de lhe darem troco.

josé disse...

Não leiam. Sempre que aparecer o nome do dito, lembrem-se do Quim Barreiros...

Pedro disse...

caro Zepyrus.

Completas já li a do Hemano Saraiva e a do Oliveira Martins. Mas faço consulta aos calhamaços de muitos volumes.

De qualquer maneira a ligação do MDP ao PCP não é segredo nenhum, fizeram uma aliança oficial, publicamente.

Toda a gente que viveu naquela época sabe e hoje até na wiki ou se pesquisar na net em qualquer artigo de jornal sobre a história desse partido essa ligação é mencionada. Não é segredo nenhum que o José tenha "descoberto".



Pedro disse...

Olha a zazie é a censora oficial do José ?

Arranjou tempo entre duas pívias a grilos ?

Zephyrus disse...

Em boa verdade a sociedade portuguesa nao tem la grande tradicao de debate.

Na Primeira Republica ate andavam aos tiros...

Isto em Portugal costuma ser assim: ou 8 ou 80...

Aquilo que chamam de democracia acaba por ser algo ilusorio pois nem existe Direita. Por exemplo. Algum partido representa de forma inequivoca os interesses das PMEs ou dos proprietarios? Acho que nao e a prova disso esta no link que deixei acima com a tal multa ate 250 euros pela nao inscricao num servico de e-mail do Estado: algum partido contestou ou fez causa disso em defesa do bolso de quem paga impostos? Nao fez...

Mas aquela que e a maior prova do enviesamento esta na Constituicao. Rumo ao socialismo. E ate incluiu o conceito de "orientacao sexual", o que daria pano para mangas em termos de discussao de cariz intelectual sobre tal "conceito", mas que em Portugal nao se discute. E assim a deputada Isabel Moreira mais o BE acabam por mandar no pais representado apenas uma minoria urbana e "chic". Isto e democracia?

Floribundus disse...


ex-gotamento

«Dados provisórios sobre "burnout" dos professores indicam valores "altíssimos"


Os dados provisórios sobre as situações de “burnout” que atingem os professores portugueses indicam valores “altíssimos” e podem vir a ter reflexos políticos, sindicais ou jurídicos, disse Raquel Varela, coordenadora de um estudo, que será apresentado na sexta-feira.

Pedro disse...

Caro Zepyrus.


Sim, o José está constantemente a afirmar que não existia censura "a sério" no estado novo e que agora é que há. Até neste post o faz.

"Finalmente, censura deste tipo nem sequer existia no tempo que essa gente execra. Basta ler os recortes para verificar tal coisa. ~
Portanto, outra vergonha do actual regime: repristinar uma Censura que nem sequer existia…"

Como todos sabemos houve períodos mais duros e mais soft, correspondentes ao apogeu e à decadência do estado novo, mas normalmente quem quer que criticasse diretamente o governo era censurado.

A seguir à IIGM e principalmente durante a primavera marcelista houve aberturas e são nesses períodos específicos, devidos ao regime se encontrar pressionado a abrir, que que estes aldrabões se aproveitam para dizer que não havia censura.

Também sabemos que hoje é que não existe censura de livros, jornais ou blogs.

Caso contrário, como é evidente blogs como este não existiam.

A única censura nestes blogs é a estabelecida pelos próprios donos e utilizadores que, ou bloqueiam o acesso a pessoas de opinião contrária ou, como aqui, incitam os participantes a "ostracizar" quem não tenha a mesma opinião deles.

Caso não tenha reparado é isso que a Zazie está a fazer neste preciso momento.

Zephyrus disse...

Um cheirinho da "censura".

Quem ler o El Pais em edicao de papel costuma encontrar varios artigos sobre a situacao dramatica que se vive em varios paises, nomeadamente a Venezuela, mas tambem o Brasil ou a Argentina, entre outros da America do Sul. Em Portugal o que se passa nestes paises e largamente ignorado. Um deles, o Brasil, foi colonia portuguesa...

Por que motivo o jornalismo caseiro omite largamente a situacao que se vive na America Latina?

Zephyrus disse...

Floribundus, sobre a situacao dos professores, alguns dados para reflexao...

Por que motivo os professores tem mais trabalho agora que ha 20 anos? e os medicos? E quem tem pequenos negocios? De quem a culpa?

Ja agora...

Por que motivo os professores trabalham mais e mesmo assim os alunos andam em explicadores de forma macica, como nao sucedia ha 20 ou 30 anos?

Em tenho algumas respostas, mas quem sabe tudo afinal e apenas a malta do ISCTE.

Zephyrus disse...

Tenho professores na familia.

Uma prima o ano passado foi mudada de escola. So soube do resultado no inicio de Setembro. Como se sabe, em Portugal quando se arrenda casa da-se um mes de caucao. Mudou de distrito. Como avisou a senhoria do sitio onde estava apenas na primeira semana de Setembro, e como teria de avisar pelo menos com 30 dias de antecedencia, na pratica "ofereceu" 400 euros... e como nao encontrou logo casa na nova cidade, teve de viver temporariamente num airbnb, onde gastou mais mais umas centenas de euros, para no final do mes entrar com 1000 euros para arrendar um T1 a 500 euros. Foi o mais barato que arranjou...

