Páginas

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Violência doméstica, crimes passionais e relato jornalístico em 1971

Século Ilustrado de 9.1.1971, um relato de um crime passional, invulgar: uma mulher que desfere cinco tiros num profissional do assédio:



Século Ilustrado, 27.2.1971, relato de um crime de violência doméstica com uxoricídio :


O que avulta nestes relatos jornalísticos é a singeleza da exposição, com opinião pessoal do jornalista mas eivada de senso comum.
Hoje não há deste jornalismo. Para onde terá ido? E já agora, de onde veio?

23 comentários:

joserui disse...

Foi para o brejo! E veio das madrassas! :)

josé disse...

O actual, sim. Mas refiro-me ao antigo...

joserui disse...

Uxoricídio! Todos os dias aprendo uma coisa nova.
A Floripes tinha uma horrível pontaria. E a mulher habitualmente tem má pontaria, ou então esse rumor não passa de uma construção social!

joserui disse...

O antigo desapareceu porque as pessoas desapareceram… mais o fenómeno que aqui temos falado constantemente: Depois do 25A dava-se um pontapé numa pedra e saíam debaixo 10 jornalistas comunistas. Virtualmente de um dia para o outro.
Mais outro fenómeno, que é o estado do ensino superior, que no caso das letras está infectado pela esquerda mais radical de cima a baixo. Antigamente aprendiam pela tarimba, se calhar alguns começaram na composição ou nas rotativas… hoje, são doutores de jornalismo, sempre de causa na boca e prontuário ideológico na mão.

josé disse...

Uxoricídio: o marido que mata a mulher ( uxor, uxoris, esposa).

Anjo disse...

Também não conhecia o termo. Bem estranho, indecifrável para quem não sabe Latim. Até ao "-cídio" todos chegamos, mas o prefixo é invulgaríssimo.

Floribundus disse...

a mulher que capou o marido durante a noite com a navalha de barba

'cortou o mal pela raíz'

muja disse...

Ahaha! Alguém havia de compilar estes ditos do Floribundus!

joserui disse...

Ah, está aqui o estimado Muja, que anda a gozar-me alarvemente noutro post…
Primeiro, eu tenho a página no Facebook com a elite cultural, porque preciso. É lá que eles estão e volta e meia é necessário contactar alguém. E como se não bastasse, por ali respondem. Qual é a diferença entre vir para aqui verter fel sobre a América (menos Trump) e depois ir lá "em trabalho"? Despeça-se. Seja coerente. Eu também trabalho às vezes! Pelo menos é o que dizem os meus pais.
Segundo, ao contrário de cá, nos EUA existe elite cultural e muitas outras elites. Científica por exemplo — que me esqueci de mencionar à Maria, a turma ignorante anti-ciência da qual Trump é agora o rabino mor (ou evangelista mor, se preferir). Como alguém disse, isto anda tudo ligado.
De resto, quanto ao encanto que o homem é, não preciso de ir mais longe que o 44. Outro encanto.
E quanto ao golf, como sabe não é só o golf — se a revista fosse da Coreia do Norte, ainda se entendia, mas da Noruega! Pessoalmente vejo traços de carácter em tudo (falta dele). Mas podemos voltar a falar das multidões da inauguração, se preferir.

joserui disse...

A mulher do tipo, apesar de bem recauchutada — que é uma coisa que não gosto, parece estar a ser um acto de classe. Essa é uma peça que não encaixa.
Quanto ao aborto, ele próprio um, já deve ter pago muitos… mas esta é uma acusação infundada e gratuita da minha lavra. Também tenho direito!
Desde que o homem peitou a CNN é isto…

muja disse...

Eu não verto fel sobre a América. Constato factos. Ou faço observações, se preferir.

Eu acho que se deve dar todo o crédito aos americanos no que toca a negócios. Lá disso percebem eles. De guerra também percebem, mas menos, apesar de tudo. Plata o plomo.

Portanto, se me falar em elite dos negócios, sim senhor. Elite militar, idem.

Mas elite cultural? Ehehehe!

Volto a perguntar: qual é a posição da sua elite cultural em relação ao aborto?

Certamente há-de ler lá isso juntamente com a batota no golfe...

muja disse...

Essa do deve ter pago muitos também leu lá na elite cultural, certamente...

Há-de ser gente de muito nível... Ahahahah!

joserui disse...

Muja, não faça acusações infundadas! Que é que eu escrevi?
Mas tenho lhe dizer o seguinte com a frontalidade possível: Anedótico. Os EUA não têm elite cultural? Científica? Tecnológica? Só negócios e militar? Esqueceu-se da elite da construção civil e o seu pregador Trump. Hehehe. Grandes factos que constata! Não queira ser Trump.
Olhe a última do psicopata: “The ice caps were going to melt, they were going to be gone by now. But now they’re setting records. They’re at a record level,”. É verdade que ninguém sabe se ele sabe o que são ice caps. Se calhar julga que é o gelo que mete no tennessee whisky. Record level! O tipo é doente mental. Mas o Muja não vê isso — vê um very stable genius. Espantoso.

joserui disse...

Aqui umas coisinhas sobre o discurso do aldrabão. Não reconhece sequer que o indivíduo é um mentiroso compulsivo? Um mitómano? Um narcisista patológico? — reconhece estes traços em alguém de cá? Grande máquina de factos aí tem em casa! Chama-lhe o grande factómetro, ou só factómetro?

muja disse...

Quem faz fact-checking ao fact-checker?

Eheheh! Não reconheço nem deixo de reconhecer...

A verdade é que não sei distinguir um mentiroso de um mentiroso compulsivo.

Continua sem responder: o que pensa a sua tal elite cultural sobre o aborto?

joserui disse...

O Muja claro! Com a sua grande máquina de factos! O grande factómetro! Veja lá se o gelo está em nível recorde ao menos!
Muja, repare, não é a minha elite cultural. É a deles. Eu não sei o que me pergunta… mas há para lá umas feministas… vale a pena perguntar-lhes? Não é para isso que utilizo o fb.

muja disse...

Deve achar que eu não tenho que fazer...

Se eu perdesse tempo a fazer isso, como tinha tempo de vir aqui fazer comentários fachistas consigo?

muja disse...

O que lhe pergunto é se encontra essa gente preocupada com o aborto e que espécie de elite cultural faz gala em exterminar os próprios filhos da dita cultura...

Ou bem que de elite têm apenas o nome, ou a cultura deles é outra...

Que crédito espera que eu dê a essa gente?

joserui disse...

Muja, espero nenhum crédito! O Muja é como eu, pertence a um clube muito pequeno, só de um. E no seu caso, desconfio que por vezes nem o deixem entrar na sede, mesmo com as quotas em dia!

josé disse...

Há pior que isso: quem não pertença a qualquer clube que o aceite como sócio.
Estou inscrito nesse mas sempre à espera de rejeição.

joserui disse...

Tire-me uma dúvida José: Isso é um piscar de olho ao Mark Twain ou Grouxo Marx? Essa citação aparece frequentemente atribuída aos dois. E de facto pode ser de um ou outro.

josé disse...

Sempre tive para mim que o dito era do cómico do trio.

joserui disse...

Talvez… há pouco ouvi outra via Ricardo Araújo Pereira, também do Groucho — "Eu tenho estes princípios, mas se você não gostar, tenho outros!"