Páginas

domingo, 18 de outubro de 2015

Varoufakis a ajudar o PS...

Sapo-Lusa:

O ex-ministro das Finanças grego Yanis Varoufakis afirmou hoje em Coimbra que Portugal só não foi à "bancarrota completa" devido à actuação do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Dragui. 

De facto, em 2011, o PEC IV ia ser a nossa salvação...e o resgate foi culpa de quem, afinal?

7 comentários:

Jorge Santos disse...

Mr. Varoufakis, go home. You´re not wellcome here.

zazie disse...

ehehe

BELIAL disse...

Os gajos que perdem miseravelmente estão na mó de cima.

A incompetência dá conselhos.

Quem não tem vergonha é dono do mundo.

O mundo ao avesso na mão dos que viram o bico ao prego

PS - bom artigo no DN de alberto gonçalves "o presidente da junta"
Qual VPV qual carapuça - AG é que é!!!

foca disse...

Este careca grega é um sábio.
Em conjunto com o catedrático Louçã estão preparados para salvar o mundo.
O único problema são os restantes 7 mil milhões de pessoas que não atingem a genialidade (se bem que o Tomonhé está lá quase!).

Floribundus disse...

zangado e com cheiro a ranço

mais um pontapé no olho do cu do monhé

Luis Filipe disse...

Bom estão quase todos com razão, incluisve o Varoufakis.
para se perceber o que o homem diz é preciso ler.A União Europeia poderá ser em breve uma coisa do passado. A xenofobia reina e influencia os resultados de eleições em todo o continente. Acicatados por sentimentos anti-UE provocados pela crise do euro, os interesses nacionais parecem colidir com uma visão partilhada para o futuro da Europa. Será demasiado tarde para preservar esta união, responsável por um período de paz sem precedentes que durou mais de meio século? Numa série de entrevistas conduzidas por Gregor Peter Schmitz, George Soros - um homem com vasta experiência europeia, cuja história pessoal está na raiz das suas atuais preocupações - explica-nos que a crise do euro não foi uma consequência inevitável da integração, mas sim o resultado de erros políticos, económicos e financeiros que teriam podido evitar-se; e a confiança excessiva na autorregulação dos mercados financeiros fez nascer instituições defeituosas que necessitam de uma reforma urgente. Apesar da grande incerteza do período atual, George Soros continua a acreditar na União Europeia como modelo de uma sociedade aberta.Percebe-se muita coisinha desde a Merkel ao Varoufakis.Depois falamos.

BELIAL disse...

O mundo está cheio de sociopatas inteligentes.

Parte desse mundo acredita na sua auto-confiança iluminada.
Por isso, chegam longe, lideram - até que perdem e fazem perder aos outros.

Geralmente ficam impunes, por se lhes reconhecer relativa inimputabilidade.
Salvo para os que se lhe fanatizaram, os que com ele "comeram" - e similares sociopatas, de segmento..