Zephyrus disse...

Portugal tem excesso de professores. Poderia ter menos, e muito melhor pagos. E sem a maquina de colocacoes do Ministerio ou as burocracias das avaliacoes de professores...

Este e mais um dos falhancos da Esquerda portuguesa. A Educacao.

Zephyrus disse...

Fiz a escola primaria com uma professora do "outro tempo".

Entrava as oito da manha e saia a uma da tarde. A escola tinha um muro baixo, entravamos a saiamos do espaco na hora do intervalo para ir a mercearia da esquina. Nunca houve nenhum problema. Havia trabalhos de casa todos os dias. Ninguem fazia drama com isso. Na mesma sala havia ricos e pobres, ciganos e mulatos, e nao se falava de bullying.

Hoje a minha antiga escola e uma gaiola. O muro deu lugar a um gradeamento altissimo tapado com chapas. As arvores foram podadas e ficaram sem copas. Os alunos passam o dia fechados numa sala, de manha ao final da tarde. E nao comem em casa, como nos faziamos. Comem no refeitorio... e quem la nao come tem mania de rico, pois agora nao se pode ser diferente, a nao ser que a diferenca passe pelas causas da moda.

Fui um sortudo e nao sabia.

Zephyrus disse...

Os professores passam mais horas nas escolas mas nao ensinam mais.

Os alunos passam mais horas nas escolas mas nao aprendem mais.

Com Bolonha aconteceu o mesmo nas Universidades. Mais horas de dedicacao a universidade, mas sem mais resultados.

De quem e a culpa, de quem e?

A proxima sera acabar com os exames nacionais como forma de avaliacao e para acesso ao Superior... e so esperar...

Zephyrus disse...

Quanto aos medicos...


Nenhum pais rico do Norte tem desemprego medico. Entendem que a formacao medica e longa e cara e portanto seria um desperdicio de recursos e de dinheiro formar medicos para o desemprego. Por isso, preferem importar medicos...

Portugal nao tinha este problema, que ocorreu em Espanha ou na Grecia, ou ainda em Italia, paises do Sul... sempre o Sul, que nunca se sabe atinar...

Nao tinha e pelo contrario havia falta de medicos. Ora passou-se do 8 ao 80, nos medicos e nos enfermeiros, nos dentistas ou nos fisioterapeutas? Como? Por exemplo, com um Bloco de Esquerda a defender 2000 vagas em Medicina num pais que so precisa de 1200 a 1400 novos medicos por ano e que recebe ainda umas centenas de medicos formados em Espanha ou na Republica checa... e que depois nao podem tirar o internato por falta de vagas. E sem internato, nao podem prescrever...

Quem defendeu as 2000 vagas conduzindo a situacao que nja se vive de desemprego e emigracao? Um BE e um certo ex ministro do Socrates...

E quem abriu vagas em excesso em enfermagem, levando a que o pais forme o dobro dos enfermeiros que precisa?

Zephyrus disse...

De quem e a culpa do burnout dos professores? Das rendas altas? Dos salarios baixos? Do desemprego dos medicos e enfermeiros?

Para o BE e esquerda em geral: os ricos e os fascistas.

Por que motivo quase ninguem os contraria? Em anos so vi alguem a contrariar esta gente em poucas ocasioes. Um Medina Carreira. Ou um Adolfo Mesquita Nunes, que um dia em directo falou com a Mortagua como deve ser, sem medo.

Mario Figueiredo disse...

Voltando a uma pergunta anterior, não se ensina o Estado Novo em um contexto histórico porque o preço que tivemos que pagar pela libertação do 25 de Abril, foi a imposição pela força da ideologia Abrilista. Ideologia essa que está bem viva nas duas ou três gerações que viveram o 25 de Abril e da sua 1ª descedência.

São estas gerações, incluindo as nossas, que têm de desaparecer para tanto o Estado Novo, como o 25 de Abril, como a 3ª República passem a ser ensinado pelo seu valor histórico. Esse processo já começou. Eu já vejo nas minhas filhas adultas a sua incompreensão e estupefacção pela carga ideológica dada ao 25 de Abril. Pelo que posso imaginar o que os seus filhos pensarão e os filhos destes, e destes...

As nossas gerações infelizmente não são bafejadas com essa sorte e temos de viver no meio da ignorância do Abrilismo, imposta por toda uma organização politico-partidária que precisa de criar demónios para desculpabilizar e desviar as atenções da sua incapacidade e do seu desinteresse daquela que deveria ter sido a sua causa maior, o serviço à nação.

O Serviço à Nação -- A massa da qual os grandes lideres mundiais foram feitos, incluindo muitos reis portugueses que hoje celebramos como heróis nacionais e cuja governação autoritária em regime monárquico fazia o Estado Novo parecer um parque infantil. A hipócrisia da esquerda não tem limites na sua dimensão, mas tem no tempo. Esse, o tempo, a esquerda não consegue nunca enganar; e gerações futuras saberão olhar para o Estado Novo com outros olhos.

