terça-feira, 12 de novembro de 2019

Diga lá...33 vítimas mortais de violência doméstica, este ano.

A contabilidade macabra continua a aumentar, como relata o CM de hoje:


Quem quiser saber o número de mortes por violência doméstica em Portugal escusa de procurar aqui, nos subsididados da APAV. Não tem lá o número embora tenham estatísticas em barda, para justificar existências. A APAV existe para se proteger a si mesma, como associação e pouco mais.

É preciso ir a outros lados para saber que em 2018 morreram dessa forma 28 pessoas. No ano anterior tinham sido 20 e este ano a conta já vai em 33!

O que falhou nos sistemas de protecção instituídos? É caso para os observatórios que pelos vistos pouco ou nada observam de eficiente. Não acertam nos diagnósticos porque...não sabem. Pura e simplesmente não sabem porque não estão preparados para saber, a não ser a auto-suficiência sempre pronta a enterrar a humildade necessária nestas coisas e portanto eivados de uma pesporrência incómoda e ridícula.

Trinta e três mortes num ano é record! E ainda mais quando se sabe que foi neste ano que se diligenciou pela obtenção de soluções para o problema que no início do ano fazia parangonas de jornal e agora nem vê-las.
O CM, paladino deste jornalismo tipo "pente fino" sempre a querer arrasar a concorrência lá concluiu que as notícias alarmistas sobre violência causam mais alarme e violência, o que é sabido há décadas e décadas.

Porém, o que falhou mesmo nas instâncias de supervisão e controlo?

A polícia não anda a policiar? O Ministério Público a ministeriopublicizar? Os juízes a ajuizar? O Governo a politicar? Andam, claro que andam. Mal, a meu ver.

Polícias, ministérios públicos e governos tentam conter o fenómeno da única maneira que sabem: aumentar a repressão. Erro fatal!

Hoje dá-se notícia de uma mulher que assassinou à facada o companheiro. Ao lado dá-se notícia da tentativa de um companheiro assassinar a companheira e a mãe, a tiro.

Nestes casos, a polícia vai policiar, o ministério público ministeriopublicizar e os juízes ajuizar. E o Governo a politicar enquanto as várias apavs e comissões continuarão a comissionar.

Debalde!

Até ao fim do ano as mortes ainda vão aumentar. E resta saber porquê. Porque ninguém realmente sabe e provavelmente se recusam a saber as verdadeiras razões. Porque incomodam e põem em causa tais poderes. Daí...

Sem comentários: