sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

O "ultimato de vingança e ódio" da deputada Livre

A deputada Joacine, no outro dia, gaguejou uma coisa qualquer em que exigia a devolução de obras de arte que foram trazidas para Portugal dos seus antigos  territórios ultramarinos. De África, porque ainda ninguém se lembrou de falar pelo Brasil de onde veio ouro em barda e para onde foram escravos em regime ambulatório, precisamente de África.

O assunto da deputada Joacine não suscitou reserva de maior a não ser no deputado André Ventura, actual nemesis desta esquerda de malucos que infesta o Parlamento. Que disse Ventura? Ironizou a propósito do bem que seria devolver a tal Joacine à procedência de origem africana. Todos ficariam satisfeitos, a começar pelo seu próprio partido...

Aqui d´el rei! Racismo! Xenofobia!, replicou a inteligente Van Dunem, ela mesmo vinda de Angola e porventura temendo a Ventura de vir a ser  devolvida a tal proveniência, em desejo latente, sempre presente.

Assim se fabrica o discurso de ódio, esse sim racista e perverso a que o Público de hoje dá destaque de página, com adjectivação própria deste jornalismo canalha:


Quanto ao assunto de raiz, a devolução de obras de arte, exigida por uma deputada portuguesa, vinda de África e em defesa de países africanos, isso é coisa de somenos e irrelevante.

Como escreve João Pereira Coutinho no CM de hoje, este "ultimato de vingança e ódio" é mesmo acaparado pelos media nacionais e até pela AR em peso.

A ironia de André Ventura, essa é que se torna inadmissível...



Escusado será dizer que uma palavrinha simples, até por twitter ou outro modo eficaz, a dizer desculpem qualquer coisinha, mas foi apenas a brincar com a deputada em roda Livre...evitaria este efeito.

Afinal quem saiu a ganhar neste confronto ético, cultural e mediático?

Para devoluções à moda da Joacine Livre aqui fica o contributo de Rui Ramos:  

"que tal propor a evacuação de Lisboa e a sua devolução a Marrocos, com um pedido de desculpa pela conquista de 1147?"


E para se ver como é que a esquerda que se disfarça de palhaço faz o circo em relação a estas questões nada melhor que esta página do suplemento do Público de hoje. Nem uma piada acerca da deputada Joacine.  É coisa séria com a qual não se brinca.
Toda a atenção vai para o lixo do Chega...


Sem comentários:

Em cima da mesa de Setembro 2020