Floribundus disse...

minha 2ª mulher é prof com 2 mestrados
acaba de chegar duma reunião que se não realizou

esta semana já alteraram 11 vezes o calendário, por vezes às 23 h

há mais de 70 anos não havia burocracia

e chega,os à universidade a saber matemática, português, latim, inglês ...

actual,ente é tudo irreflectido e de desgaste rápido

la Chiesa in questi ultimi tempi, per esempio Papa Leone XIII nella sua Enciclica
intitolata alla libertà (cfr. Denz.-Schoen. 3245 e ss.) e il Concilio recente (Gaudium et Spes, 16;Dign. hum. 3, 11)

a liberdade morreu
a alegria e a esperança id ibid

por isso detesto o estado

Floribundus disse...


PAOLO VESCOVO
SERVO DEI SERVI DI DIO
UNITAMENTE AI PADRI DEL SACRO CONCILIO
A PERPETUA MEMORIA
DICHIARAZIONE SULL’EDUCAZIONE CRISTIANA
GRAVISSIMUM EDUCATIONIS

PROEMIO
L'estrema importanza dell'educazione nella vita dell'uomo e la sua incidenza sempre più grande nel progresso sociale contemporaneo sono oggetto di attenta considerazione da parte del sacro Concilio ecumenico (1). In effetti l'educazione dei giovani, come anche una certa formazione permanente degli adulti, sono rese insieme più facili e più urgenti dalle circostanze attuali. Gli uomini, avendo una più matura coscienza della loro dignità e della loro responsabilità, desiderano partecipare sempre più attivamente alla vita sociale, specie in campo economico e politico (2) d'altra parte gli sviluppi meravigliosi della tecnica e della ricerca scientifica, i nuovi mezzi di comunicazione sociale danno loro la possibilità, anche perché spesso hanno più tempo libero a disposizione, di accostarsi più facilmente al patrimonio culturale e spirituale dell'umanità e di arricchirsi intrecciando tra i gruppi e tra i popoli più strette relazioni.

Zephyrus disse...

"O Serviço à Nação -- A massa da qual os grandes lideres mundiais foram feitos, incluindo muitos reis portugueses que hoje celebramos como heróis nacionais e cuja governação autoritária em regime monárquico fazia o Estado Novo parecer um parque infantil. A hipócrisia da esquerda não tem limites na sua dimensão, mas tem no tempo. Esse, o tempo, a esquerda não consegue nunca enganar; e gerações futuras saberão olhar para o Estado Novo com outros olhos."

Um dos ditadores bem apreciados pela Esquerda e o Marques de Pombal...nunca Salazar tratou os inimigos como o Marques. E ha outra coisa: o Marques enriqueceu com a governacao...

Zephyrus disse...

A mais recente: tentar demonstrar que Salazar era "misogino, homofobico, racista, transfobico..."

Mas nao dizem o que pensavam os politicos da Primeira republica sobre as mulheres... nem o que pensavam os comunistas da homossexualidade, como um Alvaro Cunhal...

Ja um certo heroi de Abril tera, segundo se diz, duas mulheres. Nao sera um terrivel machista?

Zephyrus disse...

Foi-me contado em Alcacer do Sal...

Depois do 25 de Abril apareceram uns "engenheiros" da Uniao sovietica. A populacao meia analfabeta acreditou que tinha a sua frente ilustres doutores. Diziam que la pela Russia nao havia ricos e pobres e todos viviam muito bem. Parte do povo acreditou. Ocuparam herdades. Diz-se que os tais doutores venderam o gado para Espanha, a cortica, as alfaias, enfim tudo o que poderam. Quando ja nada havia para vender, desapareceram, e as herdades ficaram falidas. Quem me contou isto garante que compraram boas vivendas nos arredores de Lisboa e alguns andam agora pela politica... e lamentou-se que os jornalistas nao investiguem a origem dos bens de certos "herois" abrileiros nem falem do que realmente aconteceu no Alentejo.

Zephyrus disse...

Um pouco por todo o pais fizeram isto.

Em Vila Real de Santo Antonio a industria conserveira desapareceu. Conta-se que gentes dos sindicatos queria que as mulheres nao trabalhassem nos dias em que estivessem com a menstruacao.

Hoje em dia ha gente de Vila Real de Santo Antonio a trabalhar nas fabricas da Ilha Cristina e de Ayamonte, ou na agricultura espanhola, e entram ao servico as duas da manha. Ninguem reclama dos horarios espanhois... nem das condicoes de trabalho do outro lado da fronteira.

O concelho, consta, tem perto de 150 milhoes de divida, entre divida da autarquia e da empresa municipal. Para 18 mil almas... o anterior presidente da camara, do PSD (!), nutria enorme amizade por Cuba...

Viva a Esquerda!

Zephyrus disse...

