quinta-feira, 1 de abril de 2021

É preciso recuperar, quanto antes, o português antigo

 Artigo interessante no Expresso de hoje acerca do mau uso da língua portuguesa, com a introdução crescente de estrangeirismos desnecessários e empobrecedores da nossa maneira de dizer, na escrita e na fala. 

É preciso expurgar artigos definidos dos "quanto antes" que andam por aí aos pontapés e evitar particípios passados no presente, indicativos de que algo vai mal no reino do português como língua antiga, mui nobre e que tão bons escritores tem. 

Os brasileiros que escrevem são bem vindos porque enriqueceram o léxico e ampliaram tropos e modos de dizer, mas inquinaram sintaxes que nos eram mais familiares e tradicionais e por isso mais próximas da nossa essência linguística.  

As telenovelas deixaram de ser apenas deles e passaram novelas aglutinadas à nossa cultura que fixaram modos de dizer e deram origem a novos nomes e nomenclaturas, mais pobres e desenraizadas.

Sendo certo que nos melhores panos cai a nódoa, também é seguro que uma atenção mais cuidada servirá para evitar tal empobrecimento. Não custa nada a não ser maior atenção e saber, acompanhados do esforço para tal.  








Sem comentários:

Os escombros do apocalipse