Páginas

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Em Portugal a esquerda e a direita parece que é isto...

O Expresso e a SIC, do mesmo dono,  mandaram fazer uma sondagem acerca das preferências dos sondados sobre candidaturas presidenciais.
O resultado é este que mostra a pobreza que temos. Não somos apenas pobres em dinheiro que nem temos para mandar cantar um cego, mas principalmente nisto, nesta miséria intelectual que o Expressso tão bem simboliza.
São estes os indivíduos que foram apontados pelos sondados como preferidos para a presidência da República. Ó Portugal, Portugal! Onde tu chegaste!


O jornal Sol de hoje tem uma crónica de Inês Pedrosa que talvez explique melhor este fenómeno...e a crónica é o melhor exemplo do que pretende apontar. Bastaria perguntar-lhe o que entende por "cultura", no caso português. Por exemplo, entregar a casa dos Bicos a um certo culto de um certo Saramago é exemplo de cultura? E o caso particular da obra de Fernando Pessoa, actualmente, tem o relevo que os meios ao dispor possibilitam? Ou é apenas mais um emprego na "cultura"?

Entre os supostos candidatos preferidos verifique-se o grau cultural de cada um. Não o grau cultural para passar num concurso tipo Quem quer ser milionário, mas aquele substracto que permite dizer de alguém que é um mestre e a quem se reconhece imediatamente uma valia intelectual com alguma solidez. Entre todos, vejo um ou dois ( não sei o que Sampaio da Nóvoa vale intelectualmente). O resto, estou como o outro ( que aparece no retratro): "é fazer as contas...".

5 comentários:

S.T. disse...


Esqueceram-se do Paulo Pedroso , os ingratos...a Ana Gomes deve estar inconsolável...

S.T. disse...



...e do Vale e Azevedo . Seis milhões de Benfiquistas - dizem - e nem um único protesto...

:(

josé disse...

Para compensar tem esse grande vulto da política de esquerda que sempre foi Ferro Rodrigues. Um indivíduo que foi acusado por quatro putos de ser algo que não devia ser; que o Expresso divulgou; que o MP investigou mas não encontrou provas suficientes e que o mesmo accionou judicialmente. E perdeu porque se provou que quem o acusou não tinha razões para difamar...

josé disse...

Falta também o peixe de águas profundas, dos Açores, que foi presidente da AR ( e muito bem eleito, disse Ferreira Leite...assumindo que não tem perfil de Estado).

Apache disse...

“não sei o que Sampaio da Nóvoa vale intelectualmente” [José]
Considerando as opções aqui apresentadas (principalmente à esquerda) podemos considerá-lo o ‘Professor Marcelo da esquerda’, mas se o compararmos com outros académicos António de Sampaio da Nóvoa é uma figura mediana mesmo para a pobreza intelectual actual. Não fora aquela reunião jacobina de inspiração soarista, na aula magna, e Sampaio da Nóvoa continuaria a passar despercebido (apesar dos vários anos a liderar a Universidade de Lisboa) tanto para socialistas como para bloquistas.
Sampaio da Nóvoa tem muita coisa publicada, mas o seu ‘prestígio’ é bem mais político que académico, por ser de esquerda e por a maioria das publicações serem na área das (ciências ocultas… perdão) ciências da educação. Fosse ele de Física, por exemplo, como o cavaleiro para toda a cela (ora à esquerda, ora à direita, conforme os ‘ventos dominantes’), Carlos Fiolhais, (académico muito acima da mediania) que o jornalismo “bacalhau basta” [com a devida vénia] se encarregava de o reduzir ao 'anonimato'.