Ja agora... quem em grande medida lancou o turismo algarvio foi o Estado Novo. No final da decada de 60 os andaluzes ja assumiam que o Algarve estava mais avancado em termos turisticos que a Andaluzia. O aeroporto de Faro foi inaugurado nessa decada. O turismo ficou depois em banho-maria ate anos recentes... e os espanhois e os gregos passaram-nos logo a perna na decada de 80. Cunhal era contra o turismo e os turistas...

Zephyrus disse...

40 anos perdidos na Economia por causa da Esquerda.

PS com PCP e BE tem perto de 60 por cento da intencoes de voto.

Quando os juros subirem e o BCE desligar a maquina acaba outra vez a festa.

joserui disse...

Anda para aqui um labrego degenerado que também está na hora de se ir embora… isto é uma degradação.

joserui disse...

Zazie estive a ler os outros comentários e então chamou pretos aos pretos e brasileiros aos brasileiros? Hehehe. A minha opinião é que ainda não vimos nada… estes degenerados vão formatar a sociedade à imagem de uma imagem qualquer que têm e vão aplicá-la a todos, menos a uns quantos de uma casta eleita constituída por eles próprios. E vai-se tudo passar de forma quase voluntariosa, com centros comerciais, circo e bola para entreter.

Zephyrus disse...

O Aldous Huxley previu tudo.

Qualquer dia vira Index do politicamente correcto.

Sera proibido ler Dante, a Biblia ou o Cancioneiro do Garcia de Resende.

Nas escolas havera quotas para autores queer e feministas.

lusitânea disse...

A propaganda como nunca existiu em Portugal faz milagres.Então aliada à "escola pública" internacionalista e às montanhas de idiotas úteis que só pensam em "comer" e não "cheirar"...
A ERC faz o quê?E anda por lá um especialista judeu(nisto de teorizações eles andam lá sempre).Os que não querem agora pretinhos não passarão!Porra que é o tudo(entrega dos pretinhos com expulsão e sem bens dos brancos e agora não querem perder nem um! e por nossa conta)
O Manuel Alegre ainda vai voltar à rádio se preciso for.Para defender a colonização africana evidentemente!

Zephyrus disse...

Tenho uma revista francesa sobre isto, recente.

Diz que o futuro sera negro pois as universidades francesas e americanas estao a formar as elites de amanha com estes dogmatismos do politicamente correcto.

Em Portugal ninguem fala disto, tirando a Helena Matos.

Ricciardi disse...

Aquilo que tem de bom o tempo é temperar as coisas. Por essa razão se diz que o melhor é dormir sobre o assunto.

Ora bem, no futuro, quando não existir vivalma que tenha tido contacto com o regime salazarista, nessa altura , os livros de historia registarão um obvio e contundente período negro da nacao.

Registará o período onde o próprio povo fugia do retângulo como agora os africanos fogem dos países deles. Por não encontrarem neste pais futuro algum, nem sequer perspectivas, para viver. Tbem registará que um homem governou a nação por 40 anos e não fez com que ela se destacasse das demais Nações comparáveis. Nem de perto. Nem de longe.

Ficara na historia o período onde a obstinação dum homem levou guerra a outros pontos do próprio Império. Depois de 700 anos juntos, ainda que houvesse sempre algumas tensões independentistas, o regime salazarista fez o favor aos movimentos pelas independncias e conseguiu a proeza de juntar aos movimentos toda a população dessas bandas coloniais.

Pior, juntou também as Nações do mundo.

E se duvidas ainda houvera juntou-se a santa Igreja Católica à contestação. Talvez o gesto que maior mossa provocou ao regime.

Orgulhosamente sós, dizia o homem.

A história também registará coisas boas efectuadas nesse período. Contudo, as más são tão impactantes que ganham graças de destaque. Merecidamente.

Os seguidores do salazarquismo, em vez de aprenderem com erros, e corrigirem os tiros, fecham os olhinhos e continuam aluados na vã tentativa de convencer, à laia do esquecimento, que o regime foi fantástico quando toda a gente viu que foi uma merdinha.

Faz me lembrar o pessoal que insiste nos méritos econômicos incríveis do Adolf Hitler. Todos sabemos que o homem deu muito bem estar à população alemã. O povo alemao viveu bem durante o nazismo. Mas a que preço?

Alias, é precisamente porque Salazar deu bem estar aos alemães (investia neles o produto dos saques a outros paises, enfim) que me parece justificar a atitude da população em fingir que não se passavam as barbaridades que se passaram.

Rb

joserui disse...

