sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Casa Pia, sentença de primeira instância

Sapo:

"A juíza Ana Peres anuncia que Carlos Silvino, conhecido como "Bibi", foi condenado a 18 anos de prisão. Já Manuel Abrantes foi condenado a 5 anos e 9 meses de prisão. Jorge Ritto foi condenado a 6 anos e 8 meses de prisão. Carlos Cruz foi condenado a 7 anos, tal como o médico Ferreira Diniz."

Carlos Cruz disse há pouco tempo que os testemunhos das vítimas que o incriminaram, são do mesmo teor dos que serviram para ilibar um político do PS, Paulo P., arguido no processo, . E até classificou a política como "uma porca".
Veremos então o que diz na conferência de imprensa e na entrevista na SIC.

Aditamento:
Já disse, entre outras coisas, que acredita na existência de juízes que reponham a verdade. Outros juízes. Estes que o julgaram não são juízes bons. Não sabem ver onde está a verdade. Apesar de terem ouvido em directo as vítimas sobre os factos que deram como provados.
Os outros juízes, hipotéticos e que irão repor a tal verdade que o arguido acha não ter sido descoberta, ainda não se sabe quem são. Mas são da Relação. E não vão apreciar os factos da mesma maneira, embora o arguido acredite que irão repor a verdade.

É isto, a defesa deste arguido. E para isto deu uma conferência de imprensa e vai à SIC para uma entrevista.
Para o advogado de defesa deste arguido, esta sentença é uma manifestação do reino das trevas. Filha do preconceito e do erro judiciário.



5 comentários:

jbp disse...

Existem violados mas não existem violadores...há coisas do "carago"

Streetwarrior disse...

olá José.
Eu escrevi 1 comentário mas deu "error" e pelos vistos não ficou.

Eu não sei se o que o Carlos Cruz diz,é verdade ou não agora sei que;
Ninguém que é acusado de crime de pedofilia e eu falo com experiência de causa,porque também já o fui,é acusado de 1 crime destes,sem ter culpa alguma e se vê arrastado para 1 lodaçal destes,sendo inocente,faz o esforço que o Carlos cruz está a fazer para provar a sua Inocência havendo provas fortes como se diz.
Isto porquê?
Porque alguém que tem contra si, fortes provas,inegáveis do seu envolvimento num caso como este,faz os possíveis para que o alarme social,a exposição,seja a menor possível para que mais tarde,ninguém se lembre do seu nome.
Agora é natural que,alguém que vê o seu nome manchado, com o prestigio social que o C.C tem, aceite que nem que seja uma só única pessoa o possa ver,como o tipo de pessoa com os crimes que lhe são imputados.
Acredito que tenha havido abusos... talvez até por parte de alguns indivíduos que estão neste processo mas também me parece que algumas pessoas utilizaram a figura social que o Carlos Cruz representa para poderem sair de fininho sem que o seu nome tivesse tempo para vir á pedra.

Que dizer de P.Pedroso? Ferro Rodrigues...e muitos outros que nem se atreveram a pronunciar o seu nome.

Muitas vezes estes crimes estão ligados a situações como esta;

http://espirra-verdades.blogspot.com/2010/07/veritas-10-rituais-de-imortalidade.html

Não estou a dizer que foi o que se passou mas,há coisas muito mal explicadas e nota-se que o C.C tem algum receio em falar de quem está por trás das razões deste processo que sem dúvida, envolve alguns figurões da nossa praça politica.

Nuno

Karocha disse...

Pois!!!

zazie disse...

Que raio de figura impoluta tem de ser o Carlos Cruz, mais que o Ritto, por ter sido apresentador de televisão e o outro cônsul?

Efeito mediático?

É no que dá ver-se demasiada televisão.

zazie disse...

Bem, mas sempre se podia comparar o "prestígio mediático" do CC ao do Michael Jackson a ver se se percebia a lógica das "incompreensões.

Ou então pedir ajuda ao Lombroso, para o caso do Ritto de quem ninguém duvida, bastando olhar para a carinha.

Carros de música corrida