sábado, 3 de abril de 2021

Os Sapos da MadreMedia coaxam à esquerda, 24 horas por dia

 No outro dia o sítio de notícias SAPO24 publicou uma espécie de antecipação do conteúdo do Relatório de Segurança Interna, documento produzido em sede governamental, anual e que relata as ocorrências mais salientes da criminalidade lusa bem como apresenta propostas de soluções práticas para os problemas expostos. 

O Relatório deste ano tem cerca de 300 páginas e foi apresentado em ambiente lúgubre, atento o perfil das personagens da performance:


Principal conclusão: a criminalidade em Portugal diminuiu durante o ano passado. Um feito que o "covi" justifica.


Notícia da Sapo24, "equipa MadreMedia,  não assinada,  em 31.3 .2021:







Ora, o que é que diz o Relatório de Segurança Interna, agora publicado, sobre isto? Diz assim: 



Qualquer semelhança entre os dois textos não é coincidência: é apenas censura e manipulação jornalística com laivos ideológicos. 

A quem pertence a Sapo24 e quem será o responsável por esta desinformação atentatória das mais elementares regras jornalísticas? 

A Sapo pertence à Meo. E a Sapo24 pertence ao mundo da Sapo

Segundo o estatuto editorial da Sapo: 

"O Sapo.pt é uma publicação pluralista, independente, isenta, rigorosa e objectiva.
O Sapo.pt diferencia claramente os conteúdos informativos dos opinativos, reservando-se o direito de emitir considerações sobre todas as notícias, em editorial, em respeito da legislação aplicável em vigor."


Nada disto é verdadeiro na notícia em  causa constituindo por isso uma fraude. 

E quem é o responsável por uma notícia da Sapo 24, não assinada? Não se sabe porque não é possível saber quem manda na Sapo 24, assim de repente e com consulta à Net. Só se conhece esta ficha técnica da Sapo...
Por outro lado a notícia da Sapo 24 provém da "equipa MadreMedia", em parceria

Procurando saber mais sobre esta "equipa" chegamos aqui a um sítio de facebook...sem mais informação a não ser uma ligação para aqui
Um breve pesquisa sobre "jornalistas" deu neste sítio com esta figurinha que deve ser uma das "redactoras" desta miséria e ignorância. 

Estamos entendidos. Ou antes, deveríamos estar. 

A tal MadreMedia começou em 2016 como projecto para conteúdos com qualidade e também produzirá coisas de videologia, se for esse o caso
Quanto à qualidade, vê-se, pela amostra...e teve como fundadores uns tais Rute Sousa Vasco, Inês Alves e João Dinis de matriz ISCTE, a madrassa. 

Quem são estas pessoas?  Como é que chegaram ali? Como é que se orientam ideologicamente? 

Será preciso indagar mais?! Nem por isso. A ideologia que sustenta estas desgraças é simples de entender e está aqui bem exposta: woke!

Sem comentários:

Os escombros do apocalipse