Tenho uma amiga professora (tenho muitas amigas professoras, por alguma coincidência) com quem trabalho em alguns assuntos. E comparado com praticamente toda a gente do meu círculo (em que todos se contam seguramente com 20-30 anos de amizade), é muito recente. Sendo das "artes", tomei-a como mais uma de esquerda.
A nossa primeira grande discussão, oi sobre o grafiti um dia ao telefone — aquilo foi tão mau que ela desatou a chorar porque eu sou um ser horrível, etc. Entretanto a coisa passou e lá nos fomos conhecendo melhor. Conclusão: Diz-me ela que eu sou o único amigo com quem pode falar abertamente de certos assuntos designadamente aborto, eutanásia, géneros, alteração de sexo e outras coisas modernas. Com amigos também de dezenas de anos, pura e simplesmente não pode falar e tem de alguma forma assentir. E nem é que concorde com tudo que eu digo — tipo esta semana meter os romenos da Rotunda da Boavista todos num barco e deixá-los à deriva no meio do Atlântico :) . O certo é que se vive oprimido. A censura autónoma já chegou às famílias e aos círculos de amigos. Metade do que se discute aqui, falado num vulgar jantar de família era capaz de causar alguma indigestão, ou os jantares ficarem todos a meio.
Para mim, é um país muito triste. Para os degenerados é capaz de ser um paraíso.

Zephyrus disse...

O chefe mor da seita voltou.

O que vale e que os dados estao ai para quem quiser ver sem palas.

joserui disse...

Essa minha amiga este ano teve de frequentar uma formação sobre o género… ficou revoltada (só eu sei!), mas aprendeu que são 73 géneros… E não sei se a contagem já acabou.
Nem malaguetas estou a cultivar tantos géneros. Algumas são muito picantes, há quem goste em certas partes! Para o ano vou ter das que causam danos cerebrais permanentes… para oferta.

Ricciardi disse...

"Alias, é precisamente porque Salazar deu bem estar aos alemães"
.
Salazar não, leia-se Hitler, claro.

Zephyrus disse...

Para haver Civilizacao o Homem tem de aprender a controlar os seus instintos inferiores. O sexo e um desses instintos que devem ser controlados. Isto nao vai acabar bem.

josé disse...

Pronto. Este continua a vir para aqui cagar.

Vou ver se aguento este nauseabundo ou se tenho que mudar para o Wordpress e bloquear.

josé disse...

No Wordpress não vai dizer que isto aqui é a latrina onde vem aliviar-se quando quer.

Ricciardi disse...



Portanto, os instintos inferiores devem ser controlados através da aprendizagem. O sexo, em especial, deve ser controlado. Palavras do Zephi.

Os instintos inferiores não são aquilo que o zephi pensa que são mas, enfim, adaptemo-nos e intuamos o que quer dizer.

Controlar o sexo. Isto é como a física é o sistema dos vasos comunicantes. Aquilo que baixa dum lado, sobe do outro. Quer dizer, se a maioria dos homens fizer greve à actividade sexual, os que não fazem greve devem lucrar bué com isso. Acho eu. Assenhoram-se do mulherio, digamos assim.

Mas tem alguma piada esse controle. Porque não funciona. Nunca funcionou. Nem na própria igreja funciona e mais é actividade mesmo proibida.

Não funcionava esse controle. Eu ate tenho exemplos na família. Pessoal do tempo da outra senhora. Os namorados não podiam namorar à vontade. Para não terem pulsões sexuais. A moça ficava na janela e o rapaz cortejava-a. Foi assim que sonha tia me descreveu a forma como namorou. Não podiam sair juntos, mas viam-se na missa. O rapaz ia espera la á ver se a via quando saia da escola. Mas estava lá o meu avô. A tia olhava para o rapaz é ele para ela.

Então perguntei à minha tia. Oiça la, com.tantas restrições como foi possível ter casado gravida de três meses?

Ela disse que o meu tio aproveitou a ida do meu avô a Lisboa para saltar pela janela e... e eu pensei: e para saltar para cima da tia , enfim.

Rb

Zephyrus disse...

Nao se trata de funcionar ou nao funcionar. Trata-se sim de "moderar", sera que nao percebe? A minha mae nunca quis que eu tivesse namorada enquanto estudasse. Depois com o tempo e a maturidade ate percebi que tinha alguma razao. Vi colegas ficarem para tras por causa das namoradas, entre maus resultados em exames nacionais ou reprovacoes de ano no Superior. O amor e tramado pois o Homem nao e uma maquina, e aqui misturam-se sempre sentimentos destrutivos, como o ciume ou a possessividade. Ja elas... nunca se prejudicaram ahah

Sou amigo de uma pessoa que teve o melhor resultado do seu ano nos exames nacionais e foi a melhor do seu curso no Superior. Foi educada para nunca ter namorado enquanto nao terminasse os estudos. Assim fez. E uma pessoa muito equilibrada e sabia.

Mas agora a moda e outra: quanto mais sexo, melhor. e viva a festa!

Zephyrus disse...

Mas nao vale a pena discutir consigo.

Ja agora, o Cristianismo nao tem nada contra o sexo em si. Tem si contra a Luxuria e os excessos. Mas isto sao coisas que voce se calhar nao percebe por as suas palas estao formatadas para outro lado.

Zephyrus disse...

O problema da Igreja e com a Luxuria, nao com o Amor. Mas isto sao coisas que hoje em dia ja nao se compreendem. Ja agora, os judeus pensam e ensinam exactamente o mesmo. Tal como a filosofia oriental.

