segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

As minhocas da esquerda...

Notícia do Público de hoje que aliás tem mais e das boas...


O artigo desenvolve-se em duas páginas com fotos de anelídios e a indicação que um tal José Cerca, biólogo de 29 anos descobriu duas "minhocas crípticas" e vai daí, crismou-as.
O José Cerca que estudava na Noruega, ido de Coimbra considera que o 25.4.1974 é o dia mais importante "da história de Portugal". Apesar de tudo "história", com letra pequena.

O José Cerca nasceu cerca de 15 anos depois de tal data. "Sem liberdade não há ciência e acho que o Zeca e o Zé Mário lutaram pela nossa liberdade".

O Zé Cerca estudou nos anos noventa e o sistema de ensino ensinou-lhe estas patranhas que um biólogo não descodifica porque se formatou no logro.
Se todo o mal fosse esse, ainda vá. Porém, o Zé Cerca "ouvia a música deles enquanto estava no campo a recolher amostras" e deve ter sido aí que se lembrou: vou pôr às minhocas o nome de ambos. E dito mais o feito, comunicou ao "produtor do Zé Mário" tal ideia maravilhosa que lhe acudiu às meninges biológicas. "O produtor disse que lhe ia dizer. Espero que ele tenha sabido".

Enfim, espero bem que o produtor tenha tido o bom senso de não dizer ao pobre Zé Mário que iria ficar com o nome imortalizado numa...minhoca.

E o nosso Zé Cerca já tem mais ideias para crismas: " Entre o Bernie Sanders e a Hillary, o Bernie era aquele em que mais me revia..." por isso, o pobre do Bernie também levou com nome de minhoca .

Bem feito!

Sem comentários:

Enguias à Isabel dos Santos