Mesmo nas epocas anteriores ao Cristianismo o casamento estavel e monogamico era importante onde havia Civilizacao. Os excessos eram para a juventude, que os tinha sem que se fizessem ideologias politicas sobre a coisa.

zazie disse...

JRF. já viu o crime que é, chamar-se pretos aos pretos e brasileiros aos brasileiros?

":O))))))

joserui disse...

Sobre o Wordpress… é verdade que é o motor de grande parte da internet mas…
Se for alojado no wordpress.com ainda vá. Para o José estar a registar domínio e pagar alojamento tipo Dreamhost, das duas uma, ou está disposto a gastar algum por mês ou então não vale a pena.
Tenho os meus blogues no Dreamhost com WP. O básico que o Dreamhost oferece por pouco dinheiro tem-se mantido estável enquanto as necessidades do WP aumentam a cada actualização. Resultado: ou tem um blogue quase sem visitantes, ou tem o site constantemente em baixo. E precisa de alguma proeficiência informática, senão então é que está tramado!
Conclusão: A caixa de comentários que devia ser um local respeitável, vai continuar a ter os estes aliviadores. E o degenerado.

joserui disse...

É crime! Eu cá chamo degenerados aos degenerados :) .

Mario Figueiredo disse...

joserui, o Wordpress não precisa que os utilizadores tenham dominio. Tal como o blogger, pode ser alojado num dominio wordpress.com.

joserui disse...

Felizmente eu próprio disse isso… :)
A outra questão prende-se com outra discussão que cheguei a ler e não tive hipótese de comentar.

zazie disse...

Pois é. Eu também tenho no Dreamhost e não tenho a menor razão de queixa.

Também passei o antigo Cocanha do blogger para o wordpress.com e ainda por lá está. Como não uso nem sei se dá problemas. Está na mesma, por isso não deve dar
ehehe

josé disse...

Ou seja, vamos ter que aguentar o pivete.

Logo que topem a descarga, é favor não remexer e deixar secar o poio.

Ricciardi disse...

Enfim, não consigo imaginar a adolescência sem namorar. É como imaginar viver sem ser amado.

Nunca dei instruções desse calibre aos meus filhos.

Só à minha filha. Apenas lhe disse que a primeira vez que um namorado dela entrasse em casa levava um cachaço contundente. Por aquilo que já fez com ela ou ainda não fez mas está a pensar fazer.

E o que esperas dele com esse teu comportamento, pai?

- Filha, se o gajo não reagir é um banana. Se o gajo reagir é má pessoa.

Rb

Adelino Ferreira disse...

Sobre o lápis azul
O CEO do estabelecimento não tem dado guarida à vontade de gente perversa. Quem não se sente bem tem sempre a possibilidade de criar um blog.O problema é ter audiência. Porque é que eles(as) não saiem daqui?!
Os cucos querem administrar a casa do José.
Se alguma vez decidir mudar de plataforma sujiro-lhe o Sapo

Maria disse...

Subscrevo tudo quanto Zephyrus escreveu. E também o que José deixou explícito preto no branco. Sem esquecer as oportunas achegas da perspicaz Zazie.

And last but not least o último comentário de Mário Figueiredo é absolutamente brilhante. Neste ele aponta os erros crassos por que peca este regime, erros terríveis de que não nos livraremos até que a geração - a que se aproveitou do golpe de Abril e o pôs à sua inteira disposição e parte da imediatamente seguinte que o fez por mimetismo - desapareçam deste mundo.

Mas atenção, a geração que precede a actual (e acredito que esta, sim, com as excepções que sempre haverá, irá repor a verdade dos factos com o decorrer do tempo) conservou muitas metástases do esquerdismo que lhe foi inoculado durante anos a fio e de tal forma que difìcilmente (ou porventura jamais) dele se livrará. Sei do que falo.

Tenho jovens na família - os que sofrem desta 'doença' incurável felizmente são poucos - que nasceram na década de setenta e que, em consequência da educação fortemente esquerdista recebida durante os estudos, desde a primária à Universidade e frequentando sempre bons colégios, uns públicos outros privados, têm uma visão totalmente enviesada do que foi o Regime do Estado Novo e a pessoa de Salazar e apoiam em quase tudo as linhas programáticas que o 'socialismo democrático' lhes trouxe, considerando serem as melhores para uma sociedade moderna e progressista.

Estão completamente fechados a outro tipo de pensamento. A fazerem lembrar Isabel Moreira, embora não tendam para o inconsequente e disparatado extremismo desta parvinha, também nascida em berço d'ouro e filha gente conservadora e pró-Estado Novo.

E note-se que estes são jovens cultos e bem informados, mas é claro que foram fortemente influenciados pelo conteúdo esquerdista contido nos programas escolares elaborados pelo M. da Educação desde há quatro décadas até aos dias de hoje. E estamos perante jovens que nasceram e cresceram em ambientes conservadores...

Corroborando as palavras de Mario Figueiredo, eis o terrível panorama que se nos apresenta sem grandes esperanças de se modificar a curto prazo, possìvelmente só a médio. Mas os estragos são de tal monta que mesmo assim não sei não.

É isto que se pode esperar dos portugueses das duas últimas gerações, com as excepções que confirmam a regra. E isso acontecerá mesmo depois de terem desaparecido os jovens adultos que o eram em 25/4 ou seja, aqueles poucos que a mando dos dois internacionalistas e torpedeando os ingénuos militares, chamaram um figo ao golpe de Estado concebido de boamente e levado a cabo por outrem.
(cont.)

Maria disse...

Depois houve os milhares de mercenários que a eles se juntaram, uns por puro oportunismo, outros por inveja, outros ainda por maldade e todos por um ódio visceral aos ricos mal podendo esperar para se apoderarem dos seus palácios e milhões e todos seguindo os chefes como cães pisteiros:

comunistas-estalinistas, comunistas-maoistas, socialistas-marxistas/maçons, pseudo políticos, baladeiros e cantores de protesto que ajudaram à baila e quase todos sem préstimo (nestes incluídas algumas cançonetistas e fadistas que sempre viveram bem e com trabalho durante o Estado Novo e não obstante veio o 25 e viraram comunistas da noite pró dia, como a presunçosa Simone d'Oliveira e o petulante Carlos do Carmo e felizmente poucos mais, que a partir daí ficaram com a vidinha assegurada pra si e família, etc.),

actores de Revista e Teatro, a maioria maus profissionais que com a benção dos 'democratas' produziam e representavam peças de teatro sem interesse algum, todas de autores comunistas cujos espectadores raramente ultrapassavam a meia dúzia e os poucos cingiam-se a amigos, familiares ou colegas. Esta farsa vem-se repetindo com o dinheiro dos contribuintes e o beneplácito de quem manda no País, desde há quarenta anos até ao presente.

A estes juntaram-se escritores de pé quebrado sempre com as editoras do regime prontas a publicar as suas obras mediocres, historiadores sofríveis com livros falsamente anunciados como autênticos best-sellers, escultores e pintores, muitos deles péssimos, que aderiram à causa democrática para nunca deixarem de receber as encomendas dos novos donos disto tudo, que sempre primaram por satisfazê-los com frequência requerida (como por exemplo a horrenda 'escultura' pespegada no cimo do Parque Eduardo VII e o vergonhoso retrato de Soares, por expressa encomenda deste ganancioso por dinheiro e claro que paga com o dinheiro de todos nós, porque com o dinheiro dele... 'tá quieto!

(outro tacho do escultor/pintor ricamente remunerado como era suposto..., os amigos são para as ocasiões e os favores pagam-se caros, ambas as aberrações da autoria do seu amigo e comunista Cutileiro, pois claro), pseudo arquitectos sem brio nem categoria profissional cujos projectos deram e continuam a dar origem a mamarrachos incríveis como jamais se viu neste País, graves atentados à sensibilidade estética do mais distraído, etc.

E a lista de completos abortos que se propagaram e prosperaram (e continuam) em todas as áreas da sociedade não teria fim.

Pedro disse...

Caro Zepyrus.

Então não devemos ler os mesmos jornais.

Há uma década que a situação da Venezuela e Brasil é constantemente sublinhada nos jornais e telejornais.

Muito mais, de longe, do que as crises de muitos outros países que passam quase ao lado.

Metade dos países sul-americanos, por exemplo, estão em quase guerra civil com uma criminalidade descontrolada e quase nada é noticiado a não ser um ou outro massacre ocasional muito espaçado no tempo.

Ou tem visto muitas notícias sobre El Salvador, Haiti ou México ?

O que se passa é que, como a Venezuela tem um governo de esquerda você queria ver a respectiva crise exibida de manhã, á tarde e pela noitinha - as outras dezenas de países na miséria não interessam nada.

E os jornais já quase que fazem isso. Mas você fica frustrado por perderem uma ou outra oportunidade que passa nalgum jornal estrangeiro.

Pedro disse...

Farto-me de rir.

Vocês apresentam o estado novo como um regime extremamente eficiente e popular que foi derrubado por uma ditadura impopular.


E no entanto o estado novo caiu literalmente de podre, derrubado pelas suas próprias instituições.

Ninguém disparou um tiro para defender aquilo e o derrube foi festejado nas ruas pela população.

Quando Néron foi derrubado os golpistas tiveram de reprimir as manifestações populares contra-golpistas a tiro.

Por cá as ruas encheram-se de gente a FESTEJAR a queda de regime tão "popular".

É caso para perguntar onde estavam essas enormes massas salazaristas que nem um ÙNICO salazarista teve coragem para defender aquilo.

São uns tristes.

Carlos disse...

"Registará o período onde o próprio povo fugia do retângulo como agora os africanos fogem dos países deles. Por não encontrarem neste pais futuro algum, nem sequer perspectivas, para viver. Tbem registará que um homem governou a nação por 40 anos e não fez com que ela se destacasse das demais Nações comparáveis. Nem de perto. Nem de longe."

Ricciardi, completamente de acordo, mesmo que se recusem a ler, quem como eu..."vemos, ouvimos e lemos, não podemos ignorar", factos, são factos!

zazie disse...

Realmente- o que o Estado Novo fez com o país, em comparação com o que vinha do início da República, acho que até foi um retrocesso.

Felizmente, nestes últimos 40 anos, grandes homens democratas conseguiram transformá-lo numa das mais modernas, evoluídas e ricas democracias do mundo.

zazie disse...

Factos, são factos!

Ricciardi disse...

É, é verdade, o Portugal de hoje é um pais evoluído.

Nos últimos 40 anos em democracia, metade do tempo foi passado a corrigir os efeitos nefastos do atraso sistêmico que vinha de trás. A outra metade, os últimos 20 anos, a modernizar o pais.
E que atraso era esse que vinha de tras?

A educação e a saúde encabeçam a lista. As infraestruturas vem a seguir.

Em democracia o pais saiu da ileteracia que caracterizava o antigo regime. Mas foi se mais longe. Muito mais. Além de já não haver ileteracia, o pais avançou muito no capitulo da educação em níveis mais elevados.

O pessoal deixou de ser educado por regentes com a 4 classe e passou a ser educado por profissionais licenciados. O numero de escolas secundárias e universidades disparou. A percentagem de crescimento é ridicula. Multiplicou se por 30 o numero de escolas e universidades.

Os frutos não são imediatos. Tem de passar gerações para obter os devidos efeitos. Hoje estamos preparados para competir porque fomos educados. Não por regentes com a 4 classe, mas sim por gente qualificada.

Por essa razão temos excelentes engenheiros, gestores, arquitetos etc. No tempo do.antigamente tinham os gente capaz, mas em numero muito muito muito insuficiente. Era o ensino para um punhado de pessoas. Os governantes estavam mesmo convencidos de que ao povo nao devia ser proporcionada educação avançada porque, nas palavras deles, só se justificava gastar dinheiro com alguns.

Esse pensamento obtuso gerou um Portugal incapacitado para competir.

Rb

Joao Carlos disse...

Excelente. Esta gente chega ao ponto de afirmar que os familiares andaram em excelentes colégios privados e não estão sequer receptivos a ouvir falar sobre o estado novo. Que saudades que eu tenho do tempo em que havia eleições livres neste país mas a propaganda da oposição era confiscada pela PIDE/DGS e libertada as 00.00 do dia das eleições. No tempo em que os empregados das tipografias eram revistados a saída para não trazerem clandestinamente propaganda. Está gente pantemineira não tem vergonha na cara.

Joao Carlos disse...

Tem calma que por muito tempo que vivas, sempre viveras debaixo da pedra onde te escondes. É É mais depressa tu mortes que a democracia. O fascismo que defender só uns quantos infelizes e miseráveis defendem. Os outros as pessoas de bem apreenderam a viver em democracia e não querem perder o valor máximo da sociedade. Pena não saber onde serás enterrada para poder escrever na tua campa rasa "aqui jaz que viveu em penitência por ser fascista" "Ou que o Diabo te guie para os braços do teu querido líder Salazar" mas ao José garanto um escrito de louvor na sua tuba a Salazar, a Hitler, Franco,Pinoche, ou outro qualquer assassino que ele desejar.

Joao Carlos disse...

Pois é esse o problema o país saiu da dependência de uns quantos exploradores e chulos dum povo atrasado. Não saiu na totalidade pois aproveitando uma revolução pacifica muitos se esconderam e se mascararam de democratas. Ocuparam os lugares anteriores ou meteram no nesses lugares patifes da sua confiança que minaram as instituições e mantiveram em muitos lugares o atrazo ou travaram o avanço. Os covardes dos fascistas nem lutaram para defender o regime o que foi uma catástrofe. Antes o tivessem feito e teríamos limpo Portugal dessa escumalha.

josé disse...

Outro troglodita.

Joao Carlos disse...

Os trogloditas dizem as verdades. É este troglodita está disponível para com uma lata de tinta vermelha desenhar na tua campa uma foice e um martelo e os seguintes dizeres "aqui jaz quem seja mais útil depois de morto por para estrume tem serventia"

João Rainha disse...

É assim que se reescreve a história, mas esta malta do MDP/CDE que sabemos, dormia com o PCP e companhia, pelo menos onde eu morava, Alvalade - Baixo Alentejo teve a sua sede em fogo, quem foi? Não foram os fassistas (usando a forma do José) certamente, foram os seus grandes amigos do PCP e demais esquerdas, que dormiam uns com os outros quando a situação interessava e logo de seguida atraiçoavam-se sempre que podiam, quais galos na disputa do poleiro, mas sempre amigos do "povo", não merece maiúsculas pois não se mostra até hoje digno disso, ainda vão na cantiga do bandido. Quando o presente é muito bom, desconfiam, já me diziam os meus avós e as boas pessoas que eu encontrei na vida.

josé disse...

Troglodita e mija nos finados. Enfim, outro para nos desviarmos. Só produz merda.